Agentes e aspectos da distribuição de cervejas especiais no estado de São Paulo: Usos do território e escalas regionais

João Paulo Rosalin, Marcelo Alves Teodoro

Resumo


O mercado cervejeiro no Brasil vivenciou diversas mudanças e o crescente interesse da população pela cerveja abriu as portas para que pequenos produtores pudessem apresentar ao público seus produtos diferenciados. As chamadas “cervejas especiais”, que contam com características exclusivas tais como cores, aromas e sabores exclusivos, passaram a ser apreciadas pelo brasileiro e hoje correspondem a 1,2% do consumo nacional. Pode-se apontar que na produção cervejeira um rearranjo no circuito espacial da produção e um novo círculo de cooperação no espaço vem se articulando no território brasileiro, já que todo um conjunto de novas microcervejarias se instala em distintas partes do território nacional, sobretudo no estado de São Paulo. Sob a ótica produtiva, este fato acarreta todo um novo sistema logístico de distribuição dos pequenos lotes produzidos já que para os pequenos produtores (microcervejarias ou artesanais independentes) o custo do frete passa a ser um elemento imperativo na distribuição da bebida em maior escala.

Palavras-chave


Usos do Território; Circuito Espacial da Produção; Distribuição; Microcervejarias.

Texto completo:

PDF

Referências


ACERVA. Associação dos Cervejeiros Artesanais. Página Oficial. Disponível em: http://acervapaulista.com.br/ . Acesso em: 27 set. 2018.

ARROYO, M. M. A economia invisível dos pequenos. Le Monde Diplomatique, v. 15 Ano 2, p. 30-31, 2008.

BARRIOS, S. Dinâmica social e espaço. In Boletim Campineiro de Geografia, v. 4, n. 2, 2014 [1980]. Tradução de Luciano Duarte e Gustavo Teramatsu, Revisão: Melissa Steda. Disponível em Acesso em 18 set. de 2018.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. SIPE/MAPA. Disponível em: http://mapas.agricultura.gov.br/sipe2000/index3.asp . Acesso em: 10 set. 2018.

_______. Relatório Anual de Informações Espaciais. RAIS. Disponível em: http://www.rais.gov.br/sitio/index.jsf . Acesso em: 23 de Janeiro de 2019.

CASTILLO, R. A.; FREDERICO, S. Espaço geográfico, produção e movimento: uma reflexão sobre o conceito de circuito espacial produtivo. In Sociedade & Natureza, Uberlândia, 22 (3), 2010.

CARLOS, A. F. A.. O consumo do espaço. In: Ana Fani Alessandri Carlos. (Org.). Novos caminhos da geografia. 1ed.São Paulo: Contexto, 1999, v. , p. 173-186

CARROLL, G. R. Why the Microbrewery Movement? Organizational Dynamics of Resource Partitioning in the U.S. Brewing Industry. In American Journal of Sociology Volume 106, Number 3. Chicago, November 2000: pp. 715–62. Disponível em: Acesso em 10 jan. 2019.

CERVBRASIL. Página de Internet. Disponível em: http://www.cervbrasil.org.br/ . Acesso em 10 jan. 2019.

GONTIJO, F. E. K.; GESSNER, E. Logística de Distribuição e Estratégias de Cervejarias em Santa Catarina. In: Anais do XI Congresso Nacional de Excelência e Gestão. Rio de Janeiro - RJ, 2015. Disponível em: < http://www.inovarse.org/node/3955 > Acesso em: 18 jan. 2017.

JULIO, A dos S.; SILVEIRA, M. R.. Política Macroeconômica e o Papel do Transporte na Dinâmica Econômica Nacional. Revista Geográfica de América Central. Numero especial EGAL, 2011, Costa RICA pp.1-17.

MADEIRA FILHO, M. L. Shopping Center: Consumo do Espaço, Cotidianidade e Fetichismo. Tese de Doutorado. Rio Claro, Universidade Estadual Paulista, 2016.

MORAES, A. C. R. Los Circuitos Espaciales de la Produción y los Circulos de

Acumulación en el Espacio. In: YANES, L. e LIBERALLI, A. (Org.) Aportes para el

Estudio del Espacio Socio-económico. Buenos Aires: [s.n.], 1985.

OGLE, M. Ambitious brew. The story of american beer. Orlando (Estados Unidos): Harcourt, 2006. 422 p.

OTTO, S. H.; GINETTE, M. Les gestes de la mesure. Joule, les pratiques de la brasserie et la science. In: Annales. Histoire, Sciences Sociales. 53? année, N. 4-5, 1998. pp. 745-774. Disponível em Acesso em 18 jan. 2019.

PINTAUDI, S. M.. A cidade e as formas do comércio. In: CARLOS, Ana Fani A.. (Org.). Novos Caminhos da Geografia. São Paulo: Contexto, 1999, v. , p. 143-160.

ROSALIN, J. P.; GALLO, F. Uma proposta de análise do Circuito Espacial Produtivo e dos Círculos de Cooperação no Espaço das “Cervejas Especiais” a partir do crescimento das microcervejarias no estado de São Paulo. In Revista Formação (Online) Vol. 2; n. 23, ago/2015, p. 82 -103.

SANTOS, M. A natureza do espaço. Técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: EDUSP, 2002.

_______. Espaço e Método. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

¬¬¬________. O Espaço Dividido: Os Dois Circuitos da Economia Urbana dos Países Subdesenvolvidos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

_______. Circuitos espaciais da produção: um comentário. In: SOUZA, M. A. A.; SANTOS, M. (org.). A construção do espaço. São Paulo: Nobel, 1986.

SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. O Brasil. Território e sociedade no início do século XXI. 2ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SILVA JÚNIOR, R. F. Circulação, epistemologia e a construção de um ramo da ciência geográfica. Boletim Campineiro de Geografia, v. 2, p. 389-417, 2012.

_______. A circulação como um dos fundamentos do espaço: elementos para a busca de um conceito. In: Geografia. Ensino & Pesquisa, v. 1, p. 14-34, 2007

SILVEIRA, M. L. A região e a invenção da viabilidade do território. In: Souza, Maria Adélia A.. (Org.). Território Brasileiro: Usos e Abusos. 1a.ed. Campinas: Edicoes Territorial, 2003, v., p. 408-416.

SILVEIRA, M. R. Reestruturação dos Sistemas de Movimento e da Logística e seus Impactos Regionais e Urbanos no Território Paulista. Scripta Nova (Barcelona), v. XIV, p. 1-15, 2010.

TREMBLAY, M. Du Territoire au Boire: La Bière Artisanale au Québec. Département D'histoire, Faculté des Lettres, Université Laval: Québec, 2008. Disponível em Acesso em 12 dez. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com