Memória e ensino de Geografia Política na Casa do Idoso de Imperatriz – MA

Allison Bezerra Oliveira, Diego Armando de Sousa Paz, Fernanda Ferreira Silva Sanches

Resumo


O presente trabalho apresenta os resultados obtidos em extensão universitária desenvolvida sobre o ensino de Geografia Política para idosos, na Casa do Idoso Feliz, no município de Imperatriz, estado do Maranhão. Considerando o papel do idoso no processo democrático brasileiro, questiona-se qual é o nível de compreensão dos idosos sobre política. Em termos metodológicos, utilizou-se questionários abertos como instrumento de coleta de informações junto à população pesquisada. A partir dos dados coletados, construiu-se gráficos e realizou-se oficinas sobre temas ligados à Geografia Política; também se construiu um acervo fotográfico. Os resultados encontrados sugerem que embora haja expressiva participação de idosos nos processos eleitorais, é superficial a compreensão de conceitos fundamentais acerca da política e de seus impactos na vida cotidiana.


Palavras-chave


Geografia Política; Idoso; Imperatriz.

Texto completo:

PDF

Referências


ANSARA, S. Memória política da ditadura militar e repressão no Brasil: uma abordagem psicopolítica. 2005. Tese (Doutorado em Psicologia Social) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. 52. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, 2017.

BRASIL. Decreto nº 1.948, de 3 de julho de 1996. Regulamenta a Lei n° 8.842, de 4 de janeiro de 1994, que dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D1948.htm. Acesso em: 5 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8842.htm. Acesso em: 5 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm. Acesso em: 5 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/introducao.pdf. Acesso em: 5 de jul. 2019.

CASTRO, I. E. Geografia e política: território, escalas de ação e instituições. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

DALLARI, D. A. Ser cidadão. Lua Nova, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 61-64, set. 1984. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ln/v1n2/a14v1n2.pdf. Acesso em: 27 jan. 2019.

FONT, J. N. R.; RUFI, J. V. Geopolítica, identidade e globalização. 1. ed. São Paulo: Annablume, 2006.

GORDON E.; WOOLDRIDGE, S. W. Espírito e propósitos da Geografia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1967.

GOTTMANN, J. A evolução do conceito de território. Boletim Campineiro de Geografia, Campinas, v. 2, n. 3, p. 523-545, 2012. Disponível em: http://agbcampinas.com.br/bcg/index.php/boletim-campineiro/article/view/86/2012v2n3_Gottmann. Acesso em: 5 jul. 2019.

OLIVEIRA, R. C. S.; SCORTEGAGNA, P. A.; OLIVEIRA, F. S. O envelhecimento e a velhice: teorias, demografia e política. Curitiba: CRV, 2011.

OLIVEIRA, R. C. S. Terceira idade: do repensar dos limites aos sonhos possíveis. São Paulo: Paulinas, 1999.

QUEIROZ, A. A. Noções de política e cidadania no Brasil. Brasília: DIAP, 2012. Disponível em: https://www.diap.org.br/index.php/publicacoes/finish/68-nocoes-de-politica-e-cidadania-no-brasil/366-nocoes-de-politica-e-cidadania-no-brasil. Acesso em: 5 jul. 2019.

RATZEL, F. La géographie politique. Paris: Fayard, 1987.

RATZEL, F. O solo, a sociedade e o Estado. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, v. 2, p. 93-101, 1983. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rdg/article/view/47081/50802. Acesso em 5 jul. 2019.

ROZENDO, A. S.; JUSTO, J. S.; CORREA, M. R. Protagonismo político e social na velhice: cenários, potências e problemáticas. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 35-52, 2010. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/4857/3438. Acesso em: 5 jul. 2019.

SANTOS, B. S. et al (org.) Repressão e memória política no contexto ibero-brasileiro: estudos sobre Brasil, Guatemala, Moçambique, Peru e Portugal. Brasília: Comissão de Anistia do Ministério da Justiça; Portugal: Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, 2010.

SIMÕES, J. A maior categoria do país: o aposentado como ator político. In: BARROS, M. (org.) Velhice ou terceira idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. p. 13-34.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com