MAPEAMENTO E CARACTERIZAÇÃO DA PLUVIOSIDADE EM UNAÍ, MINAS GERAIS-BRASIL: VARIABILIDADE E DEFINIÇÃO DE ANOS-PADRÃO

Aion Angelu Ferraz Silva, Carlos Henrique Jardim

Resumo


O objetivo deste artigo foi analisar o comportamento da variabilidade têmporo-espacial da pluviosidade na região de Unaí, noroeste do estado de Minas Gerais-Brasil. A metodologia consistiu no uso de dados pluviométricos de 100 estações da Agência Nacional de Águas (ANA) e 22 estações meteorológicas (INMET), correspondendo ao recorte temporal entre os anos de 1995/1996 e 2014/2015, empregados na determinação dos anos-padrão pela técnica do desvio padrão e mapeados pelo método dos polígonos de Thiessen. Os resultados possibilitaram identificar a espacialização dos padrões regionais de pluviosidade, caracterizados temporalmente como: Chuvoso (1996/1997, 2003/2004 e 2006/2007); Chuvoso/Tendente a Chuvoso (2010/2011); Habitual/Tendente a Chuvoso (2005/2006); Habitual (2001/2002, 2002/2003, 2008/2009 e 2009/2010); Seco/Tendente a Seco (1995/1996, 1997/1998, 2000/2001, 2007/2008 e 2013/2014); Seco (2014/2015); Misto (1998/1999, 1999/2000, 2004/2005, 2011/2012 e 2012/2013). A interpretação dos padrões regionais (mapas) e locais (estações pluviométricas no transecto) das chuvas proporcionou relacioná-los com os fatores de teleconexões do clima (ENOS/ODP) e extremos de pluviosidade.


Palavras-chave


cartografia; climatologia; teleconexões; ENOS

Texto completo:

PDF

Referências


AB'SABER, A. Os domínios de Natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

ALMEIDA, H. A.; FREITAS, R. C.; SILVA, L. Determinação de períodos secos e chuvosos em duas microrregiões da Paraíba através da técnica dos Quantis. Revista de Geografia (Recife), v. 30, p. 217-232, 2013.

ALVES, L. M. Clima da região centro-oeste do Brasil. In: CAVALCANTI, I. F. A.; FERREIRA, N.J.; SILVA, M. G. A. J.; DIAS, M. A. F. S. (Org.). Tempo e Clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2009. p. 236-241.

ANA. Hidroweb: sistema de informações hidrológicas. Disponível em: Acesso em: 18 jan. 2018.

BORSATO, V. A dinâmica climática do Brasil e massas de ares. Curitiba: Editora CRV, 2016.

BORSATO, V. A dinâmica atmosférica no centro sul do Brasil e a estacionalidade. Geoingá: Revista do Programa de Pós-Graduação em Geografia, Maringá, v. 9, n. 2, 3-27, 2017.

CAVALCANTI, I. F. A.; AMBRIZZI, T. Teleconexões e suas influências no Brasil. In: CAVALCANTI, I. F. A.; FERREIRA, N.J.; SILVA, M. G. A. J.; DIAS, M. A. F. S. (Org.). Tempo e Clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2009. p. 317-335.

DIAS, P. L. S.; MARENGO, J. A. Águas atmosféricas. In: REBOUÇAS, A. et al. (Org.). Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 2. ed. São Paulo: Escrituras Editora, 2002. p. 65-117.

EMBRAPA. Tecnologias de produção de soja: região central do Brasil 2012 e 2013. Londrina: Embrapa Soja, 2011.

GALVANI, E.; LUCHIARI, A. Critérios para classificação de anos com regime pluviométrico normal, seco e úmido. In: ______; LIMA, N. G. B. (Org.). Climatologia aplicada: resgate aos estudos de caso. 1. Ed. Curitiba: CRV, 2012. p. 4-29.

GERARDI, L. H. O.; SILVA, B. C. M. N. Quantificação em geografia. São Paulo: Difel, 1981.

GRIMM, A. M. Variabilidade interanual do clima no Brasil. In: CAVALCANTI, I. F. A.; FERREIRA, N.J.; SILVA, M. G. A. J.; DIAS, M. A. F. S. (Org.). Tempo e Clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2009. p. 353-374.

IBGE. Mapa de climas do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2002. Escala 1:5.000.000.

IBGE-SIDRA. Sistema IBGE de Recuperação Automática: produção agrícola municipal (PAM). Disponível em: Acesso em: 18 mar. 2018.

INMET. Banco de dados meteorológicos para ensino e pesquisa. Disponível em: Acesso em: 18 jan. 2018.

JÁCOMO, C. A. Modelos geoestatísticos espaço-tempo aplicados a dados pluviométricos no oeste do estado de São Paulo. 2011. Dissertação (Mestrado em Engenharia Cartográfica) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente.

KAYANO, M. T.; ANDREOLI, R. V. Variabilidade decenal e multidecenal. In: CAVALCANTI, I. F. A.; FERREIRA, N.J.; SILVA, M. G. A. J.; DIAS, M. A. F. S. (Org.). Tempo e clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2009a. p. 375-383.

MENDONÇA, F.; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Texto, 2007.

MONTEIRO, C. A. F. Clima e excepcionalismo: conjecturas sobre o desempenho da atmosfera como fenômeno geográfico. Florianópolis: UFSC, 1991.

NASCIMENTO, D. T. F.; NETO, J. M. S.; NUNES, L. C. Definição dos anos-padrão para o estudo da pluviometria do estado de Goiás e do Distrito Federal. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities Research Medium, Ituiutaba, v. 6, n. 1, 272-290, 2015.

NIMER, E. Climatologia do Brasil. 2 ed. Rio de Janeiro: IBGE, 1989.

NOAA, National Oceanic and Atmospheric Administration. Teleconnections. Disponível em: Acesso em: 20 jul. 2018.

NUNES, L. H.; VICENTE, A. K.; CANDIDO, D. H.; Clima da região sudeste do Brasil. In: CAVALCANTI, I. F. A.; FERREIRA, N.J.; SILVA, M. G. A. J.; DIAS, M. A. F. S. (Org.). Tempo e Clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2009. p. 243-257.

OLIVEIRA, L. F. C., et al. Comparação de metodologias de preenchimento de falhas de séries históricas de precipitação pluvial anual. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 14, n. 11, p.1186-1192, ago. 2010.

PINKAYAN, S. Conditional probabilities of ocurrence of Wet and Dry Years Over a Large Continental Area. Colorado: State University, Boulder-Co, 1966. (Hidrology papers, n. 12).

SANT’ANNA NETO, J. L. Ritmo Climático e a gênese das chuvas na Zona Costeira Paulista. 1990. Dissertação (Mestrado em Geografia). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

SANT’ANNA NETO, J. L. As chuvas no estado de São Paulo: contribuição ao estudo da variabilidade e tendência da pluviosidade na perspectiva da análise geográfica. 1995. Tese (Doutorado em Geografia) Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

SANT’ANNA NETO, J. M. Da complexidade física do universo ao cotidiano da sociedade: mudança, variabilidade e ritmo climático. Terra Livre, São Paulo, v. 1, n. 20, 51-63, 2003.

SILVA, M. R.; MOURA, F. P.; JARDIM, C. H. O diagrama de caixa (Box Plot) aplicado à análise da distribuição temporal das chuvas em Januária, Belo Horizonte e Sete Lagoas, Minas Gerais-Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 10, p. 23-40, 2017.

SILVESTRE, M. R.; SANT'ANNA NETO, J. L.; FLORES, E. F. Critérios estatísticos para definir anos-padrão: uma contribuição à Climatologia Geográfica. Formação (Presidente Prudente), v. 2, p. 23-53, 2013.

SCHNEIDER, H.; SILVA, C. A.; SANTOS, V. A. A escolha de anos padrão como base para identificação do regime das chuvas na porção centro sul de Mato Grosso do Sul. Revista Geonorte, Edição Especial 2, v. 1, n. 5, p. 262-270, 2012.

TUCCI, C. 2000. (Org.) Hidrologia – ciência e aplicação. Editora da Universidade, ABRH, Porto Alegre.

USGS. Earth explorer. Disponível em:Acesso em: 18 jan. 2018

WMO, World Meteorological Organization. Calculation of monthly and annual 30-year standard normals. Geneva, 1989. (WMO. Technical document, n. 341; WCDP, n.10).

ZANDONADI, L. As chuvas na bacia do Paraná: aspectos temporais, espaciais e rítmicos. 2009. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com