A (DES)ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DA FEIRA LIVRE DO BAIRRO CANOEIRO – GRAJAÚ/MA

Naiara Barbosa Santos, Marcos Nicolau Santos da Silva, Francisco Lima Mota

Resumo


Resumo: As feiras livres fazem parte do contexto histórico, social e econômico da humanidade, cuja função e ação se introduzem de forma significativa na vida cotidiana das diferentes populações, bem como na própria significação de um dado lugar. A sobrevivência de inúmeras famílias que garantem a subsistência a partir do excedente ou de outros mercadores que encontram nelas uma forma de trabalho. No Nordeste, elas foram responsáveis pelo surgimento de diversas cidades. Diante da importância que tem as feiras para o contexto histórico e geográfico, este trabalho tem como objetivo analisar a (des)organização espacial da feira do Canoeiro a partir das relações que acontecem nesse espaço, levando em consideração que essa é uma importante atividade econômica do bairro. Os resultados obtidos foram que a feira livre do Canoeiro sofre de problemas estruturais, que se agravaram por uma gama de fatores, dentre eles a falta da intervenção do poder público dentro desse mercado periódico. Em suma, percebemos que a feira livre do Bairro Canoeiro é um espaço precário que exerce práticas importantes como o escoamento da produção agrícola, sendo esta uma atividade que garante a renda de muitas famílias de Grajaú.

 

Palavras-Chave: Atividade econômica; Precarização; Desorganização espacial.


Palavras-chave


Atividade econômica; Precarização; Desorganização espacial.

Texto completo:

PDF

Referências


BOECHAT, Patrícia Teresa Vaz; SANTOS, Jaqueline Lima dos. Feira Livre: dinâmicas espaciais e relações identitárias. São Paulo, 2009.

CLEPS, Geisa Daise Gumiero. O comércio informal e a cidade. In: SIMPÓSIO REGIONAL DE GEOGRAFIA, 2., 2003, Uberlândia. Anais... Uberlândia: UFU, 2003.

CORRÊA, Roberto Lobato. Trajetórias Geográficas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997

GIANNECHINI, Laura Mariana; AZEVEDO, Maria Mercedes S.; BOTELHO, Ricardo Aparecido. “Feira livre também é cultura!” – Feiras livres como espaços de intensa sociabilidade na cidade de São Paulo. São Paulo: Departamento de Antropologia, FFLCH-USP, 2007. 15 p. (Relatório).

LIMA, M.A.E.F.; SAMPAIO, J. L. F.; Aspectos da formação espacial da feira-livre de Abaiara – Ceará: relações e trocas. In: ENCONTRO NACIONAL DE GEOGRAFIA AGRÁRIA, 19., 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 2009, p. 1-19.

MASCARENHAS, G; DOLZANI, M. C. S. Feira livre: territorialidade popular e cultura na metrópole contemporânea. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 2, n. 4, p. 72-87, ago. 2008.

MORAIS, Ione Rodrigues Diniz; ARAÚJO, Marcos Antônio Alves de. Territorialidades e sociabilidades na Feira Livre da cidade de Caicó (RN). Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 7, n. 17, p. 244-249, fev. 2006.

QUEIROZ, Greiziene Araujo; OLIVEIRA, Clarice Gonçalves S. de. Feira livre: uma proposta metodológica para o ensino de geografia. Revista de Ensino de Geografia, Uberlândia, v. 5, n. 9, p. 110-123, jul./dez. 2014.

SACCO DOS ANJOS, F.; GODOY, W. I.; CALDAS, VELLEDA, N. As feiras-livres de

Pelotas sob o império da globalização: perspectivas e tendências. Pelotas: Editora

e Gráfica Universitária, 2005.

SANTOS, Milton. O Espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. 2 ed., 1. Reimpr. São Paulo: EDUSP, 2008.

SATO, Leny. Processos cotidianos de organização do trabalho na feira livre. Psicologia & Sociedade, Cidade, Edição especial, v. 1, n. 19, p. 95-102, jan./jun. 2007.

SILVA, Darciane de Oliveira. Dinâmica espacial da feira livre de Cruz das Almas: uma leitura a partir das proposições de gestão e planejamento municipal. In: SIMPÓSIO CIDADES MÉDIAS E PEQUENAS DA BAHIA, 2., 2011, Vitória da Conquista. Anais eletrônicos... Vitória da Conquista: UESB, 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 20


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com