Conflitos Socioambientais urbanos: O caso da Vila Luizão/MA

Caroline Silva da Cunha Silva Cunha, Alexandra Maryllen Roges Costa Falcão Roges Falcão

Resumo


O bairro Vila Luizão surgiu no início da década de 1990 como alternativa de moradia no contexto da segregação socioespacial vivenciada na capital maranhense. Esse processo regido pela lógica de produção capitalista aliada à atuação controversa do Estado determinou o surgimento de ocupações espontâneas lideradas por população de baixa renda. Objetivou-se nesta pesquisa investigar as contradições no processo de produção do espaço urbano ludovicense e os conflitos socioambientais gerados. Para o alcance dos resultados parciais utilizou-se metodologia com suporte quanti - qualitativo, orientado a pesquisa de campo. Fontes secundárias somaram-se à coleta primária de materiais afetos à percepção ambiental enriquecida por entrevistas abertas e semiestruturadas a associação de moradores e gestores escolares. Na fundamentação teórica das análises, buscou-se apoio a autores que abordam a temática trabalhada os quais se pode citar PHILIPPI JR; PELICIONI (2005), RAZZOLINI E GÜNTER (2008), DINIZ (1999), FERREIRA(1999), MARICATO (1996). Destaca-se que a natureza conflitiva da questão ambiental, a partir da compreensão de que sociedade e meio ambiente são inseparáveis, visto ser o mundo material recortado por sujeitos que constroem projetos distintos de uso e significação do espaço. Neste âmbito, o espaço urbano apresenta-se como referência singular para compreensão dos conflitos sociais relacionados ao ambiente.

 

Palavras-chave: Conflitos Socioambientais; Ocupações Espontâneas; Vila Luizão.


Texto completo:

PDF

Referências


DINIZ, Juarez Soares. A dinâmica do processo de segregação sócio espacial em São Luís (MA): o caso da Vila Cascavel. Dissertação de Mestrado em Políticas Públicas. Universidade Federal do Maranhão. São Luís,1999.

________________. As condições e contradições do espaço urbano de São Luís (MA): Traços Periféricos. Ciências Humanas em Revista, Núcleo de Humanidades, São Luís, v.5, n.1, p.167-180,2007.

FERREIRA, Antônio José de Araújo. O estado e as políticas do urbano em São Luís. 1999. 223f. Dissertação de Mestrado em Geografia. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo,1999.

INSTITUTO DA CIDADE, PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO E RURAL (INCID). Dados Socioeconômicos (2010). Fonte: IBGE/2010. Prefeitura Municipal de São Luís: CD-ROM, São Luís, 2013.

JACOBI, Pedro. Meio Ambiente, participação e cidadania. In: SORRENTINO, Marcos (Orgs). Cadernos do III Fórum de Educação Ambiental. São Paulo: Gaia, 1995.

MARANHÃO, Centro de apoio á organização comunitária do. Projeto de apoio ao movimento de defesa da moradia. São Luís, Ceapoc, 1988.

MARICATO, Ermínia. Metrópole na Periferia do Capitalismo: ilegalidade, desigualdade e violência. São Paulo: Hucitec, 1996.

MARICATO, Ermínia. As ideias fora do lugar e o lugar fora das ideias. Planejamento urbano no Brasil. In: ARANTES, Otília. MARICATO, Ermínia. VAINER, Carlos. A cidade do pensamento único: Desmanchando consensos. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

MOURA, Rosa; ULTRAMARI, Clovis. O que é periferia urbana. São Paulo: Ed. Brasilienses, 1996.

PHILIPPI JR, Arlindo. Saneamento, saúde e ambiente: fundamentos para um desenvolvimento sustentável. Barueri, SP: Manole, 2005.

PHILIPI JR. ARLINDO; PELICIONI, Maria Cecília Focesi [Editores]. Educação ambiental e sustentabilidade. Barueri: Manole, 2005.

RAZZOLINI, M.P.T.; GUNTHER, W.M.R. Impactos na saúde das deficiências de acesso à água. Saúde e Sociedade, São Paulo, v.17, n.1, p.21-32, 2008.

RIBEIRO JÚNIOR, José Reinaldo B. Formação do Espaço Urbano de São Luís: 1612-1991. 2. ed. São Luís: Ed. do Autor/FUNC, 2001.

SANTOS. A natureza do espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4. ed. 2. reimpr. -São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

SANTOS, Luiz Eduardo Neves. Estratégias do Capital na produção do espaço urbano de São Luís: Sobre a verticalização e desigualdades socioespaciais (2000-2010). Dissertação de Mestrado em Desenvolvimento Socioeconômico. Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2013.

SEVERINO. Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. Re. E atual. São Paulo: Cortez, 2007.

SPOSITO. Eliseu Savério. Geografia e Filosofia: contribuição para o ensino do pensamento geográfico. São Paulo: Editora: UNESP, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com