LIMPANDO SEU PRÓPRIO SANGUE: UMA PROPOSTA DE RECONHECIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO SOBRE O CONTESTADO

Angela Zatta, Diego Luz Rocha

Resumo


A temática do Contestado está envolta em persistentes silêncios. Silenciadas as pessoas, os lugares, os fatos, as paisagens e as ciências que versam sobre o conflito, torna-se imprescindível resgatar esta história para que seja possível compreender a realidade em que se vive. É na materialidade do dia a dia que o Contestado pulsa. E como pulsa, não pode continuar ignorado pela ciência que se propõe a estudar o mesmo sistema que foi um dos principais motivos para o estopim da guerra civil: uma empresa. Estrangeira e de capital privado, a Brazil Railway Company teve sua atuação fortemente contestada pela população residente no território e inovou ao implantar sistemas de administração antes mesmo que Taylor descrevesse os princípios da Administração Clássica. Anterior à teoria, a empresa de Percival Farquhar tem as mãos sujas de sangue, tal qual o tem os pesquisadores da ciência administrativa que se negam a encarar sua atuação como tema de análise. Em uma pesquisa bibliográfica, propõe-se uma análise sobre a atuação da empresa no Contestado através de um diálogo entre as ciências geográfica, histórica, sociológica e administrativa.


Texto completo:

PDF

Referências


BANDEIRA, Pedro. Reflexões sobre a redefinição das políticas territoriais e regionais no Brasil, construção das políticas de integração nacional e desenvolvimento regional. Ministério da Integração Nacional. Brasília, 2000

BOISIER, Sergio. Centralización y descentralizaciónterrorial em el processo decisório Del sector publico. Santiago do Chile, CEPAL, 1995

BUESCU, Mircea. Brasil: disparidades de renda no passado. Rio de Janeiro: APEC, 1979

DINIZ, Clélio Campolina. Repensando a questão regional brasileira: tendências, desafios e caminhos. In: CASTRO, A. C. (Org). Desenvolvimento em debate. Painéis do desenvolvimento brasileiro – II. Rio de Janeiro: MAUAD/BNDS, 2002.

DRUCKER, Peter. Formação de dirigentes. Rio de Janeiro: Editora Expressão e Cultura, 1970

ESPIG, Marcia Janete. Personagens do Contestado: os turmeiros da Estrada de Ferro São Paulo – Rio Grande (1908-1915). 2008. 343 f. Tese (Doutorado em História) –Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre.

FRAGA, Nilson Cesar. Vale da Morte: o Contestado visto e sentido. Blumenau: Editora Hemisfério Sul, 2010.

GAROFOLI, Gioacchino. Sviluppolocale e ruolo dele agenzie: uma riflessione sul casoitaliano. Disponível em: Acesso em: 10 set. 2003.

GREMAUD, Amaury Patrick. O Brasil e o fluxo internacional de capitais, 1870-1930 – o caso da Brazil Railway Co. 1992. 150f. Dissertação (Mestrado em Economia), Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade. São Paulo.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” a multi-territorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

JIMÉNEZ, Edgar Moncayo. Nuevos enfoques teóricos, evolución de las políticas regionales e impacto territorial de laglobalization. ILPES – Instituto Latinoamericano y del Caribe de Planificacións Económica y Social. Chile, 2002. Disponível em: Acesso em 08 ago 2006.

LACOMBE, F. Teoria Geral de Administração. São Paulo: Saraiva, 2009

MEIRINHO, Bruno Cesar Deschamps. Contestado, a modernização incompleta. In: FRAGA, N. C. (Org.) Contestado em Guerra: 100 anos do massacre insepulto do Brasil – 1912-2019. Florianópolis: Insular. 2012. p. 27-44.

PIAZZA, Walter. A colonização de Santa Catarina. Florianópolis: BRDE, 1982.

PORTER, Michael. Estratégia: em busca da vantagem competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1998

QUEIROZ, Maurício Vinhas de. Messianismo e conflito social:a Guerra Sertaneja do Contestado: 1912 – 1916). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1981.

REIS,José Carlos. A História entre a Filosofia e a Ciência. São Paulo: Ática, 1996

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. – 4 ed. 2. reimpr. – São Paulo: Universidade de São Paulo, 2006

SINGER, Paul Israel. O Brasil no contexto do capitalismo internacional 1889-1930. História Geral da Civilização Brasileira. t 2. vol. 1. São Paulo: Difel, 1977.

TOMPOROSKI, Alexandre Assis. O polvo e seus tentáculos: A Southern LumberandColonizationCompany e as transformações impingidas ao planalto contestado, 1910-1940. 2013. 282 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis.

TOPIK, Steven. A presença do Estado na Economia Política do Brasil – de 1889 a 1930. Rio de Janeiro: Ed. Record, 1987.

VALENTINI, Delmir José. Atividades da Brazil Railway Company no sul do Brasil: a instalação da Lumber e a guerra na região do contestado: 1906-1916. 2009. 301 f.Tese (Doutorado em História) PUCRS. Porto Alegre.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. Sao Paulo: Atlas, 2012.

VILAR, Pierre. História marxista, história em construção. In: LE GOFF, Jaques & NORA, Pierre. (org.) História: Novos Problemas. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1979


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com