A CONSTRUÇÃO DE UM NOVO ESTADO: SANTA CATARINA, DO CONTESTADO AO AGRONEGÓCIO

Diego Luz Rocha

Resumo


No presente trabalho buscou-se analisar o processo de formação agroindustrial catarinense através da compreensão histórica das transformações do território da região do Contestado, desde a construção da Estrada de Ferro São Paulo – Rio Grande, que transformou o modo de vida dos caboclos, até a formação agroindustrial e industrial do Estado de Santa Catarina. Através de um levantamento bibliográfico, o artigo apresenta um referencial teórico para compreender a nova atividade econômica do Meio-Oeste catarinense, pautada na agroindústria e fomentada por diversas ações governamentais. Sem deixar de lado a industrialização brasileira, apresenta-se como a indústria de alimentos catarinense se desenvolveu a partir dos anos de 1940, ganhando destaque nacional.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBA, Rosa S. Espaço urbano: os agentes da produção em Chapecó. Chapecó: Argos, 2002.

ANDRADE, Manuel Correia de. Geografia econômica. 11. ed. São Paulo: Atlas, 1991.

BRUM, Argemiro. J. Desenvolvimento econômico brasileiro. 17. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

CAMPOS. Indio. Os colonos do Rio Uruguai: relação entre a pequena produção e a agroindústria no Oeste Catarinense. 1987. 370 f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Universidade Federal da Paraíba - UFPB. Campina Grande, 1987.

CUNHA, Idaulo José. O salto da indústria catarinense: um exemplo para o Brasil. Florianópolis: Paralelo 27, 1992.

ESPÍNDOLA, C. J. As agroindústrias da carne do Sul do Brasil. 2002. 261 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade de São Paulo - USP. São Paulo, 2002.

______. A internacionalização do agronegócio brasileiro de carnes: a trajetória da Brasil Foods. In: VI CONGRESSO IBEROAMERICANO DE ESTUDIOS TERRITORIALES Y AMBIENTALES, 2014, São Paulo. Anais eletrônicos... São Paulo, 2014. Disponível em:

FRAGA, N.C. Vale da Morte: o Contestado visto e sentido. Blumenau: Editora Hemisfério Sul, 2010.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1959.

GOULARTI FILHO, Alcides. Formação econômica de Santa Catarina. Florianópolis: UFSC, 2007.

GRAZIANO DA SILVA. A nova dinâmica da agricultura brasileira. Campinas: UICAMP, 1996.

ICEPA/SC - Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina. Perspectivas para a agricultura familiar. Horizonte 2010: Florianópolis, 2002.

LAPLANE, M. O complexo eletrônico na dinâmica industrial dos anos 80. 1992. 340f. Tese (Doutorado em Economia). Campinas: UNICAMP.IE. 1992.

LOPES, Mauro. O poder das coalizões políticas de grupos de interesses de bloquear o desenvolvimento agrícola. In: Desenvolvimento agrícola na década de 90 e no século XXI. Ed. Ely Cardoso Teixeira. Viçosa: 1993, p. 106-129.

MATTOS, F. M. A industrialização catarinense. Florianópolis: UFSC, 1968.

MELLO, João Manuel Cardoso de. O capitalismo tardio: contribuição à revisão crítica da formação do desenvolvimento da economia brasileira. 10 ed. Campinas: Unicamp, 1998.

MÜLLER, Geraldo. As relações micro-macro e indústria agroalimentar: o poder econômico e a pesquisa em ciências sociais. Rascunho. Araraquara, n. 1, p. 1-53, jun. 1989.

PERTILE, NOELI. A formação do espaço agroindustrial em Santa Catarina: o processo de produção de carnes no Oeste catarinense. 2008. 322 f. Tese (Doutorado em Geografia). Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Florianópolis, 2008.

RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do poder. São Paulo: Ática,1993.

SANDRONI, Paulo (Org.). Dicionário de economia. 3. ed. São Paulo: Editora Best Seller, 1989.

SANTOS, Milton. Metamorfose do espaço habitado: fundamentos teóricos e metodológicos da Geografia. São Paulo : Hucitec, 1996

SILVA, Sérgio. Expansão cafeeira e origens da industrialização no Brasil. São Paulo: Alfa Ômega, 1976.

SINGER, Paul. A formação da classe operária: o que é classe operária?: a classe operária no Brasil: a sua formação e reprodução. São Paulo: Atual; Capinas: Unicamp, 1985.

TAVARES, Maria da Conceição. Ciclo e crise: o movimento recente da industrialização brasileira. Campinas: Unicamp, 1998.

VALENTINI, D. J. Atividades da Brazil Railway Company no sul do Brasil: a instalação da Lumber e a guerra na região do contestado: 1906-1916. 2009. 301f. Tese (Doutorado em História) Porto Alegre: PUCRS, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com