AS DIVERSAS FACES DA FOME: UMA DISCUSSÃO GEOGRÁFICA DA FOME A PARTIR DO CONCEITO DE TERRITÓRIO.

Wagner Willians Alves, Vanessa Maria Ludka

Resumo


A fome não é um fenômeno natural, ela é produzida a partir das relações sociais em um determinado espaço. Este artigo tem como objetivo compreender a inter-relação da fome e o território, sob uma perspectiva geográfica. Metodologicamente esse trabalho foi realizado por meio de pesquisas bibliográficas e arquivos digitais. Para a compreensão desse assunto buscou-se um embasamento teórico em pesquisadores que discutem a fome, como Josué de Castro (1966, 1982, 2003), um dos pioneiros na pesquisa sobre fome no país, e Claude Raffestin (1980), o qual pesquisa o conceito território, além de outros autores. Ao discutir a fome pelo viés geográfico deve-se também discutir o território, pois ambos são produções humanas, portanto não nascem sozinhas, revelam-se a partir de quando o homem começa a acumular riquezas e a estabelecer fronteiras defensivas as quais dificultam a distribuição das riquezas, surgindo assim a fome.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com