CIÊNCIA E ARTE: UMA ANÁLISE DO USO DA COMUNICAÇÃO VISUAL COMO MEIO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

Luciano da Silva Vidal, Carlos Roberto dos Anjos Candeiro

Resumo


Este estudo teve como objetivo se aproximar de alguns aspectos subjetivos presentes na reconstrução e representação de seres já extintos: os dinossauros. É uma análise sobre o processo da formação de ícone até a reconstrução iconográfica de uma ilustração que mais adiante passa a ser um elemento importante na divulgação científica. Com o latente movimento de descobertas científicas das últimas décadas cresceu o número de trabalhos científicos publicados propondo novas teorias sobre como eram e como viveram os dinossauros. No entanto, e na grande maioria, as descobertas visam uma linguagem sóbria e universal ao meio acadêmico respeitando normas estabelecidas pelas próprias academias. Para popularizar o conhecimento científico obtido na paleontologia é necessária uma forma simples de propagar os conteúdos restritos aos estudiosos das Ciências. Um dos meios de facilitação do entendimento acadêmico é a paleoarte, que mistura Ciência e Arte a fim de disseminar o conhecimento científico. 


Palavras-chave


Paleoarte; Ilustração científica; Semiótica

Texto completo:

PDF

Referências


AURÉLIO B.H.F. Minidicionário Aurélio. 1° Ed, 7° Impressão. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1977. 688p.

CARNEIRO, Diana. Ilustração botânica: princípios e métodos. Curitiba: Editora UFPR, 2011. 225p.

CHALMERS, Alan F. O que é ciência afinal? Editora brasiliense, 1993. 210p.

CORREIA, Fernando Jorge. FERNANDES, Ana Silva. Desenhar para (re)conhecer: o papel da ilustração científica nas missões científicas do espaço lusófono. atas do congresso internacional saber tropical em moçambique: história, memória e ciência. IICT – JBT/Jardim Botânico Tropical. Lisboa, 2012. 24-26.

DAMATTA, Roberto. Relativizando: uma introdução à Antropologia Social. Petrópolis Vozes, 1987. 2.ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1993. 246p.

GOMBRICH, Ernest Hans. A História da Arte. 16.ed. Rio de Janeiro: LTC, 2010. 688p.

MANZIG, Paulo César. WEINSCHÜTZ, Luiz Carlos. MUSEUS & FOSSEIS da região sul do Brasil. 1° Ed. Marechal Cândido Rondon: Germânica, 2012. 306p.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica, São Paulo: Perspectiva, 2005. 337p.

PIGNATARI, Décio. Informação, Linguagem, Comunicação. São Paulo: Editora Perspectiva, 1968. 144p.

PROENÇA, Graça. Historia da Arte. 17.ed. São Paulo: Ática, 2012. 448p.

POUGH, Hevery F. JANIS, Chistine M. HEISER, John B. A Vida dos Vertebrados. São Paulo: Atheneu Editora - 4. Ed, 2008. 798p.

RIBEIRO, Rodolfo Nogueira. A Intervenção do Desgin na Paleontologia. Projeto de Conclusão de Curso de Desenho Industrial com habilitação em Programação Visual, do Campus de Bauru – UNESP, realizado pelo Discente Rodolfo Nogueira Soares Ribeiro - RA 532215 - sob orientação do Prof. Dr. Milton Koji Nakata. Bauru, 2009.

SANTOS, José Luiz dos. 2009. O que é Cultura. São Paulo: Brasiliense. 1ª edição, 16ª edição. 73p.

SANTAELLA, Lúcia. NÖTH, Winfried. IMAGEM: Cognição, semiótica, mídia. 1° Ed. São Paulo: Iluminuras, 222p.

SOARES, Magda. As condições sociais da leitura: uma reflexão em contraponto. In: Zilberman R.S.E.T. (Org.). Leitura: perspectivas disciplinares. São Paulo: Ática, 2000. p. 18-29.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com