Teores de flúor nas águas de abastecimento público de Londrina (PR) no ano de 2011

Lucas Fernando Bertacco da Silva, Angela Golono de Deus, João Carlos Alves, José Paulo Peccinini Pinese

Resumo


A fluoretação das águas de abastecimento público, ação política governamental iniciada nos Estados Unidos na década de 1950 e amplamente adotada por outros países, com o objetivo de prevenir a proliferação de cárie dental, tem sido alvo de criticas por pesquisadores e profissionais ligados à área de saúde, considerando que o consumo de flúor em quantidades determinadas pode ocasionar patologias. O município de Londrina, situado na área de abrangência da Bacia do Rio Tibagi na região norte do Paraná, promove a fluoretação das águas de abastecimento público. Contudo pesquisas realizadas no estado do Paraná demonstraram que na região de Londrina, há concentrações elevadas de flúor em águas naturais. Neste contexto, o presente trabalho tem por objetivo espacializar e avaliar através de estudos hidrogeoquímicos, a concentração dos teores de fluoreto nas águas superficiais de abastecimento público no ano de 2011. Também busca-se avaliar se as concentrações deste elemento químico estão em concordância com a Legislação vigente, justificando assim a necessidade real da fluoretação. Para tanto, serão avaliadas amostras de água tratada pela Companhia de Saneamento do Paraná - SANEPAR, cujas análises químicas foram realizadas pela técnica da Potenciometria no Laboratório de Química da Universidade Estadual de Londrina. Os laudos quantificados atenderam solicitação da Vigilância Sanitária, os quais foram tabulados no software Excel 2010 e espacializados no software ArcGIS 10.1 e Surfer 10.0.


Palavras-chave


Geografia da Saúde; Flúor; Política de fluoretação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABO. Associação Brasileira de Odontologia. Saúde Bucal. Disponível em: < http://www.abo.org.br/revista/78/materia-8.php > Acesso: 15 abr. 2014.

BRASIL. Decreto nº 76.872, de 22 de dezembro de 1975. Regulamenta a Lei nº 6.050, de 24 de maio de 1974, que dispõe sobre a fluoretação da água em sistemas públicos de abastecimento. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 dez. 1975. 93

______. Lei nº 6.050, de 24 de maio de 1974. Dispõe sobre a fluoretação da água em sistema de abastecimento quando existir estação de tratamento. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 27 maio 1974.

______. Ministério da Saúde. Portaria nº 635, de 26 de dezembro de 1975. Aprova normas e padrões sobre fluoretação da água dos sistemas públicos de abastecimento,destinada ao consumo humano. Diário Oficial [da] União, Brasília, Poder Executivo, DF, 26 dez. 1975.

CANGUSSU, M. C. T.; NARVAI, P. C.; FERNANDEZ, R. C.; DJEHZIAN, V. A fluorose dentária no Brasil: uma revisão crítica. Caderno Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 18. p. 7-15, Jan-Fev. 2002.

COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ – SANEPAR. Relatório de qualidade da água e resultados de análises. 2013. Disponível em: . Acesso em: 4 Mar. 2014.

CONNET, P. 50 Reasons to Oppose Fluoridation. Disponível em: http://fluoridealert.org/articles/50-reasons/. uptadet september 2012. Acesso em: 28 out. 2013.

CURY, J. A. Uso do Flúor e o Controle da Cárie como Doença. In: BARATIERI, L. N. (Org.). Odontologia Restauradora - Fundamentos e Possibilidades. São Paulo: Santos & Quintessence, 2001, p. 33-68.

______. Dentifrícios: como escolher e como indicar. In: APCD. (Org.). Odontologia. São Paulo: Artes Médicas - Divisão Odontológica, 2002, v. 4, p. 281-295.

______ . Fluoretação da água: Benefícios, riscos e sugestões. ROBRAC. Revista de Odontologia do Brasil Central, v. 2, n.5, p. 32-34, 1992.

DIESENDORF, M.; SUTTON, P. R. N. Fluoride: New Grounds for Concern. Ecologist, v. 16, n.6, p. 237-246, 1986.

DISSANAYAKE, C.B; CHANDRAJITH, R. Introduction to medical geology: Focus on tropical environments. Berlin: Springer, 2009.

FUNASA. Manual de fluoretação da água para o consumo humano. Brasília, 2012.

INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ -IAPAR. Médias históricas em estações do IAPAR. 2013. Disponível em: < http://www.iapar.br/arquivos/Image/monitoramento/Medias_Historicas/Londrina.htm >. Acesso em 10 abr. 2014.

GATRELL, A.; ELLIOTT, S. J. Geographies of health: an introduction. 2 ed. Oxford: Blackwell, 2009.

GOLONO DE DEUS, A. Levantamento dos teores de flúor nas águas subterrâneas do setor norte da 17ª regional de saúde do Paraná e implicações à saúde coletiva. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia) – Departamento de Geociências, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2013.

LICHT, A. B. O. Geoquímica multielementar de superfície na delimitação de riscos e impactos ambientais, estado do Paraná, Brasil. SILVA, C. R; FIGUEIREDO, B. R; CAPITANI, e. M; cunha, F. G. (Org.). Geologia Médica no Brasil: efeitos dos materiais e fatores geológicos na saúde humana e meio ambiente. Rio de Janeiro: CPRM- Serviço Geológico do Brasil, 2006. p. 21-35.

MARIMON, M. P. C. O flúor nas águas subterrâneas da formação Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires, RS, Brasil. 2006. Tese (Doutorado em Geociências) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PARANÁ. SECRETÁRIA DE SAÚDE. Saúde bucal 2013. Disponível em: < http://www.sesa.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=2896>. Acesso em 29 ago. 2013.

PINTO, V.G. Saúde bucal coletiva. 4.ed. São Paulo: Santos; 2000.

RAMIRES, I.; BUZALAF, M. A. R. A fluoretação da água de abastecimento público e seus benefícios no controle da cárie dentária - cinqüenta anos no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, vol. 12, n. 4, jul-ago, 2007, pp. 1057-1065, Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Brasil.

SABESP, Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo. Fluoretação. Disponível em: < http://site.sabesp.com.br/site/interna/Default.aspx?secaoId=33 > Acessado: 15 abr. 2014.

SANTOS, Flávia. Geografia Médica ou Geografia da Saúde? Uma Reflexão. Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, v. 1, n. 32, p. 41-51, jan/jun 2010.

VIEGAS, A. R.; VIEGAS, I.; CASTELLANOS, R. A. Fluoretação da água de abastecimento público. Revista da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas, São Paulo, v. 41, n. 4, 1987, p.2002-2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Geographia Opportuno Tempore
UEL - Londrina
EISSN: 2358-1972
E-mail: revista.opportuno.tempore@gmail.com