REVISTA ELETRÔNICA: PRO-DOCÊNCIA - ISSN 2318-0013

 
ISSN 2318-0013

 O projeto: “PRODOCÊNCIA: Enfrentando os desafios das Licenciaturas na
formação inicial e continuada de professores: a inclusão em debate”, da
Universidade Estadual de Londrina - UEL (2010/2013), tem por objetivo
geral: Contribuir para reflexão e formação inicial e continuada dos
professores, em diferentes contextos, a respeito das implicações
educacionais, políticas e sociais da educação inclusiva, promovendo a
integração entre os diferentes níveis educacionais, no enfrentamento
dos desafios da educação inclusiva, da disseminação da cultura
inclusiva e do fomento de novas metodologias de ensino.
O projeto envolve hoje todas as Licenciaturas da instituição e suas ações
estão divididas em seis metas, subdivididas nas suas respectivas etapas de
trabalho, como podem ser visualizadas na sequência:

PRIMEIRA META: realização de formação continuada de professores da
Educação Básica e da UEL acerca das temáticas “inclusão” e NEE; fomentar
ações específicas de formação inicial diferenciada com licenciandos, a
respeito dos mesmos conteúdos.
1ª. ETAPA: reuniões sistemáticas com as escolas, com o NRE/Londrina e com
representantes de cada licenciatura para apresentação da proposta e
divulgação das ações do projeto, buscando juntos a implementação de
práticas inclusivas;
2ª. ETAPA: organização de diferentes eventos (curso de formação
continuada, Ciclos de debates, Jornadas sobre “Estágio e Inclusão”),
internos e externos a UEL, envolvendo todas as licenciaturas e as escolas
parceiras, em especial
3ª.ETAPA: contratação de serviços de terceiros (técnicos em informática,
editores, serviços de gráfica) necessários ao desenvolvimento das ações e
aquisição de materiais (papel sulfite, canetas, CDs e outros materiais
gráficos) necessários à implementação das propostas nas escolas, como a
organização de Revista Online;
4ª. ETAPA: organização de “Mostra de Práticas Inclusivas”, de material
didático sobre inclusão com os professores da UEL e da Educação Básica,
5ª. ETAPA: avaliação, disseminação do projeto em Congressos e demais
eventos da área;
6ª. ETAPA: organização de livros em que haja a disseminação parcial e
final do projeto nesta edição;
7ª. ETAPA: organização de dois Cadernos de Metodologias sobre Práticas
Inclusivas (com artigos, planos de aula, sugestões didáticas e relatos de
experiências dos professores);

SEGUNDA META: capacitação para estudantes das licenciaturas de História e
Ciências Biológicas, professores da rede pública e Superior de Ensino,
alunos das pós graduações em Ciências Biológicas e História Social, alunos
da Rede Básica de Ensino e membros da comunidade em geral (visitantes
museus/ exposições itinerantes), assim como demais envolvidos para
compreensão e exploração dos museus como espaço educativo e de
reconhecimento de diversidades.
1ª. ETAPA: Instalação de grupo de trabalho sobre “Museu como espaço de
identidades e necessidades educacionais de cegos e surdos”, envolvendo
professores, estudantes das Licenciaturas de Ciências Biológicas e
História e técnicos atuando em museus. Esta ação visa a consolidação da
reflexão e preparação do espaço dos museus envolvidos e suas equipes para
a inclusão de pessoas com necessidades educacionais especiais na fruição
dos seus acervos e atividades educativas oferecidas à população em geral,
assim como da formação de professores para o atendimento de necessidades
de estudantes com necessidades educacionais especiais da escola básica. O
grupo de trabalho também orientará licenciandos na produção de materiais
relativos às exposições dos museus e para atividades de ação educativa
dirigidos a pessoas cegas ou surdas. Nessa etapa, ainda, ocorrerá a
preparação de infraestrutura (materiais pedagógicos, equipamentos,
montagem website) para o desenvolvimento das demais etapas, bem como
visitas técnicas à outras instituições com experiências de exposições e em
atendimento de público surdo ou cego.
2ª. ETAPA: Oferta de cursos e oficinas para professores da rede básica de
ensino, estudantes das licenciaturas e apoiadores de ações educativas
dirigidas às pessoas com necessidades educacionais especiais,
particularmente àqueles que atuam junto a estudantes cegos e surdos,
buscando instrumentalizá-los para a exploração dos museus envolvidos como
espaços educativos também para este visitante. Esses cursos e oficinas
precederão a instalação de fórum permanente de debate envolvendo
professores da rede de ensino básico e superior, estudantes da gradução e
pós-graduação, técnicos dos museus.
3ª. ETAPA: Montagem de exposições temporárias pelos três museus
envolvidos que contemplem a inclusão de público surdo ou cego. Preparo
dos materiais de exposição, produção de catálogos e materiais de ação
educativa, preparação de técnicos e estudantes para monitoria de
exposição dirigida a cegos ou surdos, bem como ação educativa para o
público em geral. Visitação às escolas participantes com oferta de
oficinas aos estudantes do ensino fundamental e médio em preparação da
sua visita às exposições nos museus (pré-visita). Monitoria da visitação
de escolas às exposições.
4ª. ETAPA: Oferta de exposição itinerante para as escolas básicas com
parte dos materiais expostos dos museus, após o encerramento da mostra.
As escolas estabelecerão o seu próprio roteiro e escolherão materiais
disponíveis para atender seus interesses temáticos. Para as escolas
envolvidas serão oferecidas oficinas de sensibilização para os estudantes
e professores em vista da monitoria na visitação de pessoas surdas ou
cegas e para o reconhecimento de identidades e diversidades.
5ª. ETAPA: Estabelecer orientações gerais para a ação educativa dos
museus envolvidos, contemplando o atendimento de pessoas surdas ou cegas.
Análise das experiências e disseminação dos resultados como produção
bibliográfica para periódico e em eventos na Universidade Estadual de
Londrina e outras instituições.

TERCEIRA META: Implementar o projeto “Inclusão Científica: ensino e
aprendizagem de Química” por meio de encontros temáticos para alunos de
licenciatura em Química da UEL e professores da rede pública de ensino.
1ª.ETAPA: apresentação do subprojeto aos alunos matriculados na disciplina
Química na Escola II
2ª. ETAPA: discussão com os alunos acerca da temática alfabetização
científica.
3ª. ETAPA: elaboração e desenvolvimento pelos alunos, em grupos, sob a
supervisão dos professores vinculados ao projeto, de encontros temáticos
que contemplem temas relacionados ao cotidiano (alimentos, recursos
naturais, medicamentos, entre outros) e a utilização de estratégias de
ensino (experimentação, TIC´s, atividades lúdicas, entre outras), para se
trabalhar conceitos científicos, em especial relacionados a disciplina de
química.
4ª.ETAPA: apresentação dos encontros temáticos as demais turmas do curso
de Química/Licenciatura e aos professores e alunos da rede pública de
ensino, na forma de um evento programado para meados de novembro/2012,
sob o título provisório de “I Oficina Temática: Química na Escola”.
5ª. ETAPA: disseminação dos resultados alcançados nesses encontros, em
eventos e periódicos da área.
OBS: Para o ano seguinte, estas etapas serão novamente seguidas, no
entanto com os "novos" alunos matriculados, sugerindo outros temas e
outras estratégias.
EXPLICAÇÃO DA META: discutir sobre a alfabetização científica com alunos
da graduação e a organização/realização de encontros temáticos. Esses
encontros serão organizados pelos alunos matriculados na disciplina de
Química na Escola II, sob a supervisão dos professores vinculados ao
projeto, e oferecidos aos demais alunos do curso e professores da educação
básica, com a finalidade de debater sobre a alfabetização científica no
ensino de Química. Os encontros contemplarão atividades relacionadas ao
desenvolvimento de estratégias inovadoras de ensino e estarão vinculados a
temas relacionados ao cotidiano (alimentos, recursos naturais,
medicamentos, entre outros), buscando promover uma melhoria no processo de
formação inicial e continuada dos profissionais da educação, bem como um
aumento na qualidade do processo de ensino e aprendizagem dos alunos da
educação básica.

QUARTA META: Implementar o projeto “A inclusão educacional na perspectiva
da Inclusão Matemática” que objetiva refletir sobre as práticas inclusivas
na formação inicial e continuada de professores que ensinam Matemática na
Educação Básica, para estudantes da UEL e professores do Núcleo Regional
de Londrina.
1ª. ETAPA. Organizar um grupo de estudos e pesquisa sobre a diversidade e
a inclusão matemática.
2ª. ETAPA. Realizar intercâmbio entre grupos de estudo e pesquisa que
investigam proposições
alternativas para o desenvolvimento de práticas inclusivas de Matemática.
3ª. ETAPA. Produzir material didático para o ensino de Matemática
direcionado à proposta de inclusão em forma de cadernos e/ou materiais
manipuláveis.
4ª. ETAPA. Implementar e avaliar as ações que forem desenvolvidas no
grupo de estudo e pesquisa no que tange às propostas alternativas
elaboradas.
5ª. ETAPA. Disseminar as atividades desenvolvidas e os resultados
obtidos em eventos da área de Educação Matemática.
OBSERVAÇÃO: Este projeto tem como alvo os jovens e adultos que estão em
busca da escolarização básica, pertencentes a EJA. Entendemos este grupo
social como pertencentes a uma classe excluída da sociedade e desse modo
pretendemos desenvolver um trabalho que respeite as especificidades destes
estudantes. Buscaremos por uma matemática que atraia e não que exclua, que
desenvolva potencialidades e que não tolhe o potencial de cada um. Para
isto pesquisaremos estratégias metodológicas alternativas pertencentes às
atuais Tendências em Educação Matemática de forma a conceber um trabalho
singular com os estudantes desta classe.
QUINTA META: Implementar o projeto “Inclusão pela linguagem” que busca
discutir de práticas inclusivas na formação de professores de línguas
estrangeiras para alunos de Letras (habilitação em Língua Espanhola e
Literatura Hispânica; Habilitação em Língua Inglesa e Literaturas em
Língua Inglesa).
1ª. ETAPA: Realizar diagnóstico de alunos com baixa proficiência
lingüística através de testes escritos e de compreensão oral;
2ª. ETAPA: Elaborar planos de estudo individualizados e cursos na
plataforma Moodle para serem feitos pelos alunos com baixa proficiência;
3ª ETAPA: Criar cursos na plataforma Moodle e elaborar planos de estudo
para os alunos com baixa proficiência;
4ª. ETAPA: Acompanhar a implementação dos programas de estudo
individualizados e avaliar o desenvolvimento dos alunos
5ª. ETAPA: Editar os materiais elaborados durante as atividades junto aos
alunos com baixa proficiência para disponibilizar para outros usuários no
futuro;
6ª. ETAPA: Realizar a disseminação dos resultados em eventos na área de
formação de professores de línguas estrangeiras.
SEXTA META: Realização de estágio obrigatório para estagiários, no
contexto de inclusão pelos professores de Letras (habilitação em Língua
Espanhola e Literatura Hispânica; Habilitação em Língua Inglesa e
Literaturas em Língua Inglesa).
1ª. ETAPA: Identificar escolas em situação de inclusão e selecionar
estagiários
2ª. ETAPA: Elaborar plano de curso e desenvolver material didático voltado
para as necessidades especiais dos alunos em situação de inclusão
3ª. ETAPA: Realizar o estágio iniciando com uma fase de observação de
aulas para identificação das necessidades especiais dos alunos, passando
para uma fase de participação nas aulas regidas pela professora da turma e
posteriormente de regência;
4ª. ETAPA: Avaliação e edição dos materiais utilizados nas situações de
inclusão
5ª. ETAPA: Realizar a disseminação dos resultados em eventos da área de
formação de professores e de educação.

© 2007 Universidade Estadual de Londrina
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 6001 | CEP 86051-990 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4000 | Fax: (43)3328-4440
e-mail: revistaprodocencia@hotmail.com