TEMPERATURA APARENTE DA SUPERFÍCIE

Voltar a pagina principal

Andrey Olak Alves, Mirian Vizintim Fernandes Barros; Rosely Sampaio Archela; Omar Neto Fernandes Barros; Hervé Théry; Neli Aparecida de Mello. Lúcia Helena Batista Gratão

 

 

O mapa referente à temperatura aparente da superfície observada na cidade de Londrina, foi elaborado a partir da metodologia utilizada no Atlas Ambiental do Município de São Paulo (SÃO PAULO, 2002). Foi elaborado a partir de técnicas de processamento digital da banda termal de alto ganho (TM6+) da imagem captada pelo sensor do satélite ETM-Landsat 7 no dia 28 de junho de 2002, que apresentou uma variação de temperatura entre 15 a 27o C (tabela 15).

O mapa apresentado reflete uma distribuição quantitativa da temperatura aparente da superfície registrada pelo sensor termal captada pelo satélite ETM-Landsat 7 em 28 de junho de 2002 e permite visualizar a variação de temperaturas nas diferentes áreas da cidade.

As temperaturas mais amenas ocorrem nas áreas de fundo de vale que apresentam cobertura vegetal, especialmente no vale do Ribeirão Cafezal e do Ribeirão Três Bocas, devido às maiores declividades (vertentes com inclinação de 30 o a 45 o)  e menores altitudes (de 430 a 470m). A presença de vegetação como a do Parque Arthur Thomas, a mata da UEL, o bosque central e outros fragmentos de mata dispersos na cidade, também contribuem para a formação de ilhas com temperaturas mais amenas.  A concentração de grandes edifícios cuja projeção de suas sombras, em conjunto com outros elementos como ventos, contribui para este quadro específico.

Temperaturas mais elevadas ocorrem nas principais vias de ligação da cidade (avenida Tiradentes, avenida Brasília, avenida Arcebispo Dom Geraldo, avenida Dez de Dezembro e Rodovia Celso Garcia Cid) devido a pavimentação. As altitudes mais elevadas nos interfluvios também contribuem para a elevação das temperaturas assim como as amplas construções como o Shopping Center Catuaí, Instituto Agronômico do Paraná - IAPAR, Aeroporto de Londrina e outras que possuem grandes áreas de estacionamento. A influência dos materiais encontrados nas superfícies registradas pelo sensor termal e as respectivas temperaturas aparentes reveladas (por exemplo, respostas de temperaturas mais elevadas nas áreas industriais), provavelmente são decorrentes da grande refletância de suas coberturas compostas de telhas de fibrocimento/cimento amianto e metálicas.  Nas áreas periféricas onde predomina a atividade agrícola, devido à presença de solo exposto, as temperaturas são mais elevadas.

 

Tabela 15 - Classes de temperatura aparente da superfície em 2002

CLASSES ÁREA Km2
15-17 o C 0.14
17-19 o C 10.36
19-21 o C 64.01
21-23 o C 122.17
23-25 o C 47.09
25-27 o C   5.09

 

Embora esta metodologia não utiliza dados de temperatura coletada diretamente no campo, observa-se um resultado aproximado às informações coletadas junto ao IAPAR (2007). A distribuição da temperatura aparente evidencia a importância da cobertura vegetal para a minimização das temperaturas na cidade.