IPAC/LDA - Inventário e Proteção ao Acervo Cultural de Londrina

Livro "Vila Casoni: retratos de um bairro londrinense"

Ano de publicação: 1998

Esta publicação foi o modo que encontramos de fazer retornar, aos moradores da Vila Casoni, o produto de um trabalho em conjunto que envolveu o Grupo IPAC - Lda e a comunidade do bairro, percorrendo as ruas da Vila, visitando as casas de seus moradores, participando de festas e vivenciando as relações cotidianas do bairro. Recolhemos, com a colaboração de seus moradores, um sugestivo material fotográfico e de depoimentos que nos permitiu compor um álbum de retratos da Vila Casoni, compondo o resgate de uma parte relevante da história de Londrina. Houve também a produção de um vídeo que acompanhou a publicação do Caderno "Onde o bairro é a casa".

Livro: "Onde o bairro é a casa"

Ano de publicação: 1989

Este caderno revela o modo de vida dos moradores de um dos bairros mais antigos de Londrina - a Vila Casoni - a partir de suas práticas e relações sociais, seus costumes e suas ideias, por entendermos que representam aspectos importantes para a compreensão das manifestações culturais de Londrina.

Livro: "Heimtal: O passado e o presente no vale dos alemães"

Ano de publicação: 1993

Este livro procurou trazer à cena a memória coletiva de um território de Londrina, o Heimital, o antigo "Vale dos Alemães", representou investigar e interpretar atos microscópicos , considerando gente, espaço e tempo como dimensões indissociáveis. Embora essa localidade faça parte de um processo mais amplo de colonização da região norteparanaense foi possível discortinar particularidades de um "jeito de se viver", no passado e no presente, em que atores sociais construíram a sua identidade, reconhecenndo-se semelhantes e se percebendo diferentes de tantos outros protagonistas da região. Do Heimital "falam de si, para si" e da cidade, vivenciando uma cotidianidade específica marcada por determinados laços de interação, fundamentados na família, no parentesco, na vizinhança e no entrelaçamento de valores étnicos. 

Livro:"Memória & Cotidiano: cenas do Norte do Paraná: Escritos que se recompõem.

Ano de publicação: 1995

"Memória e Cotidiano", tema de uma coluna de jornal, compôs uma série de publicações, que fez parte das notícias da cidade, revelando cenários e personagens num espaço cedido pela Folha de Londrina, ao IPAC - Lda, no período de junho de 1988 a julho de 1993. O Caderno reuniu comunicações que permitiram evocar o cotodiano do passado da região, através da "leitura" hodierna daqueles que vivenciaram outras épocas, aliando-se as imagens iconográficas cedidas pelos inúmeros moradores do norteparanaense que comporam as lembranças, e portanto, a memória desta região. 

Livro: "Rolândia: a casa dos alemães"

Ano de publicação: 1995

Compor este caderno sobre as " fazendas dos alemães" significa trazer à cena o material pesquisado que revela tanto os aspectos culturais, quanto os aspectos ligados à qualidade de vida, preservando o meio ambiente e valorizando a arquitetura de madeira. As imagens iconográficas, os depoimentos e o levantamento arquitetônico mostram as especificidades do jeito de ser alemão em Rolândia. Cabe ressaltar que esta publicação é um resultado das discussuções sistemáticas dos conceitos que envolvem a noção de Patrimônio Cultural, com diferentes profissionais integrantes do Projeto IPAC - Lda, tais como arquitetura e ciências sociais.

Livro: "Ribeirão Claro: Patrimônio e Memória Coletiva"

Ano de publicação: 1999

O trabalho sobre Ribeirão Claro se apresentou para os pesquisadores do IPAC - Lda, como uma oportunidade de investigar uma cidade que nasceu no começo do século XX, resultante da expansão da cafeicultura no Paraná. Procuramos identificar as construções e as marcas dos casarios de alvenaria da cidade, o que significou ver no cotidiano o diferente, o novo - ainda que este pareça "velho conhecido", pois no início tentávamos encontrar características de estilo como: neoclássico, art nouveau, colonial brasileiro, quando, o que contava era a singileza e a simplicidade decorrentes da adaptação desses estilos às condições e recursos disponíveis do local. Outro fator relevante em nossa pesquisa, foi o levantamento da relação entre moradores de Ribeirão Claro e a Ponte Pênsil Alves Lima já tombada desde 1985 pelo CONDEPHAT do Estado de São Paulo. Deste modo, procuramos apreeender como a população ribeirãoclarense reconhece o patrimônio histórico, mas também como ressignifica o seu patrimônio cultural. Esta metodologia, foi orientada pela ideia de memória coletiva , criando oportunidades de identificação de "outros bens", que nas políticas oficiais de preservação nem sempre assumem relevância. Após nosso trabalho, houve o tombamento da ponte Pênsil Alves Lima pelo CEPHA, além da compra da casa de Luís Carlos Paraná (músico e compositor da cidade), pela Prefeitura, para a instalação da Secretaria Municipal de Cultura.  

Livro: "Memória e Cotidiano do Bosque"

Ano de publicação: 2007

Este livro é parte de uma proposta mais ampla de leitura dos usos e apropriações dos espaços da cidade. Registra o modo como os diferentes frequentadores do Bosque Mal. Cândido Rondon - área verde do centro de Londrina, existente desde o início da colonização da região - significam e (re)significam o presente e o passado do local, relacionando-o à memória da cidade e do Norte do Paraná. É uma leitura orientada por uma visão de Patrimônio Cultural que abrange não apenas os bens materiais, mas, sobretudo, a produção e reprodução de bens simbólicos.

© Universidade Estadual de Londrina
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10011 | CEP 86057-970 | Londrina - PR

e-mail: jairo@uel.br