U E L  » Vestibular · Graduação · Pesquisa/Pós-Graduação · Extensão · Reitoria · Órgãos Suplementares · Órgãos de Apoio   


 
Ano 4 · Edição número 6 · ISSN: 1678-1317 ·   Dezembro de 2006.    Busca   


Artigos  Relatos/Opiniões  Livros/Revistas  Entrevistas  Ed. Anteriores  Expediente  Normas Publicação  


PROJETO DE ASSISTÊNCIA INTERDISCIPLINAR AO IDOSO EM NÍVEL PRIMÁRIA (PAINP): A busca de uma prática possível

autor: Mara Solange Gomes Dellaroza – Mestre do Depto. Enfermagem – UEL; Celita Salmaso Trelha – Mestre do Depto. Fisioterapia – UEL; Kyiomi Nakanishi Yamada – Especialista do Depto. Enfermagem – UEL; Marcos Aparecido Sarria Cabrera – Doutor do Depto. Clínica M


Resumo

Este relato refere-se ao Projeto de Assistência Interdisciplinar ao Idoso em Nível Primário (PAINP), projeto de extensão do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Londrina (UEL) com o enfoque na formação de profissionais cidadãos. Participam do projeto professores e alunos das áreas de enfermagem, medicina, fisioterapia e serviço social; profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e da Secretaria de Saúde do município de Londrina e a comunidade. O projeto tem o propósito de promover um programa de assistência interdisciplinar ao idoso em nível de atenção básica em uma área de abrangência de uma Unidade Básica de Saúde. As atividades desenvolvidas pelos integrantes do projeto foram: caracterização dos idosos e cuidadores, participação em ações educativas, assistência interdisciplinar aos idosos com alta dependência funcional, e formação do grupo de capacitação de cuidadores informais e capacitação de cuidadores formais (profissionais da UBS). O Projeto tem se mostrado extremamente importante para introduzir ou reforçar a questão do envelhecimento tanto na Universidade quanto no serviço de assistência primária. A instituição de ensino superior necessita criar um ambiente acadêmico que se responsabilize pela constante reflexão e proposição de alternativas racionais e de acordo com a realidade das necessidades de saúde da população idosa.

Palavras chave: idosos, atenção primária, cuidadores.





     


Introdução

       Segundo dados do IBGE (2003) a expectativa de vida atual da população brasileira, está em torno de 71,3 anos, devendo continuar subindo nos próximos anos. O envelhecimento é uma complexa condição de morbidades com ocorrência concomitante de doenças, medicamentos, incapacidades funcionais e aumento da letalidade (World Heatlh Organization, 2003). Esta realidade biológica se sobrepõe a situação psico-social vulnerável determinada por fatores relacionados ao indivíduo, sociedade, serviços e instituições (Organização das Nações Unidas, 2003). Outro grande desafio é apresentado aos serviços de saúde: a promoção de um envelhecimento saudável. Assim, o envelhecimento populacional exige maior aprofundamento de seus conceitos na Universidade e a integração desta com instituições prestadoras de serviços em saúde.

       O objetivo é promover um programa de assistência interdisciplinar ao idoso em nível de atenção básica em uma área de abrangência de uma Unidade Básica de Saúde.

Resultados e Discussão

       Participam das ações do projeto a UEL – com professores e alunos das áreas de enfermagem, medicina, fisioterapia, odontologia e serviço social; serviço de saúde; instituições religiosas e lideranças da comunidade; Secretaria de Saúde do município de Londrina e os profissionais das duas Unidades Básicas de Saúde (UBS) envolvidos no projeto. Três equipes multidisciplinares compõem o Programa de Saúde da Família de cada uma destas UBS, com participação de médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde.

       População atendida constitui-se de Idosos que residem na área de abrangência da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Conjunto Habitacional Ruy Virmond Carnascialli e Conjunto Cabo Frio, localizadas na região norte da cidade de Londrina.

       Quadro 01 – População atendida pelo projeto de 2003 a 2006- Londrina 2006

       A partir dos resultados levantados através do perfil dos idosos realizado em 2004, procurou–se discutir com as equipes das UBS os problemas prioritários e definiu-se que a questão prioritária seria avaliar e aprimorar o atendimento a idosos com alto grau de dependência que estavam restritos ao domicílio visando maior efetividade no atendimento e na busca de soluções para seus problemas. A equipe de profissionais da UBS sugeriu um grupo de idosos restritos ao domicílio que poderiam ser incluídos no seguimento. Formaram-se quatro equipes interdisciplinares (1 docente, 5 alunos de diferentes áreas, 1 agente comunitários de saúde) para visitas domiciliares a aproximadamente 30 idosos cadastrados.

       Mensalmente os casos de maior complexidade são discutidos em reuniões envolvendo a participação de alunos, docentes e equipes do PSF em encontros previamente agendados na UBS. Tal estratégia tem garantido a capacitação conjunta dos alunos, docentes e equipe de saúde da UBS. Através de uma discussão interdisciplinar são definidas as ações para o enfrentamento dos problemas identificados. Este momento tem permitido aos profissionais acadêmicos uma aproximação com a realidade do serviço e da comunidade, e, ao serviço uma aproximação com conceitos presentes na academia, o que permite à construção coletiva de conhecimentos aplicáveis a realidade do idoso no seu contexto domiciliar e na atenção básica em saúde.

       Formou-se um grupo de cuidadores familiares que tem se reunido mensalmente nas dependências do salão paroquial da igreja católica do bairro. A cada encontro são selecionados temas de interesse do grupo. Além disso, busca-se assegurar um espaço para a troca de experiências entre cuidadores e a equipe. Membros da equipe da UBS têm participado das reuniões, entre eles agentes comunitários de saúde, enfermeiros e fisioterapeuta do PSF. As observações realizadas pelas equipes do PSF durante as visitas domiciliares também são abordadas nestas reuniões e garantem a integração de todas as ações do projeto.

       Entre os principais resultados obtidos pudemos registrar uma maior sensibilização dos profissionais que atuam na Unidade Básica de saúde, com o desenvolvido uma visão ampliada dos vários fatores que interferem na qualidade de vida e condições de saúde dos idosos.

       Junto a familiares/cuidadores atendidos percebemos uma significativa mudança de estratégias de enfrentamento das dificuldades advindas do processo do cuidar do idoso e do reconhecimento de suas próprias necessidades de saúde e lazer.

       Sensibilização dos discentes envolvidos para as questões referentes ao processo de envelhecimento, e, a necessidade de uma atuação interdisciplinar e inter setorial para que possamos interferir na realidade de saúde dos idosos e familiares. Este resultado é demonstrado pelos muitos trabalhos científicos desenvolvidos pelos alunos do projeto e pela criação no CCS da Liga Acadêmica de Geriatria e Gerontologia por iniciativa de alunos do projeto.

       A experiência dos docentes participantes do projeto gerou a produção de um Manual para cuidadores de idosos depedentes, que encontra-se em fase final de diagramação e foi financiado pelo edital FAEPE 2005.

       O surgimento de um projeto de pesquisa a partir do diagnóstico sobre a alta incidência de dor crônica em idosos, cadastrado na PROPG, código 04212 e com o titulo: Caracterização da Dor Crônica e da Analgesia em Idosos em Atenção Básica de Saúde.

       O reconhecimento externo de nosso trabalho veio através da seleção do projeto no Edital do Ministério da Saúde – Ensina SUS, lançado em 2004 que selecionou 10 experiências acadêmicas voltadas para a integralidade na atenção a saúde. A participação neste edital gerou a publicação de um capítulo de um livro com a experiência do projeto.

Conclusão:

       O conhecimento e o acompanhamento das etapas de desenvolvimento do PAINP nos fazem reconhecer que estamos diante de um desafio difícil, mas possível de ser enfrentado. Devemos criar um ambiente acadêmico nas Universidades que se responsabilize pela constante reflexão e proposição de alternativas racionais de assistência primária. No entanto, a prática nos mostra que essas reflexões não devem ficar isoladas e armazenadas nas produções científicas. Elas precisam “invadir” os cenários de execução das assistências primárias e flexibilizarem-se diante dos balizamentos que a prática e a realidade, certamente, as submeteram.

Referências Bibliográficas:

1- IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Tábuas completas de mortalidade – 2003. Disponível em http://www.ibge.com.br/home/presidencia/noticia . Acesso em: 13 de maio de 2006.

2 -ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Plano de ação internacional contra o envelhecimento, 2002/Organização das Nações Unidas; tradução de Arlene Santos. – Brasília:Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2003. 49 p.

Relatores:

Maurílio de Cássio Golineli – acadêmico de médicina

Andréia Sayuri Tamegushi – acadêmica de fisioterapia




   
 
PROJETO DE ASSISTÊNCIA INTERDISCIPLINAR AO IDOSO EM NÍVEL PRIMÁRIA (PAINP): A busca de uma prática possível
ANÁLISE OBSERVACIONAL DA MARCHA NAS FASES PRÉ E PÓS-APLICAÇÃO DE TOXINA BOTULÍNICA TIPO A NA PARALISIA CEREBRAL MISTA: Estudo de caso
ASSISTÊNCIA INTEGRAL À FAMÍLIA DE PREMATUROS NASCIDOS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO MOTORA GROSSA EM CRIANÇAS COM PARALISIA CEREBRAL POR MEIO DA GMFM-88
ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO E CONTROLE DAS ENTEROPARASITOSES NA POPULAÇÃO DE BAIRROS PERIFÉRICOS DA CIDADE DE LONDRINA- PARANÁ
A PARTICIPAÇÃO DOS ALUNOS DE ODONTOLOGIA NAS ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE REALIZADA NOS CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL
AÇÕES HUMANIZADAS NA PROMOÇÃO, PREVENÇÃO, CONTROLE, TRATAMENTO E CUIDADOS PALIATIVOS AO PACIENTE ONCOLÓGICO E SEUS FAMILIARES
PERFIL DE DOADORAS DE LEITE DO BANCO DE LEITE HUMANO DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE LONDRINA-PR
O ENSINO DO CUIDADO EM SAÚDE GERONTOGERIÁTRICA NO PROGRAMA UNATI - ATUAÇÃO DA ÁREA DE ENFERMAGEM / SAÚDE
PROPAI-DF - PROGRAMA DE PROMOÇÃO E APOIO A INCLUSÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA FÍSICA: UM PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA




· Artigos · Relatos/Opiniões · Livros/Revistas · Entrevistas · Ed. Anteriores · Expediente · Normas Publicação 





 
  Universidade Estadual de Londrina


  Campus Universitário - Cx. Postal 6001 - CEP 86.057-970 - Londrina-PR


  Número de Visitas: