Volume 23 - 2012 Imprimir E-mail

Poesia no Século XX

 
Resp.  Alamir Aquino Corrêa
 
Todos os arquivos estão disponibilizados em formato PDF.

Você precisará do Adobe Reader para lê-los.



Artigo e autor
Páginas

A Lírica Moderna: Diálogos e Permanência

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEMS/PG-USP)

5-16

RESUMO: Nossa preocupação neste trabalho é contribuir para a percepção de que a lírica moderna estabelece um dialogo tensivo face à tradição, tendo por base o conceito de “arte mnemônica” de Baudelaire (1999), aspectos da dialética em Hegel (1986), bem como considerações sobre a lírica moderna em Hugo Friedrich (1991) e Berman (1987). A proposta investiga a metalinguagem como uma das faces da lírica moderna, tomando por base o que Octavio Paz (1994) classifica como princípio crítico e como marca da modernidade e elege como corpus específico do trabalho o poema “Mãos dadas”, de Carlos Drummond de Andrade.
PALAVRAS-CHAVE: modernidade; Drummond; tradição.

ABSTRACT: My concern in this paper is to contribute for the perception that the modern lyrical modern poetry establishes a tense dialogue with tradition based upon Baudelaire’s (1999) concept of the “mnemonic art”, dialectic aspects from Hegel (1986) as well as considerations about the lyric modern poetry by Hugo Friedrich (1991) and Berman (1987). I try to investigate metalanguage as a face of  the modern lyric poetry upon Octavio Paz’s (1994) classifying it as a critical principle and as a mark of the modernity through the analysis of the poem “Mãos dadas” by Carlos Drummond de Andrade.
KEYWORDS: modernity; Drummond; tradition.

Recebido em 16 de abril de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.

A Poesia Contemporânea do Rap: entre o Eu (individual) e o Nós (coletivo)

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UFGD)

17-31

RESUMO: Discutiremos, a partir dos conceitos correntes de poesia, aspectos discursivos, com ênfase no discurso lírico do rap.  Pretendemos, por meio de análises feitas em poemas de rap, pensar os aspectos individuais e coletivos presentes num discurso focado quase sempre na primeira pessoa do singular com oscilação para a primeira pessoa do plural. Assim, pretendemos apontar que o rap é, na modernidade, a poesia produzida de sujeitos socialmente excluídos.
PALAVRAS-CHAVE: rap; discurso subversivo; poesia lírica contemporânea.

ABSTRACT: We discuss, from the current concepts of poetry, discursive aspects, with emphasis on rap’s lyrical discourse. We intend, through the analysis done in rap poems, thinking and uncover aspects of individual and collective gifts in a speech focused almost always the first person singular to swing to the first person plural. Thus, we intend to point out that rap is, in modern poetry produced in socially excluded individuals.
KEYWORDS: rap; subversive discourse; contemporary poetry.

Recebido em5 de abril de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.

Diálogos Poéticos: O Guesa, de Sousândrade, e Pão e Fonema, de Corsino Fortes

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (Unigranrio)

32-43

RESUMO: A partir do conceito de “épica” e da múltipla discursividade produzida por este gênero literário, este texto reflete sobre o herói e discursividade acerca dele em O Guesa, de Sousândrade, e Pão e fonema, de Corsino Fortes, bem como os diferentes contextos literários neles representados. Pretende também estudar como o índio brasileiro e o nativo caboverdiano tornaram-se alegorias de identidades pessoais que representam identidades nacionais e, a partir da teoria pós-colonial, observar novas maneiras de representação da história e da ficção.
PALAVRAS-CHAVE: Heroi; “Épica”; Identidade nacional; Pós-colonialismo.

ABSTRACT: From the concept of “epic” and the multiple discourses this literary gender produces, this text ponders about the hero and the discourses about him in O Guesa, by Sousândrade, and Pão e Fonema, by Corsino Fortes, and the different contexts that emerge from them. We also intend to study how a Brazilian Indian and Cape Verdian natives have become allegories of personal identities that represent national ones, and from post colonial theories on to observe new possibilities of representing history and fiction.
KEYWORDS: Hero; “Epic”;  National identity; Post Colonialism.

Recebido em 29 de maio de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.

O Poema é uma coisa, que não tem nada dentro: Reflexões Metaliterárias na Poesia de Ferreira Gullar

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UFMA)

44-57

RESUMO: Ferreira Gullar é, sem alguma dúvida, um dos grandes mestres da Literatura de língua portuguesa. Sem medo de errar, ele ousa mudar sua linguagem de forma brusca e abrupta mostrando sua eterna preocupação com o ato poético. É fato que esse poeta dedica ao oficio do poeta uma especial atenção, ensinando a seus leitores uma das mais inquietantes indagações acerca da poesia: como fazer poesia? Que musas ou experiências merecem uma poesia? Neste estudo, mostraremos que a poesia de Gullar é um centro de discussões sobre a literatura e seu futuro enquanto obra literária.
PALAVRAS-CHAVE: Poesia; Ferreira Gullar; Metaliteratura; Ofício de poeta.

ABSTRACT: Ferreira Gullar is with no doubt one of the great masters of Literature in Portuguese. With no fear of making mistakes he dares change his language suddenly and abruptly showing his eternal concern with the poetic act. Surely this poet dedicates a special attention to the poet’s craft, teaching his readers one of the most troubling questions about poetry: how to make poetry? Which Muses or experiences deserve a poem? In this study, We show that Gullar’s poetry is a standpoint for discussions about literature and its future while a literary work.
KEYWORDS: Poetry; Ferreira Gullar; Metaliterature; Poet’s craft.

Recebido em 29 de maio de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.

Encenação, jogo e profanação em poemas de Carlos Antonio de Brito

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (PUC-Minas)

58-66
RESUMO: Este artigo propõe uma leitura de alguns poemas de Antonio Carlos de Brito, publicados no livro 26 poetas hoje. Desse modo, procura-se visualizar seus textos sob o signo da marginalidade, sem, entretanto, enquadrá-los em uma pretensa homogeneidade estética da chamada Poesia Marginal. Para tanto, utiliza-se dos conceitos de “encenação”, “jogo” e “profanação” para se analisar os procedimentos de deslocamentos discursivos presentes nos poemas como forma de se questionar mecanismos ideológicos de poder presentes no contexto sócio-histórico de produção.
PALAVRAS-CHAVE: Antonio Carlos de Brito; Encenação; Jogo; Profanação.

ABSTRACT: This article intents to read some of Antonio Carlos de Brito’s poems published in 26 poetas hoje. Thus, I try to frame his poems under the mark of marginality, without putting them in a false aesthetic homogeinity addressed as Marginal Poetry. To such purpose I use the concepts of  “staging”, “game” and “profanation” to analyze the procedures of discursive displacements found in the poems as a way to question ideological mechanisms in the social and historical  production context.
KEYWORDS: Afrânio Coutinho; Crítica e Poética; René Wellek.
 
Recebido em 31 de maio de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.

A Representação do Sujeito Moderno entre o Simbolismo e a Geração de Orpheu

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UTFPR)

67-77
RESUMO: O presente artigo propõe uma leitura dos poemas “Final” (Camilo Pessanha), “Impressões do Crepúsculo” (Fernando Pessoa) e “16” (Mario de Sá-Carneiro), a fim de investigar seus pontos de convergência, propondo-se a afirmação de que os textos em questão são representativos de uma nova maneira de se perceber o sujeito na viragem do século XIX ao XX, apresentando-os como produções emblemáticas de um novo conceito de mímesis que se estabeleceu a partir da ruptura de Kant com a tradição metafísica cartesiana.
PALAVRAS-CHAVE: Mímesis; Representação do Sujeito Moderno; Geração de Orpheu.

ABSTRACT: This article proposes a reading of three Portuguese poems: Final (Camilo Pessanha), “Impressões do Crepúsculo” (Fernando Pessoa) and “16” (Mario de Sá-Carneiro) to investigate their points of convergence, proposing to claim that’s own production are representative of a new way to think the conception of subject at the turn of the nineteenth to the twentieth century, presenting them as a signal of a new production and the mimesis conception, it is established by the break of a Cartesian metaphysics tradition after Kant’s critical positioning.
KEYWORDS: Mimesis; Representation of Modern Subject; Orpheu’s Generation.
 
Recebido em 31 de maio de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.

“Autopsicografia”: Um Gesto de Interpretação à Luz da Análise do Discurso

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEM)

78-86
RESUMO: Este estudo tem por objetivo propor um gesto de interpretação do poema “Autopsicografia”, de Fernando Pessoa, com base nos estudos da análise do discurso de linha francesa, observando os efeitos de sentidos produzidos pelo poema. Por meio do movimento de descrição-interpretação, observamos que o poema percorre uma linha tênue entre o fingimento e a sinceridade, entre a emoção e a razão, demonstrando a contradição constitutiva do sujeito poeta. Além disso, “Autopsicografia” mantém uma relação interdiscursiva com outro poema da mesma obra: Isto, que, aparentemente, funciona com uma espécie de resposta ao poema analisado.
PALAVRAS-CHAVE: análise do discurso; literatura; discurso literário.

ABSTRACT: This study aims to propose an act of interpretation of the poem “Autopsicografia”, by Fernando Pessoa based on studies of French discourse analysis observing the effects of meaning produced by the poem. Through the movement of description-interpretation we observed that the poem runs a fine line between sincerity and hypocrisy, between emotion and reason, showing the constitutive contradiction of the subject poet. Furthermore, there is an interdiscursive relationship between “Autopsicografia” and another poem of the same book,  “Isto”, that apparently works like a response to the analyzed poem.
KEYWORDS: discourse analysis; literature; literary discourse.
 
Recebido em 31 de maio de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.

A Construção da Identidade pelo Processo Poético – Traços Autobiográficos e de Resgate Histórico na Poesia de Charles Simic

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UFPR)

87-97
RESUMO: Exemplo de manifestação artística, a poesia é entendida como fenômeno de representação da percepção individual do que é visto no plano coletivo. O objetivo deste trabalho é analisar dois poemas de Charles Simic à luz de contribuições oriundas da geografia humanística e mostrar que o que aparece no plano privado (lugar) é subjetivo, ao passo que o que aparece no plano público (espaço) é objetivo na poesia do autor iuguslavo. Ambos os planos combinados constroem uma possível compreensão da História. A poesia de Simic sugere uma tentativa de definir o indefinível, de construir uma identidade fragmentada pelos horrores da Segunda Guerra Mundial.
PALAVRAS-CHAVE: Simic; geografia humanística; resgate histórico; identidade.

ABSTRACT: As an example of artistic manifestation, poetry in understood as a phenomenon of representation of the individual perception upon what is seen on the collective scope. The purpose of this paper is to analyze two poems by Charles Simic by the light of the contributions from humanistic geography, and show that what appears on the private sphere (place) is subjective, while what appears on the public sphere (space) is objective in the Yugoslavian poet’s poetry. Both spheres combined built a possible understanding of History. Simic’s poetry suggests an attempt to define the indefinable, an attempt to build an identity fragmented by the horrors of the Second World War.
KEYWORDS: Simic; humanistic geography; historical rescue; identity.
 
Recebido em 18 de abril de 2012; aprovado em 30 de setembro de 2012.