Volume 7 - 2006 Imprimir E-mail
Editora - Dra. Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

 
Todos os arquivos estão disponibilizados em formato PDF.

Você precisará do Acrobat Reader para lê-los.

Artigo e autor
Páginas

Dialogia e Marcas de Oralidade em A Mulher que Escreveu a Bíblia de Moacyr Scliar

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEL/CNPq)

2-8

RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo demonstrar a presença de uma tradição oral, captada pela experiência, pela memória e por uma estilização do discurso escrito, dentro da literatura contemporânea, em especial no romance A mulher que escreveu a Bíblia de Moacyr Scliar. Para tanto, admitiremos como ponto de partida uma tentativa de conceitualização do objeto texto, concebendo-o como forma diretamente ligada ao universo sonoro (e, portanto, oral), e na seqüência, pretenderemos revelar as marcas de oralidade impressas não apenas na construção do discurso, como também na atualização de uma tradição que é pretendida na voz da narração.
PALAVRAS-CHAVE: romance; oralidade; atualização; tradição

ABSTRACT: The present work wishes to demonstrate the presence of an oral tradition, captured by the experience, memory and for a stylization of the speech written, inside the contemporary literature, especially in the novel A mulher que escreveu a Bíblia by Moacyr Scliar. With this purpose, we will admit as starting point, an attempt of concept, conceiving it as a form directly linked to the sound universe (and therefore, oral) and in the sequence, we will try to reveal the orallity marks not only in the construction of the speech, but also in the updating of a tradition that is intended in the voice of the narration.
KEYWORDS: novel; orallity; updating; tradition

À Sombra de um Riso Amargo: A Utopia Vencida em O Exército de um Homem Só de Moacyr Scliar

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UnB)

9-25

RESUMO:  O cômico é um ingrediente significativo nas obras de Moacyr Scliar, especialmente em O exército de um homem só. Entretanto, o riso que provém de sua forma irônica de representação literária não é um riso de pura descontração, mas a denúncia de um vazio, de algo que não se articula como seria de se esperar. Assim, o objetivo deste artigo é analisar o modo como se processa a construção da comicidade na obra, desvendando os mecanismos empregados com vistas a fazer rir o leitor. Busca-se elucidar a forma pela qual o autor, contando uma história envolvente, pode provocar esse relaxamento, seguido da reflexão essencial que está no espírito do texto artístico.
PALAVRAS-CHAVE: literatura brasileira; Moacyr Scliar; comicidade; riso


ABSTRACT: The comic is an important element in the works of Moacyr Scliar, especially in O exército de um homem só. But the laughter provoked by his ironic form of literary representation is not a kind of relaxing laughter, but the denunciation of emptiness, once nothing is articulated as it would be of waiting. So, the objective of this article is to analyze the way as comicity is constructed in that work, unmasking the mechanisms used to make the reader to laugh. The intention is to elucidate the form by which the author, telling an involving history, provokes the relaxation, followed of the essential reflection that exists in the spirit of an artistic text.
KEYWORDS: Brazilian literature; Moacyr Scliar; comicity; laughter

Momentos do Homoerotismo. A atualidade: Homocultura e escrita- pós:identitária

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEL/CNPq)

26-38

RESUMO: Neste artigo apresentamos alguns momentos do homoerotismo na literatura brasileira, em textos selecionados para análise, que visam desenhar um percurso relevante seguido nas representações da temática. Da desqualificação e silenciamento iniciais dos sujeitos homoeróticos, ao reconhecimento do caráter fluido das posições de identidade, buscou-se refazer um percurso possível. Como ponto de chegada foi escolhido o romance Onde andará Dulce Veiga? Um romance B, considerado como exemplar da escrita que reconhece uma homocultura e a dificuldade para classificar os sujeitos em posições identitárias fixas, escrita também chamada de pós-identitária.
PALAVRAS-CHAVE: homocultura; homoerotismo; Pós-identidade

ABSTRACT: In this article we present some moments of homoerotism in the Bbrazilian literature, in texts selected for analysis, that aim to draw a relevant pathway followed in the representations of the subject. From the initial undermining of credibility and silencing of homoerotic subjects, to the recognition of the fluid characteristic of the identity positions, we tried to recover one possible path. As arriving point was chosen the novel Whatever happened to Dulce Veiga? A B novel, considered as an example of the writting that recognizes a homoculture and the difficulty to classify the subjects in fixed positions, writting also known as post-identitarian.
KEYWORDS: homoculture; homoerotism; Post-identity

A Entrada do Leitor no Texto Ficcional: Uma leitura de Angélica de Lygia Bojunga Nunes

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email e Rosa Maria Graciotto Silva (UEM)

39-54

RESUMO: O presente artigo focaliza a obra Angélica (1975) de Lygia Bojunga Nunes à luz da estética da recepção, e, sobretudo, da teoria do efeito, propugnada por Wolfgang Iser. Tendo isso em vista, mostramos os modos como a autora conduz o leitor, estimulando-o a produzir as conexões textuais deixadas em suspenso, através de recursos como as histórias encaixadas, o suspense e os jogos temporais.
PALAVRAS-CHAVE: Lygia Bojunga Nunes; leitor; espaços vazios

ABSTRACT: This article analyses Lygia Bojunga Nunes’ Angélica (1975). In compliance to the reader-response criticism and, specifically, the aesthetic response theory, widely spread by Wolfgang Iser, we verified how the authoress carries the reader, motivating him/her to produce the textual connections in suspense, by using stories within story, suspense and temporal games.
KEYWORDS: Lygia Bojunga Nunes; reader; gaps

“Luas de Mel” - Nas Malhas da Sedução

Dra. Martha Augusta Gonçalves (UEL)

55-60

RESUMO: A sedução, no conto “Luas de mel”, manifesta-se, num primeiro momento, entre enunciador e enunciatário a partir do discurso em primeira pessoa, que cria um efeito de aproximação, deixando fluir uma relação de cumplicidade entre eles. Concretiza-se, mais tarde, no nível discursivo, nas referências delicadas e reticentes do enunciador à sua mulher. Tais expressões de carinho velado vão crescendo em intimidade à medida que o fazendeiro deixa-se envolver pelo clima que instaurado na fazenda com os preparativos para o casamento. Pretende- se, portanto, analisar os níveis de sedução que se revelam no conto, tendo como apoio o modelo semiótico greimasiano.
PALAVRAS-CHAVE: semiótica; discurso; sedução

ABSTRACT: Seduction, in the short story “Luas de mel”, is manifested, in a first moment, between the enunciator and the enunciatary departing from the discourse in the first person, that creates an effect of proximity, letting a relationship of cumplicity between them flow. It becomes concrete, later on, in the discourse level, in the delicate and reticent references from the enunciator to this woman. Such expressions of hidden kindness grow gradually in intimacy when the farmer lets himself get involved by the atsmophere that is installed on the farm with the preparation for the wedding. It is intended, therefore, to analyse seduction levels which are reveiled throughout the short story, having the semiotic greimasian model as its support.
KEYWORDS: Semiotics; discourse; seduction

Os Cronistas e as Mulheres na Segunda Metade do Século XX

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEL)

61-69
RESUMO: A mulher, presença constante na crônica brasileira da segunda metade do século XX, é quase sempre vista por olhos masculinos, pois autoras como Rachel de Queiroz e Clarice Lispector desfrutam de destaque, mas não da mesma projeção que os cronistas homens. O intento deste artigo é apreciar retratos de mulheres esboçados em crônicas de Rubem Braga, Antônio Maria e Luis Fernando Verissimo. A representação feminina é examinada a fim de verificar como a perspectiva oscila da preservação do domínio masculino ao reconhecimento de direitos e peculiaridades da mulher, investigando o extravasamento lírico, que se aproxima ora do controle ora de um discurso libertário.
PALAVRAS-CHAVE: crônica; Antônio Maria; Rubem Braga; Luis Fernando Verissimo

ABSTRACT: Woman, a constant presence in Brazilian chronicle written in the second half of the 20th century, is almost always seen by male view, since female writers as Rachel de Queiroz and Clarice Lispector are detached in the genre but less outstanding than male writers. The aim of this essay is to appreciate women portraits drawn in chronicles written by Rubem Braga, Antônio Maria and Luis Fernando Verissimo. This depiction of woman is examined in order to check how the perspective oscillates from maintenance of male domination to recognition of women’s rights and singularities, analyzing the lyrical overflow, which keeps close to control and to a liberation discourse.
KEYWORDS: chronicle; Rubem Braga; Antônio Maria; Luis Fernando Verissimo

Apontamentos Sobre Guimarães Rosa e a Prática Historiográfica: Desenraizamento e Sacralização

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEL)

70-79
RESUMO: A proposta deste breve artigo é discutir a posição ocupada por João Guimarães Rosa (1908-1967) dentro da historiografia literária brasileira, assim como examinar alguns dos mecanismos de canonização que, a despeito do valor intrínseco do objeto literário, elevaram a obra de Rosa a um patamar compartilhado por poucos criadores. Propõe-se, ainda, uma revisão de tal estatuto canônico, capaz de compreender a escritura de Rosa não como matéria alienígena em relação à tradição literária, mas como partícipe de um amplo panorama espaço-temporal no qual o escritor funda raízes e do qual extrai seu instrumental estético.
PALAVRAS-CHAVE: João Guimarães Rosa; historiografia; desenraizamento

ABSTRACT: The proposal of this brief article is to discuss the position occupied by João Guimarães Rosa (1908-1967) inside the Brazilian literary historiography, just as to examine some of the mechanisms of canonization that, in spite of the intrinsec value of the literary object itself, brought up Rosa´s opus to a level shared by few creators. Still, it proposes, a revisal of that canonic statute, able to comprise Rosa´s scripture not like an alien element with regard to the literary tradition, but as a participant of a large spatial-temporal scenery, in wich the writer found its roots and from where he extracts his aesthetic means..
KEYWORDS: João Guimarães Rosa; historiography; uprooting

Contribuições de Haroldo de Campos para um Programa Tradutório Latino-Português

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (Unesp/Araraquara)

80-88

RESUMO: Partindo de um percurso pelas traduções de Haroldo de Campos no campo da Literatura Latina, o presente artigo oferecerá uma visão geral sobre as concepções tradutórias haroldianas no seu trabalho com a poesia dos antigos romanos. Atenção especial será dada ao paradigmático programa tradutório latino-português instaurado para transcriação do excerto ovidiano denominado “A morte de Narciso”.
PALAVRAS-CHAVE:Haroldo de Campos; tradução de poesia; Literatura Latina

ABSTRACT: This paper explores the translating work of the Brazilian poet Haroldo de Campos in the Ancient Roman Literature milieu and discusses some elements of his translation theory, mainly, his Latin-Portuguese translation project. This intent naturally raises some questions about Campos’ reading of poets like Catullus, Horace and Ovid, in order to understand the presence of antiquity in his post-modern thought. Closer treatment was reserved to Ovid’s passage “The death of Narcisus” (Metamorphoses, III, 407-510), paradigmatically “transcreated” by him.
KEYWORDS: Haroldo de Campos; translation studies; Latin literature