Volume 2 - 2002 Imprimir E-mail
Editor - Dr. Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

 
Todos os arquivos estão disponibilizados em formato PDF.

Você precisará do Adobe Reader para lê-los.

Artigo e autor
Páginas

A Linguagem da Poesia: metáfora e conhecimento

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UFF)

3-16
RESUMO: Reflexão sobre a linguagem poética e o processo metafórico. A abordagem teórica se vale principalmente das teses de Paul Ricoeur, no âmbito da fenomenologia hermenêutica, para discutir o discurso poético como percurso de conhecimento. O questionamento sobre o processo poético nas obras de dois poetas portugueses contemporâneos: Carlos de Oliveira e Nuno Júdice.
PALAVRAS-CHAVE: poesia; metáfora; conhecimento

De Novo com Machado: Proposta de Leitura Fenomenológica

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UERJ)

17-25
RESUMO: Apresentação de um novo modo de aproximação do conto "Missa do Galo", a partir de categorias da Teoria do efeito estético de Wolfgang Iser. Leitura de caráter fenomenológico, sistematizadora do percurso dos atos perceptivo e cognitivo da teoria, é capaz de ilustrar o modo como se processa "efeito" e a "resposta" pelos quais passa o autor-leitor do texto da crítica.
PALAVRAS-CHAVE: Fenomenologia da leitura; efeito estético; resposta

Crítica à Invenção do Brasil: Paisagem, Identidade, Literatura

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UERJ)

26-42
RESUMO: O trabalho discute a crítica feita por Lima Barreto, Augusto dos Anjos, Pedro Kilkerry, Euclides da Cunha à tradição - romântica e naturalista - produtora dos conceitos de paisagem e identidade. Na medida em que expõem os bastidores da construção do país e da paisagem, a poesia e prosa, do início do século XX , reinventam a literatura mantendo a linguagem sob suspeita.
PALAVRAS-CHAVE: Paisage;, identidade; literatura brasileira anos 10-20

Identidade/Alteridade em "A Estória do Homem do Pinguelo", de Guimarães Rosa

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEL)

43-52
RESUMO: Objetiva-se apresentar leitura do conto "A Estória do Homem do Pinguelo", de Guimarães Rosa. Trabalhar-se-á o papel da alteridade na constituição da identidade, seja no que diz respeito aos narradores presentes no conto, seja no que diz respeito às personagens. Concluir-se-á que, em "A Estória do Homem do Pinguelo", o conhecimento da alteridade conduz à conquista da identidade, podendo, a partir deste conhecimento, melhor efetivarem-se os desígnios já determinados pelo destino. Alcançar-se-á, pois, o vínculo do conto com o trágico.
PALAVRAS-CHAVE: narrador; personagem; Guimarães Rosa

Machado: Três Momentos Negros

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEL)

53-62
RESUMO: O negro na obra de Machado de Assis e o tratamento elíptico dispensado a esses personagens. A lógica das representações sociais contraposta, estrategicamente, à técnica narrativa da exposição e saturação do vazio. Exibindo o negro como um ser por subtração, expõe, pelo avesso, sua descrença quanto à inserção deste segmento numa ordem social reconhecida, numa relação igual. Sob este aspecto, seus textos constituem convite para uma leitura das lacunas/pistas deixadas ao longo de sua produção literária.
PALAVRAS-CHAVE: Machado de Assis; personagem negro; vazios do texto

António Marinheiro (O Édipo de Alfama): O Édipo da Era dos Complexos

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email (UEL)

63-78
RESUMO: O trabalho trata da tragédia clássica grega e do saber trágico, como experiência poética, plenamente realizada num tempo historicamente situado, na relação com outra forma dramática em que o trágico se manifesta, na modernidade. A partir de estudos sobre a tragédia e do trágico, sob o ponto de vista de alguns autores como Karl Jaspers, Glenn W. Most, Jean Pierre Vernant, Pierre Vidal-Naquet e Emil Staiger, procuramos compreender um fenômeno literário que possibilita relações com outros textos em que o trágico se apresenta, tomando como referência a peça de Bernardo Santareno António Marinheiro (o Édipo de Alfama), na sua relação com o Édipo Rei de Sófocles. Assim, estabelecendo aproximações e diferenças entre os textos, verificamos a possibilidade da existência de novas configurações do trágico na modernidade, tomando as devidas precauções para não perder de vista a historicidade das formas e as transformações no tratamento literário dos mitos.
PALAVRAS-CHAVE: A tragédia e o trágico; Literatura Portuguesa; Bernardo Santareno