Setembro de 2011 PDF E-mail
APRESENTAÇÃO

Senhores Passageiros,
 
Acomodem-se da melhor forma para contemplar a partida do vagão-volume 7  que leva compadritos e malandros nesta edição sobre a Literatura Latino-Americana. E se o idioma não é compreendido por todos, abrimos a seção com o portunhol de Douglas Diegues!
 
Há muito tempo acompanhamos as discussões sócio-políticas acerca das afinidades e diferenças entre os países que compõem a América Latina. Muitas vezes, vemos o Brasil receber abordagem a parte, não só por sua extensão e História, mas principalmente pela ruptura na circulação de bens culturais provocada pela língua. Distinção essa que parece mínima ou diminuta quando nos debruçamos em trabalhos de Literatura Comparada, por exemplo, ou nos atentamos para as relações pessoais que escritores brasileiros e hispano-americanos mantinham ao produzirem. Assim, propusemos este número que se preocupa em deixar estas fronteiras mais transitáveis entre as literaturas do continente.
 
Nossa seção livre não fica para trás, aumentamos aos poucos o volume para ler Watchmen, abriremos as portas do inferno de Eça de Queirós e Machado de Assis, e faremos parada para caminhar na loucura de Leopoldo María Panero.
 
Para acessar o sumário e baixar os arquivos individualmente, por favor, clique aqui.  
 
Aproveitamos o momento para saudar a todos os novos passageiros, tendo eles ocupado seus lugares na cabine dos maquinistas ou nos prestigiando ao embarcar no Conselho Editorial. Somos gratos também aos professores e pesquisadores que se disponibilizaram fornecendo pareceres como conselheiros ad hoc, e a todos que submeteram suas pesquisas. É graças a esta equipe que saímos pontualmente, mudando o combustível que nos dá força e melhorando o desempenho de nossa missão.
 
¡Buena lectura!
 
Comissão Editorial Executiva
Revista Estação Literária