Grupo de Apoio ao Ensino de Sociologia

Coordenadores:Profa. Ms. Angélica Lyra de Araújo; Profa. Ms. Adriana de

Fátima Ferreira; Profa. Ms. Okçana Battini; Profa. Mestranda. Camila Torres

 

 

RESUMOS

(As ideias contidas em cada resumo, são de responsabilidade de seus respectivos autores)

 

 

A PRECARIZAÇÃO DO EMPREGO E O TRABALHO DOCENTE NO ENSINO MÉDIO: O CASO DE LONDRINA. 

Acleilton Lucio Ganzert Filho

Contato: lucio.ganzert@yahoo.com.br

O presente artigo tem como objeto a problematização da forma de inserção profissional de uma parcela dos professores do ensino médio da rede pública do município de Londrina. A problematização proposta tem como base as análises de tradição marxista, principalmente as quais se debruçam sobre as transformações das relações de emprego e trabalho na atualidade. Como parte da pesquisa, desenvolvemos e aplicamos um questionário a fim de mensurar, ou apenas ter um quadro da realidade, de um momento do trabalho docente no ensino médio da cidade de Londrina. O questionário foi destinado a 17 professores que atuam via PSS no município, fundamentalmente no ensino médio. Trabalhamos com a hipótese de que a continuidade (extensão) do processo de contratação de pessoal por prazo determinado, em determinados casos, quando extrapola a causa a qual se destina, isto é, o atendimento de demandas emergenciais, torna-se via precária de contratação, que tanto prejudica a prática docente como um todo, como as formas de organização e resistência da categoria.

Palavras chave: trabalho docente, flexibilização, precarização do emprego.

 

 

CONSELHOS ESCOLARES E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA CULTURA POLÍTICA PARTICIPATIVA NO BRASIL

Adriano Soares Santos

Contato: cost_2005@hotmail.com

O presente artigo tem como objetivo identificar a função social dos Conselhos Escolares, órgãos que têm em uma das suas principais atribuições à participação social, incluídos no contexto de uma cultura política marcada pelo desinteresse de participação por grande parte de sua população. O estudo contempla uma revisão bibliográfica relativa à temática. Foram consultados livros, artigos da internet, teses e legislações pertinentes ao assunto abordado. Como principal referência nos utilizamos de Raymundo Faoro, que acreditava que os obstáculos para a formação democrática estariam tanto na cultura política como nos procedimentos provenientes dessa mesma. Para ele havia uma relação interdependente entre ambas. Segundo o autor, o quadro político brasileiro se assentava em práticas autoritárias, embora dentro de instituições ditas “democráticas”. No decorrer de nosso estudo abordamos os seguintes fatores: Aspectos históricos do processo de redemocratização brasileira, contexto em que surgem os Conselhos Escolares; conceituação de cultura política e sua relação de legitimação com as instituições estatais; a origem e estrutura dos conselhos escolares, além de suas atribuições e contribuições em relação à administração democrática e participativa, ou como subsídio para o possível desenvolvimento de uma cultura política participativa; os limites e possibilidades da atuação dos Conselhos Escolares no sentido de materializarem os objetivos a que se propõe. No tocante aos resultados obtidos, constatou-se que: Historicamente consolidou-se em nossa sociedade uma cultura onde grande parte dos cidadãos apresentam um desinteresse pelo espaço público e pelos debates referentes aos interesses coletivos, o que legitimaria a constituição de procedimentos autoritários, mesmo inseridos em um modelo democrático.  No entanto, mesmo nesse contexto, os Conselhos, tanto escolares, quanto os relacionados a outras esferas sociais, seriam possíveis catalisadores para a criação da práxis necessária para o desenvolvimento de uma cultura política mais participativa nos cidadãos, já que se acredita que esses valores são um dos aspectos fundamentais para a legitimação do modelo político democrático.

 

 

REFORMA DO ESTADO E POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA O ENSINO BÁSICO.

Felipe Calabrez da Silva

Contato: calabra13@hotmail.com

Este artigo procura traçar um breve panorama dos processos políticos e econômicos pelos quais o Brasil passou ao longo da década de 1990, a fim de permitir uma compreensão das reformas educacionais capitaneadas pelo Estado brasileiro nesse período, onde não apenas operou-se uma reconfiguração do aparelho estatal e, conseqüentemente, de todo o ensino superior e seu desenho institucional, mas também se repensou o próprio papel da educação na formação e consolidação da cidadania. As políticas de inclusão fortemente preconizadas pelo governo Cardoso são analisadas à luz da conjuntura política e econômica, atentando-se para a influência que os organismos internacionais exerceram em sua elaboração, não desconsiderando, evidentemente, a importância de uma maior inclusão de alunos no ensino básico e a necessidade de redução dos níveis de analfabetismo. Problematiza-se, entretanto, a idéia de educação instrumental que orienta e subjaz todo o discurso hegemônico da época, para, num segundo momento, trazer à tona alguns dos principais programas do governo Lula para a educação básica, evidenciando eventuais rupturas e continuidades em relação ao governo Cardoso, no que diz respeito à centralização das decisões de políticas governamentais e suas formas de financiamento, entendendo que estas são de fundamental importância para compreender o cenário político e pedagógico que se pretende instaurar.    

Palavras chave: políticas educacionais; reforma do ensino básico; administração gerencial

 

 

ENSINO MÉDIO INTEGRADO: UMA ANÁLISE NO NÍVEL LOCAL

Mateus C. dos Santos

Contato: mateus.carlos@hotmail.com

Esse artigo foi desenvolvido a partir do contexto da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) de 1996 no Brasil, percorrendo o caminho das Diretrizes do Ensino Profissionalizante, principalmente as Resoluções Federais n. 2.208/97 e a n. 5.154/04. Mediante um período de incertezas políticas no campo educacional, objetivou-se dar ênfase aos escritos que se referem à Educação Profissional e ao Ensino Médio. Com o intuito de centralizar a análise, apontamos a configuração do Ensino Médio Integrado no Estado do Paraná. Em seguida, analisamos empiricamente essa modalidade de ensino no Colégio público CEEP. Maria do Rosário Castaldi, localizado no Município de Londrina, Pr. Avaliou-se teoricamente, dentro dos limites da pesquisa, como se configurou o Ensino Médio Integrado no nível nacional, estadual e local. Procurou-se demonstrar a disputa política e econômica pela sua implementação e em seguida os resultados obtidos após sua “implementação”.  Na pesquisa empírica, além de analisar o Projeto Político Pedagógico, foi aplicado um questionário aos alunos de uma turma do Ensino Médio Integrado, do CEEP. Maria do Rosário Castaldi, possibilitando registrar a opinião dos alunos acerca de aspectos relevantes para o presente debate, tais como: influência do Ensino Médio Integrado no trabalho, evasão escolar, perspectivas em relação ao ensino superior, relação entre teoria e prática no curso e o papel da Sociologia no Ensino Médio Integrado. Para somar com a pesquisa, externou-se também a experiência de estágio realizado junto a essa turma. Em linhas gerais, foi possível apontar a dificuldade de se implementar no Brasil o Ensino Médio Integrado como modalidade de ensino prioritária, devido principalmente a políticas educacionais equivocadas engessadas por um Estado Nacional, influenciado por forças econômicas, que não prioriza essa modalidade de ensino. Sublinhamos, portanto, a importância de atores sociais, políticos e educacionais na “luta” por uma política educacional que realmente enfrente os interesses mercadológicos da sociedade contemporânea.

 

 

A IMPORTÂNCIA DA SOCIOLOGIA PARA OS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO: ENTRE O COTIDIANO E A TEORIA

Helaine Christina Oliveira de Souza

Contato: helainesophiana66@hotmail.com

O intuito do artigo é discutir sobre o ensino de Sociologia no Ensino Médio, sua reintrodução neste grau de ensino; a relação com política econômica e social que medeia o conteúdo escolar, como também como os estudantes concebem a disciplina de sociologia no Ensino Médio Público. Alguns pesquisadores dessa área destacam a importância e a função da disciplina de Sociologia no Ensino Médio que se pretende atingir; mas tais analises se dão de forma idealista, portanto, não condiz com a realidade da sala de aula. Ou seja, os objetivos teóricos da disciplina de sociologia aclamada por esses autores não condiz com o cotidiano da escola e dos alunos. Foi aplicado um questionário que serviu de base para a pesquisa com os alunos do primeiro ano do Ensino Médio, e também observações do estágio feitas durante os anos de 2008 e 2009, e foi possível analisar algumas dificuldades de aprendizagem dessa matéria e a relação dessa com a classe social ao qual o aluno pertence. Nesse artigo, é feita uma análise da escola e do fracasso escolar dos alunos, como base na teoria de Bourdieu. Assim como, quais as dificuldades enfrentadas pelo professor de sociologia ao transmitir o conteúdo programático da disciplina. E também, possíveis alternativas que se adequem à realidade dos alunos e ao seu cotidiano escolar.

Palavras-chave: Ensino-Sociologia-dificuldade de aprendizagem

 

 

PROFESSORES TEMPORÁRIOS E A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE

Fernanda Galisteu Lourenção

Contato: fernandagalisteu@yahoo.com.br

O neoliberalismo vem trazendo conseqüências para o trabalhador no capitalismo contemporâneo. Em especial as formas de contratação flexibilizadas que alguns autores vêem como conseqüência da reestruturação produtiva que une formas diferentes de se gerenciar o trabalho, na qual o trabalhador tem cada vez menos certezas e garantias trabalhistas, o que resulta em geral na precarização do trabalho. Tal reestruturação produtiva atingiu praticamente todos os setores do trabalho, sendo o processo de desqualificação do trabalho intelectual uma de suas facetas. Os professores temporários são um exemplo desse trabalho intelectual precarizado. Esse trabalho pretende apresentar alguns resultados de uma pesquisa bibliográfica e de campo sobre as mudanças econômicas, políticas e sociais que a atual reestruturação produtiva trouxe para o setor da educação, particularmente no que se refere ao trabalho docente de caráter temporário. Com isto, espera-se contribuir para os estudos sobre a precarização do trabalho e sua relação com os trabalhos intelectuais na contemporaneidade, em especial o trabalho docente.

Palavras chave: Flexibilização, professor temporário e precarização

© 2007 Universidade Estadual de Londrina
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 6001 | CEP 86051-990 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4000 | Fax: (43)3328-4440
e-mail: web@uel.br