DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES

A Liberdade é uma Luta Constante!


Na luta cotidiana é que a gente se encontra, na boca do poeta é que a gente se inspira, na labuta do dia a dia é que a gente se identifica, para construir a luta constante da liberdade que sonhamos.

“Nossos sonhos não cabem mais nessa cidade
São tempos violentos
Imite o tempo por necessidade...
Sua jaula já não me prende
Meus ancestrais todos foram vendidos
Escravizaram meu povo por dinheiro
Quero dinheiro pra não ser escravo
A lei áurea é todo verso que eu escrevo
Rótulos me dão medo…
Somos Imortais e fatais”

Vivemos no meio da cidade uma luta constante pela liberdade, fria e dura como a selva de concreto e aço que cantou Racionais MCs. Mesmo na selva de pedra que nos expulsa e não garante nem a liberdade de cultura, ainda conseguimos amar, “nos embriagar e gritar que a cidade é nossa”. Desde 1500 tem mais invasão do que descobrimento, tem sangue retinto pisado atrás do herói emoldurado. Somos A Liberdade é uma Luta Constante porque queremos um Brasil e uma universidade que não está no retrato das elites.

Acreditamos que os tempos são duros e vivemos no momento de construir frentes amplas na luta de rua para defender nossos direitos. É na luta que a gente se encontra! Os movimentos de massas nesse ano foram a força que abalou o governo Bolsonaro e precisamos dobrar essa dose de esperança construída nas ruas. Precisamos unificar as lutas da educação, da emergência climática e ecocídio, dos povos originários, seguir o exemplo da avalanche das mulheres indígenas, da luta do povo negro contra o genocídio e a política populista de extermínio da vida da juventude negra.

Desemprego e morte é só o que pode oferecer um governo de capitães do mato-milicianos mercadores da fé. É preciso criar uma muralha que proteja nossos direitos.

Brasil, chegou a vez de ouvir a liberdade que grita nas gargantas das Marias, Mahins, Marielles, Malês, Ághatas e Cláudias! Dos povos originários da terra, dos quilombos, favelas e quebradas e construir um novo bloco histórico que supere os erros do passado dos governos petistas na conciliação, para assim a gente barrar a política da morte do governo Bolsonaro!

Se nossa história é marcada entre o antes e o depois da travessia atlântico diaspórica;
Se nossa história é marcada entre antes e depois do golpe;
Se nossa história é marcada entre antes e depois da execução de Marielle Franco;
Significa que existe luta e resistência. Existem sonhos de liberdade. Existem gritos revolucionários! Somos inquebrantáveis! Esse é nosso povo. O nosso país respira a luta por liberdade.

O desafio que se coloca agora, como declarou Angela Davis, não é reivindicar oportunidades iguais para participar da maquinaria da opressão, e sim, primeiro, identificar e, segundo, desmantelar aquelas estruturas nas quais o racismo continua a ser firmado. Este é o único modelo pelo qual a promessa de liberdade pode ser estendida às grandes massas!

Uma democracia com soberania do povo, uma democracia da abolição é possível! Por isso não aceitaremos a meritocracia imposta na lógica do “se morreu foi porque mereceu”, sabemos que o que mata é tão pequeno, olha o tamanho de uma bala. Sabemos que o que liberta é tão imenso, olha, governo, as marchas revolucionárias que te abalam. A liberdade só é liberdade com nossa luta constante!

Vem construir este DCE com a gente!!

© Universidade Estadual de Londrina
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10011 | CEP 86057-970 | Londrina - PR

e-mail: dce@uel.br