Agência UEL de Notícias
    Londrina, Quinta-Feira, 02 de Abril de 2020 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
13/12/2019  

Quando se trata de solo, sempre há solução

José de Arimathéia

"O pior cenário é não estudar o solo ou fazer um estudo sem informações de qualidade", afirma a professora Raquel.
Vai construir ou reformar?  Uma das preocupações da construção civil é realizar um estudo das fundações, a fim de determinar as condições do solo sobre o qual se fará a obra e assegurar seu êxito. Embora não haja lei que obrigue a realizar tal estudo, ele geralmente é feito como forma de prevenir problemas futuros.
A prevenção é sempre possível, como explica a professora Raquel Souza Teixeira (Departamento de Construção Civil), que coordena o projeto de pesquisa "Avaliação das características físicas, químicas, mineralógicas e mecânicas de solos do norte e noroeste do estado do Paraná". Segundo ela, um estudo geotécnico bem feito, com informações de qualidade, sempre será útil e evitará problemas. Um projeto baseado num bom estudo geotécnico ergue um prédio para durar pelo menos 50 anos. Se não for assim, ou o estudo não se baseou em informações qualificadas, ou não foi levado em conta, ou o edifício sofreu intervenção indevida ou até extrapolou o uso para o qual foi projetado.
Por isso, para Raquel, quando se trata de solo, sempre existe uma solução técnica, e uma diferente para cada construção que se quer fazer. O conhecimento existe, e o projeto que ela coordena se dedica a aprimorar estes saberes, no Laboratório de Geotecnia da UEL - quase tão antigo quanto o próprio curso de Engenharia Civil da UEL (implantado em 1972).
Os participantes do projeto - alunos de graduação (Iniciação Científica), Mestrado e Doutorado e docentes - avaliam diferentes aspectos dos solos de Londrina, Mandaguaçu e Tuneiras do Oeste (v. mapa) pensando nas possibilidades para a construção civil - fundações, escavações, taludes, barragens de solo, pavimentos, entre outras obras. Os locais escolhidos contemplam três tipos de solos distintos: o de Londrina é de origem basáltica e mais argiloso; o de Mandaguaçu é de origem arenito, mais arenoso; e o de Tuneiras é de origem basáltica, de granulometria arenosa, mas intermediária aos dois primeiros.
O projeto vai a campo e coleta amostras, que variam conforme os ensaios (testes) a serem feitos. Por sua vez, existe um teste para cada tipo finalidade para o projeto. Quase todos os ensaios são balizados por normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
Mapa do Estado do Paraná indicando as regiões com três tipos de solos diferentes: 1 - Tuneiras do Oeste; 2 - Mandaguaçu; 3 - Londrina
Basicamente, os ensaios verificam as características físicas, químicas, mineralógicas e de comportamento do solo, ou seja, avaliam como o solo reage diante de fatores como chuva e carga (peso), que podem levá-lo a recalques e até ruptura, comprometendo a construção sobre ele. Raquel observa que o solo das regiões estudadas são conhecidos como lateríticos, são típicos das regiões tropicais e subtropicais do planeta e sofrem um alto grau de intemperismo - um processo natural (chuva, calor, ataque químico, etc.) de desgaste das rochas. Ainda assim, cada região é única e exige um estudo específico. A professora lembra quando, décadas atrás, engenheiros estrangeiros tentaram aplicar sua tabela de classificação de solos no Brasil e não conseguiram, dadas as especificidades de cada lugar. E mesmo assim, a professora enfatiza que um estudo geotécnico bem realizado leva tudo isso em conta."O pior cenário é não estudar o solo ou fazer um estudo sem informações de qualidade", afirma.         
Cultura de Pesquisa
Para a professora Raquel, a atividade de pesquisa tem a máxima importância, não apenas para gerar conhecimento útil à sociedade, e especificamente no caso da construção civil, uma atividade forte e ininterrupta. Para além disso, ela defende que os projetos de pesquisa criam nos estudantes uma cultura de investigação, de questionamento, de busca por soluções de problemas apresentados. Ciência de qualidade, e não achismos. E tudo dentro de normas, técnicas e legais. "É por isso que eu gosto quando os alunos de primeiro ano entram na Iniciação Científica. É preciso desenvolver uma cultura de ciência, para propor soluções", salienta. Com pesquisa, sentencia a professora, há formação de qualidade no meio acadêmico e técnico.
Esta matéria foi publicada no Jornal Notícia nº 1.404. Confira a edição completa:




rodapé da notícia

  20h53 Cinco Universidades do PR farão exames para identificar o novo coronavírus
  16h19 Professor do CCE alerta para fraudes na internet em tempos de pandemia
  11h52 Série de livros "dialoga" com grandes pensadores da filosofia mundial
  11h33 Centros de Estudos adotam atendimento ao público via e-mail
  16h05 Servidores do HU/UEL terão atendimento psicológico gratuito
  19h16 Governo autoriza Laboratórios das Universidades a se credenciarem para testes da Covid-19
  17h40 Enfermagem contabiliza 3.107 pessoas vacinadas contra a gripe em Rolândia
  15h50 Bolsistas e voluntários da UEL iniciam atendimento do "Disque Corona"
  13h06 Carta aberta do reitor da UEL à comunidade universitária
  15h44 Curso de Química e Farmácia Escola viabilizam novos lotes de álcool 70%
  10h24 Núcleo de Acessibilidade disponibiliza série de atividades de estudos online
  09h44 Hospital Universitário recebe recursos financeiros para enfrentar COVID-19
  18h15 Programa da UEL orienta prática de exercícios físicos para idosos
  00h05 Superintendente da SETI reforça papel das Universidade no combate à pandemia
  13h44 UEL se disponibiliza para estruturar centro de testagem do COVID-19 no HU
  10h41 Projeto de extensão "UEL Pela Vida" atua em três frentes contra o coronavírus
  01h02 Nota da Reitoria sobre o Decreto 4.312/2020 do Governo do Paraná que concede afastamento em Licença Especial
  16h28 Proex divulga resultado do edital do Programa de Prevenção ao Coronavírus
  16h52 Parceria com confecção de Cambé produz 8 mil máscaras para o HU/UEL
  11h40 Hemocentro de Londrina mantém serviço de coleta e horários de atendimento
  11h40 UEL e Londrix selecionam 20 poesias londrinenses para o Mural Poético
  17h58 Governo repassa R$ 3,8 milhões ao HU/UEL para combate à pandemia
  17h16 Serviço de Bem-Estar à Comunidade adota atendimento virtual durante suspensão de atividades
  16h49 HU/UEL divulga mudanças no atendimento ao paciente do Ambulatório de Especialidades
  16h33 Curso de Enfermagem reforça vacinação contra gripe e atende 400 idosos de Rolândia
  13h43 APIESP se posiciona em defesa da abertura de concurso público
  09h57 Grupo da UEL produz vídeos com histórias em inglês para crianças
  09h27 CNPq atende bolsistas e coordenadores de projetos
  15h01 Para estudantes de Engenharia, Agronomia e Geociências
D
DESTAQUES ::.

Gênero cômico faz parte do ensino de Artes Cênicas

Compostos são alternativas para tratar a Leishmanios

Síndrome associada à Doença de Chagas tem alto índic

Projeto auxilia crianças a superar dificuldades moto
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br