Agência UEL de Notícias
    Londrina, Quinta-Feira, 19 de Setembro de 2019 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
16/08/2019  

Pesquisadores da UEL e Iapar avaliam transformações da cultura cafeeira brasileira

Agência UEL

(FOTO: Turismo em Londrina)

A cadeia produtiva de café passou por uma grave crise no final do século passado, com reflexos que são percebidos até hoje. O colapso do Acordo Internacional do Café, em 1989, e a extinção do Instituto Brasileiro do Café (IBC), em 1990, deram fim ao modelo de políticas regulatórias que vigorava desde o Século 19. Expostos ao livre mercado, os cafeicultores passaram por um longo período de baixos preços do produto.

Para entender os impactos dessas mudanças, pesquisadores do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e da Universidade Estadual de Londrina (UEL) estudaram a evolução da cafeicultura ao longo de 30 anos, de 1984 a 2015. O resultado do trabalho foi recentemente divulgado em artigo publicado no periódico PlosOne, uma revista científica on-line de acesso livre.

O economista Tiago Santos Telles, pesquisador do Iapar, explica que o principal objetivo do estudo foi conhecer a dinâmica das microrregiões produtoras após a desregulamentação do comércio. Os autores tomaram o levantamento Produção Agrícola Municipal (PAM) - realizado anualmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) -, e aplicaram ferramentas estatísticas para analisar correlações e agrupamento de dados sobre produção, produtividade, área ocupada pela cultura, espécie cultivada, preço internacional, valor bruto de produção (VBP) e uso de crédito.

Segundo Telles, não houve grande alteração no número de microrregiões especializadas em café, mas sim na sua distribuição. Paraná e São Paulo perderam a liderança na produção, posição que passou a ser ocupada por Minas Gerais e Espírito Santo. Rondônia, Bahia e até Ceará passaram a figurar como produtores. "Fica também evidente a grande heterogeneidade em termos de espécie cultivada, sistema de produção ou uso de crédito rural", avalia.

Crises - Em meados do Século 19, o Brasil se tornou o maior produtor mundial de café. E também tiveram início as políticas de governo para regular a oferta do produto. Ao longo dos anos, em diferentes momentos, foram adotadas medidas como a proibição de novos plantios, aquisição para formação de estoques reguladores, erradicação de cafezais e até destruição de parte das safras.

O Brasil fez sucessivas tentativas de reunir países produtores e, depois, também os consumidores. Em 1962 foi assinado o Acordo Internacional do Café, que definia mecanismos de cooperação técnica e critérios econômicos para o comércio do produto, com base em cotas. Um ano depois era criada a Organização Internacional do Café (OIC).

Esse acordo foi renovado diversas vezes, mas em 1989 os países signatários não se entenderam. O sistema de cotas de exportação entrou em colapso e, pela primeira vez na história, o comércio do grão foi desregulamentado. Acrescente-se a esse quadro a extinção do Instituto Brasileiro do Café (IBC), no ano seguinte. "A passagem ao livre comércio foi traumática. Os preços caíram drasticamente e o setor enfrentou um longo período de crise", resume Telles.

Com o mercado regulando o comércio, os países produtores tiveram de traçar novas estratégias de produção e posicionamento. "O Brasil optou pela produção em escala, valendo-se da abundância de terra, água e mão de obra; a Colômbia, outro grande produtor, investiu em diferenciação do produto e marketing", exemplifica o professor Carlos Eduardo Caldarelli, da UEL.

Resultados - Das 102 microrregiões especializadas na produção de café constatadas em 1984, restaram 90, em 2015. Minas Gerais e Espírito Santo assumiram o protagonismo da produção, Bahia e Rondônia também ganharam importância. Em contraponto, houve declínio nos tradicionais produtores Paraná e São Paulo.

Dentre essas 90 microrregiões, o estudo identificou o cultivo de arábica em 66, conilon em 13 e de ambas as espécies nas 11 restantes. Minas Gerais e Bahia passaram a concentrar a produção de arábica, e Rondônia, de conilon. No Espírito Santo há microrregiões especializadas tanto na primeira como na segunda espécie.

(FOTO: Turismo em Londrina)

As microrregiões produtoras foram ainda classificadas em quatro grupos, ou clusters. No primeiro são catalogadas 47 microrregiões especializadas em arábica e com pouca utilização de crédito rural. Estão distribuídas por Minas Gerais (21), São Paulo (7), Bahia (6), Rondônia (4), Espírito Santo (2), Goiás (2), Paraná (2), Ceará (1), Pernambuco (1) e Rio de Janeiro (1).

No segundo grupo foram agregadas 29 microrregiões especializadas em arábica e com grande utilização de crédito rural. Estão distribuídas por Minas Gerais (21), São Paulo (3), Bahia (2), Espírito Santo (2) e Rio de Janeiro (1). No terceiro grupo entram as microrregiões de Linhares, Colatina e Nova Venécia, todas no Espírito Santo, especializadas em conilon e com alta utilização de crédito rural. Já o quarto grupo é integrado por microrregiões do Espírito Santo (6), Minas Gerais (2), Rondônia (2) e Bahia (1), também especializadas em conilon, demandadoras de crédito rural e situadas principalmente no Vale do Rio Doce e Vale do Mucuri.

Telles aponta que esses resultados revelam como a produção brasileira se reorganizou frente à reacomodação dos agentes internacionais na formação dos preços e à estratégia adotada pelo Brasil para o setor. "A cafeicultura brasileira não perdeu importância, tornou-se altamente tecnificada, com produtores especializados na atividade", avalia Telles. Para Caldarelli, o desafio que se apresenta ao Brasil é deixar de competir com altas quantidades a preço barato. "Precisamos de produtos diferenciados em que se paga pela marca", conclui.

Artigo - Juntamente com Telles e Caldarelli, assinam o artigo os pesquisadores Bruno Volsi e Márcia Regina Gabardo da Câmara, ambos da UEL. O texto completo, em inglês, pode ser obtido AQUI.

(Com informações do Iapar e AEN e).


rodapé da notícia

  18h00 Debate enfatiza formação docente como desafio do ensino étnico-racial
  16h43 Museu Histórico de Londrina comemora 49 anos com festa e cerimônia
  16h43 Curso reforça qualidade de produtos e serviços do HU/UEL
  16h01 Semana do Livro tem cursos e exposição que retrata Biblioteca Central
  15h23 Plantão da Clínica Odontológica Universitária passa a atender das 7 às 23 horas
  15h32 Quando o trabalho é a causa de doenças mentais
  15h07 Estudo amplia metodologia de análise de solos
  13h34 Convênio entre UEL e Prefeitura amplia estudos para melhoria de infraestrutura e transporte
  13h18 Série 'Quem estamos formando?' - Agronomia
  10h57 Jornalista Ivan Cosenza ministra palestra sobre humor político
  10h15 Projeto Capela Sonora traz shows com banda e duo, sexta-feira (20)
  11h15 Abertas inscrições para 2ª Simulação UEL das Nações Unidas
  09h33 NECJ divulga edital para intercâmbio acadêmico-cultural no Japão
  17h02 Cinco projetos são aprovadas na etapa final do Edital Sinapse de Inovação
  15h46 PROEX promove Feirinha da Cidadania nesta quinta-feira (19), no Calçadão
  14h03 Museu Histórico de Londrina celebra 49 anos
  13h51 Formandos de Artes Cênicas estreiam hoje 'Aos olhos de...'
  11h46 Seleção: 30 especialidades de Residência Médica
  11h00 Prova Pedestre 2019 abre inscrições e divulga percursos
  10h54 Governo oficializa R$ 13,7 milhões para custeio do segundo semestre da UEL
  10h19 Cerimônia marca aniversário de 49 anos do Museu Histórico de Londrina
  09h37 Espetáculo reflete aprendizado de estudantes do curso de Artes Cênicas
  09h00 Semana Acadêmica de Zootecnia engloba os temas pesquisa e profissão
  08h50 Professor da UEL é selecionado para mobilidade na Universidad de Granada
  08h35 UEL integra programação do Dia sem Carro e ação de abraço no Lago
  08h21 Filme nacional Deslembro estreia no Cine Com-Tour/UEL
  16h43 Núcleo de Acessibilidade promove campanha para aquisição de cadeira de rodas
  14h56 Solenidade "Farmácia 50 anos" homenageia professores do curso
  13h29 Série 'Quem estamos formando?' - Design Gráfico
  12h59 Programação especial marca os 50 anos do curso de Farmácia da UEL
  14h20 Abertas inscrições para 74 vagas em seis residências da área de saúde
  10h19 Inscrições: Semana de Química e Jornada de Pós-graduação
  09h15 Intuel abre edital para novas empresas e negócios de base tecnológica
  09h07 Fórum de Trabalhos Acadêmicos será realizado em 8 de outubro
  09h04 Seleção de mobilidades acadêmica oferta oportunidades em seis países
  18h01 Universidade e Prefeitura formalizam convênio para projetos de infraestrutura e transporte
  15h29 Vestibular dos Povos Indígenas será disputado por 750 candidatos
  11h44 UEL abre inscrições para 30 especialidades de residência médica
  13h37 Série 'Quem estamos formando?' - Física
  13h02 HU/UEL realiza programação especial para marcar Setembro Verde
  10h13 Inovatec: Marco Legal de inovação e patentes verdes
  09h18 Labted divulga Encontro sobre didática no ensino superior
  09h31 Nanotecnologia reduz em 10 vezes uso de herbicida para controle de erva daninha do milho
  10h15 35ª Semana de Química e Jornada de Pós-graduação estão com inscrições abertas
  08h40 HU/UEL promove atividades em comemoração ao Setembro Verde
  16h17 Simpósio de Assistência Integral ao Idoso debate envelhecimento ativo
  21h13 Cortes de bolsas de pesquisa nacionais deverão chegar aos 25%
  15h03 Projeto Quizomba Itinerante valoriza manifestações artísticas de tradição oral
  11h56 NEAD abre processo seletivo para contratação de revisor textual
  11h09 Abertas inscrições para cursos do Programa Paraná Fala Idiomas
  10h08 Inovatec 2019 debate Marco Legal de inovação e patentes verdes
  08h49 Estudantes do curso de Artes Cênicas encenam espetáculo de formatura
  11h40 Curso ensina comunicação didática para concurso público
D
DESTAQUES ::.

Quando o trabalho é a causa de doenças mentais

Estudo amplia metodologia de análise de solos

Jornal Notícia - 1.399

Professora defende proposta de reforma urbana
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br