Agência UEL de Notícias
    Londrina, Terça-Feira, 26 de Março de 2019 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
08/11/2018  

Projeto estuda revitalização do Marco Zero de Londrina

José de Arimathéia

"Empreendimentos são catalisadores do crescimento de uma região", destaca a professora Denise de Cássia Rossetto Januzzi

Pesquisa investiga processo de transformação de área próxima ao Marco Zero em área que pertenceu a uma indústria

A professora Denise de Cássia Rossetto Januzzi (Departamento de Arquitetura e Urbanismo) concluiu um projeto de ensino e extensão que estudou o processo de transformação da região do Marco Zero de Londrina, particularmente da área que pertenceu, até 2008, à Indústria Anderson Clayton, correspondente a 180 mil metros quadrados, ou seja, 180 campos de futebol, no encontro das avenidas Theodoro Victorelli (Leste-Oeste) com a Dez de Dezembro (Via Expressa).

As primeiras etapas do projeto consistiram na formação de um embasamento teórico e o levantamento dos dados referentes ao local em documentos diversos: livros, jornais, revistas, publicações científicas, documentos públicos e Internet. Denise coordena o projeto e conta com a participação da professora Maria Luiz Grassiotto, do mesmo Departamento.

A partir de fotografias aéreas do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL) e do Google, e com imagens desde 1949, o projeto investigou sete décadas de História da área (uma elipse de raio de 500 metros a partir do marco zero) do ponto de vista da urbanização. O estudo se transformou num material didático a ser disponibilizado na Biblioteca da UEL e usado na disciplina de Urbanismo que a professora ministra para o 4o ano de Arquitetura, na qual aborda as intervenções urbanísticas.

Assim como em outras regiões, a área estudada - localizada no limite entre o Centro e a Zona Leste - continua crescendo, o que gera demandas urbanísticas. Os registros fotográficos documentam as mudanças na região, apesar da escassez de imagens do IPPUL para as décadas de 50 e 60. Já nos anos 70 são encontradas mudanças importantes, como a própria Via Expressa (inaugurada em 1977) e a retirada dos trilhos de trem. Em 1988 foi inaugurada a atual Rodoviária, projetada por Oscar Niemeyer. E na década de 90 alguns lotes começaram a ser preenchidos, e surgiram bairros como o Jardim São Rafael e Morumbi. A veticalização só veio forte em 2008 e este ano novos prédios já apareceram nas fotografias.

A Anderson Clayton deixou de funcionar em Londrina em 2006. Segundo a professora Denise, inicialmente se cogitou transformar a área num conjunto habitacional. Desde os anos 90, por exemplo, existe ali o SEST/SENAT. "Empreendimentos são catalisadores do crescimento de uma região", destaca a professora Denise. Daí a importância de oferecer estrutura.

Na época, foi constatada uma certa vocação da área para o serviço automotivo, considerando a quantidade de empresas do ramo ao redor. Por isso, também foi cogitada a construção de um shopping automotivo. No fim, o projeto para revitalização da área, de 2008, previu um shopping, um teatro, torres residenciais e edifícios comerciais. Além das edificações, um amplo boulevard para circulação e convívio das pessoas - daí o nome do shopping. Parte já existe - como o shopping, um hotel e uma loja de materiais de construção. Já as obras do Teatro Municipal estão paradas há quatro anos. "Era uma área mal vista, insegura, ou seja, havia também uma questão social envolvida a ser resolvida", disse a professora.

Assim, os empreendimentos levaram em conta tanto as necessidades urbanas específicas da cidade quanto a dimensão mais técnica e legal envolvida, como estudos de impacto de vizinhança (EIV) e outras legislações. Claro que o crescimento rápido da área pode gerar alguns novos problemas. No caso, o fluxo de veículos na região aumentou expressivamente, e é um dos pontos negativos e desafio a ser enfrentado, de acordo com Denise.

Tensão

Uma das fontes da pesquisa para o projeto foi o imobiliarista Raul Fulgêncio, diretamente envolvido nos empreendimentos erguidos na região estudada após o fechamento da indústria. Em entrevista à professora, ele relatou parte da história da revitalização da área, que não foi isenta de alguma tensão. As questões ambientais, sociais, econômicas e as exigências do Poder Público tiveram que ser bem equacionadas a fim de garantir o investimento no espaço e promover melhorias de maneira geral. A professora Denise lembra, por exemplo, da chamada "Lei da Muralha", que até 2012 proibia a instalação de grandes empreendimentos dentro de um quadrilátero central da cidade. Por outro lado, era preciso convencer a iniciativa privada a investir.

Esta tensão, porém, de certa forma revela seu próprio remédio. A professora explica que, atualmente, quando se discute revitalização de áreas urbanas (seja por abandono ou outra razão), fala-se em parcerias entre o Poder Público e a iniciativa privada. A decisão de revitalizar e de que forma fazê-lo depende do contexto local e por isso é de competência do município, através de seus diferentes segmentos sociais. "É preciso unir gestão pública e participação popular, numa tomada de posição política", completa Denise.

No final, o saldo é positivo, na avaliação da coordenadora do estudo. Segundo ela, os empreendimentos realmente catalisaram o desenvolvimento da região, não provocaram a gentrificação (saída da população de baixa renda e entrada dos mais ricos) e valorizaram os imóveis na região.

Produção de conhecimento

O projeto encerrou formalmente mas os estudos prosseguem. Em sua disciplina, a professora Denise utiliza o material produzido para apresentar a história da área aos alunos e criar projetos de todo tipo - residenciais, paisagísticos, multiuso, etc. - que revitalizem e melhorem ainda mais a região. A pesquisa também gerou artigos já encaminhados para publicação e, futuramente, a ideia é publicar um livro com os resultados de pesquisas anteriores e posteriores.

Vista aérea do Marco Zero em 1949

Vista aérea do Marco Zero em 2018



rodapé da notícia

  17h59 UEL abriga Banco de Germoplasma para melhoramento genético
  17h24 Aberta seleção para preenchimento de 48 vagas remanescentes
  15h08 Seleção concede bolsas de iniciação científica. Inscrições terminam quinta-feira (28)
  16h14 UEL sedia 1º Simpósio sobre Doenças Raras nesta quinta
  14h35 Departamento faz Seminário sobre Proibicionismo, Estado Penal e Violação dos Direitos Humanos
  14h37 Projeto de construção modular desenvolvido na UEL ganha patente do INPI
  09h51 Orquestra Barroca Capriccio Stravagante apresenta Ópera Thésée, dia 30
  17h01 Representantes no Conselho Universitário
  16h27 Abertas inscrições do 4º Simpósio Nacional de História Militar
  15h18 Sai resultado do Programa Institucional de Doutorado Sanduíche no Exterior
  15h07 HV adequa procedimentos e prioriza atendimento à população carente
  08h35 Formandos de 13 cursos colaram grau na última sexta-feira
  10h56 Eleitos representantes da carreira docente para Conselho Universitário
  18h07 Extensão é janela de oportunidades para estudantes universitários
  09h25 Ludoteca abre inscrições em abril. Setor atende crianças de 4 a 9 anos
  17h55 Museu Histórico apresenta Mostra audiovisual Múltiplo Leminski
  17h11 Science Hour promove debates científicos em bares de Londrina
  15h36 Segundo dia de colação de grau reúne formandos de dois Centros de Estudos
  15h02 Sistema de fluorescência em Raios X tem patente registrada junto ao INPI
  16h19 Seminário de Inovação debate aproximação entre UEL e setor produtivo
  11h53 Eleição escolhe representantes docentes no Conselho Universitário
  15h20 Colóquio conta com minicursos de professores da Universidade de Coimbra
  09h08 Professor da UEL coordena Seminário sobre piscicultura na Expolondrina 2019
  12h16 Formandos do CESA colam grau em festa no Moringão
  15h32 Dia de Combate ao Racismo reúne comunidade e representantes de movimentos
  13h21 Pacto pela Eliminação do Racismo na UEL marca evento no Campus
  11h44 Simpósio de Atualização em Ciências Agronômicas 2019
  11h29 7ª Semana de Comunicação da UEL em abril
  10h54 Laboratório apóia desenvolvimento de pesquisas ligadas ao setor agropecuário
  11h13 Divisão de Artes Plásticas abre primeira exposição do Arte Londrina
  16h52 Aluno participa em São Paulo de evento ligado à empresa de telefonia
  09h08 Núcleo de Educação a Distância tem curso sobre masculinidades
  17h19 Patente da UEL propõe kit de casa popular mais econômica e sustentável
  16h51 Ingressantes de Medicina incentivam doação de sangue junto à população
  09h48 A Prece entra em cartaz no Cine Com-Tour/UEL
  16h38 Alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo vencem prêmio Movelpar 2019
  14h59 NEAB E CUIA realizam Dia do Combate ao Racismo nesta quinta (21)
  15h02 Projeto amplifica vozes populares
  15h07 Estudo inédito preserva sementes de bromélias
  14h47 Estatística para psicólogos
  13h29 Projeto de Extensão 'UEL, A Casa da Tolerância' entrega dossiê
  15h12 Um café gelado, por favor!
  10h53 Departamento promove Oficina de Horticultura
  15h06 Pesquisa desenvolve gel antibacteriano
  10h32 UEL reforça combate ao racismo e discriminação com ações acadêmicas, dia 21
  09h39 Tecnologia e desenvolvimento sustentável são temas do SIMBBTEC 2019
  11h11 Semana destaca a comunicação na era da desinformação
D
DESTAQUES ::.

Representantes no Conselho Universitário

Projeto amplifica vozes populares

Estudo inédito preserva sementes de bromélias

Estatística para psicólogos
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br