Agência UEL de Notícias
    Londrina, Domingo, 19 de Setembro de 2021 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
14/02/2019  

Boitatá é primeiro periódico das áreas de oralidade e literatura

Agência UEL

Capa da Revista Boitatá

A revista Boitatá é uma publicação semestral do Grupo de Trabalho de Literatura Oral e Popular da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Letras e Linguística (ANPOLL). Foi criada em 2005 para preservar a oralidade produzida principalmente no Brasil e contribuir com o pensamento sobre as vozes poéticas. O objetivo é aprimorar relações entre oralidade e literatura, poesia e tradição oral e performance poética da voz.

De acordo com o editor responsável pela revista, professor Frederico Augusto Garcia Fernandes, do Departamento de Letras Vernáculas e Clássicas, do Centro de Letras e Ciências Humanas (CCH), a publicação é destinada a divulgar trabalhos científicos produzidos por pesquisadores brasileiros e de outros países, que contribuem para poéticas orais e a literatura popular produzidas em língua portuguesa. Frederico Fernandes também é professor no programa de pós-graduação em Letras (PPGL) da UEL.

São aceitos artigos originais e inéditos no campo das poéticas orais e literatura popular. "A Revista Boitatá é o primeiro periódico brasileiro destinado a publicações de artigos científicos sobre relações entre oralidade e literatura, poesia e tradição oral, performance e poéticas da voz. Além disso, tem forte impacto no mundo lusófono", afirma o professor Fernandes.

Editor do periódico, professor Frederico Fenandes, do CCH

De acordo com Frederico Fernandes, o foco e escopo principais do periódico são disseminar trabalhos inéditos decorrentes de produções científicas que investigam as poéticas orais e a literatura popular. Com a política de acesso livre ao conteúdo, a ideia é disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico, proporcionando maior democratização do conhecimento.

Em geral, as publicações são sobre estudos voltados a área de poesia oral, seus mecanismos de produção, circulação e armazenamento. Como oralidades tradicionais, narrativas de viagens, antologias poéticas, manifestações culturais orais brasileiras, Narrativas tradicionais e contemporâneas, patrimônio imaterial e patrimônio vivo, renovação do conto e das artes da voz, histórias populares e histórias de vida.

"Era preciso provar estatutos científico e acadêmico e sua legitimidade como arte ou conhecimento válido. O que surgiu de bom dessa necessidade de justificativa é que investindo em métodos de outras áreas, os estudos em culturas populares e literaturas orais foram inseridos nos estudos interdisciplinares", ressalta Frederico.

Os artigos são de autoria de professores que atuam no grupo de pesquisa e demais cientistas de várias áreas, sendo que cada área tem sua avaliação Qualis perante a Capes. Assim, seguindo a avaliação Qualis Capes, as áreas de Letras/Linguística, Artes/Música possuem avaliação B1. Já as áreas de Comunicação e Informação e Educação possuem avaliação B2. O periódico conta com fomento da Fundação Araucária e Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq).

O processo de análise dos artigos enviados para a publicação passa pela avaliação por pares com duplo anonimato. Desse modo, os avaliadores são pesquisadores reconhecidos no meio, todos especialistas da área de oralidade e literatura.

O professor Frederico ressalta que o conselho consultivo é diversificado, uma vez que conta com pesquisadores de diferentes instituições nacionais e internacionais. Eles são das seguintes instituições: Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Estadual de Campinas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade Federal da Grande Dourados, Universidade Federal Fluminense, Universidade Estadual da Bahia, Universidade Federal da Bahia, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Universidade do Algarve (Portugal), University of Ottawa (Canadá), Universidade Federal do Pará, Universidade Estadual Paulista (Assis), Universidade de Caxias do Sul, Universidade Federal de Mato Grosso e University of California (Estados Unidos). 

Além disso, a Revista Boitatá está indexada na Latindex - Indice Latinoamericano de Publicaciones Científicas Seriadas, OCLC - Online Computer Library Center, ERIH PLUS - European Reference Index for the Humanities, Diadorim - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras, COPAC - Consortium of Online Public Access Catalogues (Reino Unido), Portal de Periódicos da CAPES, Système Universitaire de Documentation (França) e Zeitschriftendatenbank (Alemanha).


rodapé da notícia

  16h27 16/09/21 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  15h27 15/09/21 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  13h10 14/09/21 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  14h11 13/09/21 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  14h51 10/09/21 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
D
DESTAQUES ::.

Gênero cômico faz parte do ensino de Artes Cênicas

Compostos são alternativas para tratar a Leishmanios

Síndrome associada à Doença de Chagas tem alto índic

Projeto auxilia crianças a superar dificuldades moto
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br