Agência UEL de Notícias
    Londrina, Sábado, 11 de Julho de 2020 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
18/11/2019  

Professor da Universidade de Paris fala sobre origem da vida

José de Arimathéia

Professor Jean-François Lambert, acompanhado do professor Dimas Zaia (UEL): "Uma grande dificuldade é que não existem rastros das formas de vida originais"

A convite da UEL, professor da Universidade de Paris vem ao Brasil pela primeira vez para falar da origem da vida a partir do mundo mineral
Em seu épico "Paraíso Perdido" (1667), o escritor inglês John Milton (1608-1674) faz eco ao mito grego da criação que afirma que do Caos nasceu Gaia (a Terra). Um trecho do poema diz: "Deus afastou o turbulento Caos / para de suas margens as desordens / não arruinarem, sendo-lhe contíguas, / a fábrica do Mundo".
Tais descrições, embora alegóricas, podem apontar para os fenômenos que deram origem à própria vida no planeta Terra. Segundo alguns teóricos, bilhões de anos atrás, uma série de reações químicas, numa espécie de "caldo primordial", começou a formar as primeiras moléculas orgânicas, que mais tarde evoluíram para seres vivos.
Foi este o tema que trouxe a Londrina, no dia 21 de outubro, o professor Jean-François Lambert, belga, que atua na Universidade de Paris (Sorbonne), com particular interesse na origem da vida. Ele veio a convite dos Programas de Pós-graduação em Química e da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PROPPG) da UEL.
Mas o que é vida? Para o professor Lambert, os cientistas ainda buscam responder esta pergunta definitivamente, porque todo conhecimento adquirido é constantemente desafiado com novas perguntas, como a possibilidade de existirem formas de vida ainda desconhecidas na Terra ou em outros corpos celestes. Uma grande dificuldade, lembra o professor, é que não existem rastros da vida original, assim como existem fósseis. Por isso, há especulações, modelos teóricos e constantes experimentos.
São referências os estudos do soviético Aleksander Oparin e do britânico John Haldane, que nos anos 20, de forma independente, propuseram que reações químicas lentas e graduais formaram os primeiros compostos orgânicos a partir de substâncias abundantes na atmosfera primitiva, como gás metano, amônia, hidrogênio e vapor de água. Ao se agregarem, passaram a ser chamados de coacervados. Estes já podiam se reproduzir, assim como absorver e transformar substâncias em seu interior, ou seja, desenvolveram um metabolismo. Com o tempo, surgiram formas mais complexas, como as bactérias.
Três décadas depois, baseado em Oparin e Haldane, o americano Stanley Miller realizou com sucesso um experimento tentando reproduzir as condições atmosféricas primordiais para gerar compostos orgânicos, o que representou um avanço nos estudos. Para o professor Lambert, todos foram estudos muito importantes em seu tempo e impulsionaram o conhecimento acerca da origem da vida na Terra.
Claro que ainda há muitas perguntas a serem respondidas, e uma delas é entender porque tudo aconteceu da forma como parece ter acontecido, e não de qualquer outra. Lambert explica, por exemplo, que o carbono - base da matéria orgânica - é abundante no planeta e tem propriedades que facilitam sua ligação com outros elementos, como o imprescindível oxigênio. Outros, como o silício, possuem propriedades semelhantes, mas não o suficiente para gerar formas de vida complexas.
Como não é possível explorar devidamente outros planetas do sistema solar, os cientistas pesquisam ambientes extremos na Terra em busca de condições semelhantes ao "caos primitivo". O professor Lambert observa que no fundo dos oceanos e dentro de vulcões (alguns submarinos) ocorrem interessantes fenômenos químicos e que poderiam gerar matéria orgânica e vida. Fora da Terra, os cientistas estão de olho em Europa, uma das luas de Júpiter.
Os estudiosos trabalham ainda com a hipótese de as primeiras formas de vida terem vindo de fora, em meteoros ou asteróides. Para Lambert, eles são capazes de sustentar aminoácidos e açúcares, que poderiam dar origem a formas de vida. Dentro desta hipótese, o candidato mais cotado é Marte, por ser relativamente próximo e apresentar algumas condições favoráveis. 
Esta matéria foi publicada no Jornal Notícia nº 1.403. Confira a edição completa:




rodapé da notícia

  17h50 UEL FM apresenta neste sábado (11) especial com sabor caipira
  16h01 Mais de 90% dos alunos da graduação respondem a questionário da Prograd
  13h33 10/07/20 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  10h00 Inscrições do novo processo de seleção para vagas remanescentes terminam domingo (12)
  15h51 Livro de pesquisadores reúne histórias sobre escola na quarentena
  15h34 Tech Talk Alumini 2020 une egressos e alunos do curso de Engenharia Elétrica
  16h18 Campanha ACESS@UEL arrecada dinheiro para compra de tablets a estudantes
  13h52 09/07/20 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  13h27 Lançada chamada do novo Programa de Pesquisa Aplicada à Saúde
  10h02 PET de Zootecnia promove 1ª Semana de Formação de Cientistas
  13h39 08/07/20 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  18h24 HU/UEL amplia estrutura de leitos para atendimento regional
  12h08 UEL convoca profissionais selecionados via PSS para Unidade de Retaguarda do HU
  11h40 Professores da Residência em Dentística divulgam orientações de saúde
  10h38 Projeto interdisciplinar convida mulheres para falar do uso de medicamentos
  10h11 Live traz orientações sobre o Programa Centelha da Fundação Araucária e Seti
  17h35 Ranking britânico destaca UEL como melhor universidade estadual do PR
  17h09 Divulgado novo processo de seleção para vagas remanescentes em cursos de graduação
  13h48 07/07/20 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  11h05 Curso online voltado a professores de inglês em séries iniciais aborda translinguagem
  10h18 Projeto do CCH coleta relatos orais de quem vive a pandemia de COVID-19
  11h01 Revista do Tecpar recebe artigos para edição comemorativa de 75 anos
  13h30 06/07/20 Revista do Meio-Dia (UEL FM)
  12h05 Sai 1ª convocação extraordinária do Vestibular 2020. Lista tem sete nomes
  18h17 Professores e alunos debatem o futuro das artes diante da pandemia de COVID-19
  11h07 Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia: inscrições abertas
D
DESTAQUES ::.

Gênero cômico faz parte do ensino de Artes Cênicas

Compostos são alternativas para tratar a Leishmanios

Síndrome associada à Doença de Chagas tem alto índic

Projeto auxilia crianças a superar dificuldades moto
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br