Agência UEL de Notícias
    Londrina, Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
17/07/2019  

Pesquisa aponta evasão populacional em 150 distritos do Paraná

Agência UEL

Professor Nestor Razente é responsável pelo estudo

O total de 150 distritos do Paraná registram evasão populacional de mais de 68 mil pessoas, conforme apontou os três últimos censos demográficos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Considerando a população urbana e rural, a evasão é mais de 17 mil famílias. É o que mostra o projeto de pesquisa "Esvaziamento populacional nas cidades paranaenses", do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, do Centro de Tecnologia e Urbanismo (CTU).

Coordenado pelo professor recém-aposentado, Nestor Razente, o projeto é um recorte de distritos oficiais do IBGE, nos censos de 1991, 2000 e 2010. Para a pesquisa, foram considerados os distritos em que a cidade e o município também registraram perda significativa de população. O Paraná tem 399 municípios, 358 distritos, e população total de 11,35 milhões de pessoas.

O objetivo da pesquisa foi identificar distritos completamente abandonados no Estado, assim como ocorreu nas últimas décadas na Espanha, nos chamados pueblos, que apresentam características semelhantes aos pequenos aglomerados urbanos brasileiros.

Segundo o professor Razente, não foi identificado nenhum distrito "fantasma" no Paraná. Por outro lado, as regiões que mais perderam população foram Oeste e Sudoeste - na divisa com o estado de Santa Catarina. Ele conta que o esvaziamento na região Oeste ocorreu em função do fim do ciclo do café nas zonas rurais com a geada de 1975, porém foi surpresa o registro de evasão na parte sul do estado, localidade em que a cultura não foi cultivada.

Grandes cidades - O interesse pelo tema surgiu porque demais urbanistas demonstram mais interesse com temas ligados à preocupação com planejamento urbano e problemas de grandes metrópoles, em detrimentos de pequenos municípios. Razente explica que o problema reside na maior preocupação, por parte dos pesquisadores, com o crescimento populacional nas grandes cidades, o que resulta no investimento em políticas públicas específicas para lidar com a situação.

Por outro lado, o esvaziamento populacional em distritos e pequenas cidades é esquecido. Ela cita como exemplo as cidades americanas de Detroit e Gary, que no século passado sofreram grandes problemas decorrentes não do crescimento, mas do esvaziamento populacional. "Nós ainda não enxergamos que isso também está acontecendo no Paraná", afirma.

O professor lembra que na década de 1980, houve uma tentativa do governo do estado de investir em pequenas cidades, como alternativa para evitar a migração para as cidades maiores. Com investimento do Banco Mundial, a iniciativa resultou na criação de empregos temporários na área da construção civil, para construção de escolas, pavimentação e estruturas de saneamento básico.

Ainda segundo Nestor, isso segurou a população por quatro ou cinco anos nessas cidades menores, mas não evitou por completo a migração para cidades maiores, localizadas dentro do próprio Paraná, além de outros estados, como São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Perda populacional - No caso dos pueblos, da Espanha, o motivo foi a falta de emprego - os jovens migraram para outras cidades em busca de trabalho, ficando apenas a população idosa no local. O professor acredita que o mesmo motivo leva à evasão dos distritos do Paraná, mas é difícil comprovar o deslocamento da população ao longo dos anos.

A resposta deve ser dada após a coleta dos dados do Censo 2020, em que serão feitas análises mais profundas sobre o deslocamento populacional. Como o professor não está mais na academia, o intuito é produzir um livro com o resultado dessa pesquisa.

Livro - Em 2016, Nestor Razente publicou o livro "Povoações abandonadas no Brasil" (EDUEL, 372 páginas) que faz um levantamento inédito sobre cidades brasileiras que morreram, ou seja, perderam suas populações, deixando um rastro de ruínas, além do registro histórico.

A pesquisa apontou que oito cidades brasileiras deixaram de existir entre os séculos 19 e 20. São elas: Ararapira (PR), Biribiri (MG), Airão Velho (AM), Desemboque (MG), Bom Jesus do Tocantins (TO), Cocori (SE), Fordlândia (PA) e Ouro Fino (MG).


rodapé da notícia

  15h48 Atividade de prevenção a afogamento atende estudantes de escolas municipais
  14h41 Professora da Universidade de Évora debate inclusão na Educação Infantil
  14h35 Funcionários da Sercomtel doam R$ 180 mil para Casa de Apoio do HU/UEL
  10h57 Professores pioneiros são homenageados durante abertura da Semana de Educação
  10h56 Projeto desenvolve técnica rápida para identificação de fraude em produtos cárneos
  11h18 Aluna do mestrado em Bioenergia conquista prêmio na área de inovação
  08h16 UEL participa da 6ª Semana de Transparência e Controle Social de Londrina
  09h11 Estudantes participam de Agrogame e testam conhecimento de produção agrícola
  17h44 Palestra de medalhista encerra Semana da Educação Física e do Esporte
  16h43 Casa do Pioneiro e Cequinha são usados como sets de filmagem para curta-metragem
  17h01 Atividades do CEFE reforçam prevenção ao afogamento de crianças
  17h11 Pesquisa investiga proteção jurídica da terra no Brasil
  15h58 Professores e alunos de licenciaturas divulgam resultados do PIBID
  15h49 Integrantes do projeto OBMEP participam de Encontro Regional sobre IC
  15h38 Cursinho da UEL aprova 258 estudantes na 1ª fase do Vestibular 2020
  09h58 Ciclo Hannah Arendt 2019 tem inscrições abertas para ouvintes
  09h16 UEL aplica provas de residências do HU para 625 candidatos
  16h39 Projeto oferece formação complementar sobre autismo
  18h06 UEL inaugura oficialmente a primeira Usina Fotovoltaica da região de Londrina
  18h26 Professores participam de Colóquio Internacional sobre racismo na educação superior
  17h05 1ª fase do Vestibular 2020 tem 8.419 candidatos aprovados
  17h23 Divisão de Artes Cênicas recebe três apresentações da Cia. Grita de Palhaças
  11h03 Evento debate inovação, processos de análises e controles de processos
  10h38 Professora da UEL usa jogos que estimulam raciocínio lógico e criatividade
  10h15 Semana da Educação e Encontro Internacional têm mais de mil inscritos
  17h29 Primeira Usina Fotovoltaica da UEL será entregue nesta sexta (8)
  17h29 Pesquisadores debatem ações de Comitê de Ética em pesquisa envolvendo seres humanos
  15h14 UEL participa de Seminário sobre direitos da criança, idoso e pessoa com deficiência
  09h40 Inscrições da Prova Pedestre 2019 da UEL terminam domingo (10)
  08h54 Edital da Capes oferece bolsas de doutorado na Alemanha
  08h26 Professora do CCE oferta minicurso sobre software "R", em Maringá
  10h40 Um Homem Fiel entra em cartaz no Cine Com-Tour/UEL
  15h35 Conselho aprova resolução que institui Liberdade de Cátedra nas atividades acadêmicas
  14h48 Semana da Educação Física e Esporte tem homenagem aos aposentados
  16h23 Programas intensificam formação de estudantes de licenciaturas
  09h56 Feirinha da Cidadania oferece opções de alimentos e artesanatos
  11h22 Gedal convida comunidade para observação da lua e planetas
  09h33 Grupo sobre Envelhecimento debate cuidados na demência avançada
  09h15 Professores e alunos participam de Encontro de Iniciação Científica
  08h57 HU/UEL promove Jornada de Práticas Assistenciais em Lesão de Pele
D
DESTAQUES ::.

Professores criam bioinseticida que elimina larvas d

Pesquisa investiga proteção jurídica da terra no Bra

Projeto oferece formação complementar sobre autismo

Jornal Notícia - 1.402
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br