Agência UEL de Notícias
    Londrina, Domingo, 26 de Maio de 2019 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
04/04/2019  

Maior longevidade a cães e gatos

Juliana Félix*

"No projeto, os estudantes têm a oportunidade de, pelo menos, ter um primeiro contato e quem sabe, no futuro, possam se especializar e atuar nessas áreas", afirma o professor Weslem Suhett.

Segundo uma pesquisa do Hospital Veterinário Sena Madureira, de São Paulo, dos anos 80 aos dias atuais, a expectativa de vida dos animais domésticos aumentou consideravelmente. Cães e gatos estão vivendo praticamente o dobro do que viviam e isso é resultado da aproximação afetiva com seus donos e dos avanços da Medicina Veterinária. No entanto, assim como os seres humanos, quanto mais velhos os animais, mais se tornam propensos a doenças ligadas à idade, como a insuficiência cardíaca (IC) e a doença renal crônica (DRC), que envolvem dois órgãos muito importantes: o coração e o rim.                       
      
Como os humanos, os animais domésticos têm aumentado sua expectativa de vida, o que os torna suscetíveis a doenças associadas à idade
            

Pensando na longevidade desses animais, quatro docentes e dez estudantes da graduação compõem o Projeto de Extensão Cárdio-renal em cães e gatos atendidos no Hospital Veterinário/UEL, sob a coordenação do Professor Weslem Garcia Suhett, do Departamento de Clínicas Veterinárias. A ação propicia diagnóstico, atendimento e acompanhamento médico veterinário a cães e gatos suspeitos assintomáticos ou sintomáticos de cardiopatias e síndrome cárdio-renal.

Desde 2018, fase II da iniciativa, o projeto assiste cães e gatos atendidos no Hospital Veterinário da UEL, ou que são encaminhados por médicos veterinários de Londrina e região que necessitam de atendimento e acompanhamento especializado. O serviço é realizado às sextas-feiras, das 14 às 18 horas no próprio HV.

CAUSAS

Como esclarece o professor, a insuficiência cardíaca é definida por qualquer perda da função do coração, ou seja, quando o órgão não funciona adequadamente, por qualquer motivo, podendo ser por doença valvar (válvulas), doenças do miocárdio (músculo cardíaco), ou pela conhecida hipertensão (pressão alta).

Já a doença renal crônica ocorre quando o rim perde sua finalidade e se mantém sem funcionamento adequado por mais de três meses. Pode ser adquirida por doenças infecciosas como a leptospirose e a erliquiose (doença do carrapato), que levam à perda da função renal. Como explica Suhett, o rim funciona para filtragem e depuração sanguínea, retira as toxinas do sangue e as transforma em urina para serem eliminadas. Se o órgão não consegue executar essa função, pode parar de produzir hormônios como a eritropoetina, responsável por estimular a medula óssea a produzir as células sanguíneas, o que leva o animal a ficar anêmico.

É caracterizada como insuficiência renal crônica quando mais de 60% do rim, ou dos néfrons, que compõem o órgão, estão afuncionais. Diferente desse quadro clínico, a insuficiência renal aguda é definida pela reversibilidade da doença, quando o rim se encontra insuficiente no momento, mas não perdeu sua função. O tratamento para doenças renais é avaliado caso a caso, porque cada abordagem exige um tratamento específico.

DOIS ÓRGÃOS LIGADOS

Como explica Suhett, o coração e o rim se comunicam o tempo todo. As doenças renais, se não tratadas, interferem na função cardíaca porque o coração precisa da ação do rim no equilíbrio dos eletrólitos (sódio, potássio, cloro, entre outros) para funcionar corretamente. Se o rim para de atuar, esses eletrólitos são afetados e, consequentemente, o coração também.

O contrário também acontece, já que o coração é responsável por bombeamento sanguíneo e o rim só funciona adequadamente se recebe 25% do sangue circulante. Caso haja algum tipo de problema no coração, pouco sangue chega no rim. Assim, a função de um depende da função do outro. A coexistência de insuficiência cardíaca e doença renal crônica é que recebe a denominação Síndrome Cárdio- Renal.

SINTOMAS

O docente explica que pelo fato de o coração e o rim serem órgãos silenciosos, quando os animais começam a apresentar os primeiros sinais de doença renal ou cardíaca, esta já se encontra em estado avançado, o que dificulta a identificação dos sintomas.

De maneira geral, os animais que apresentam quadro clínico de insuficiência cardíaca, podem manifestar tosse, cansaço fácil, cianose (a língua começa a ficar arroxeada ou azulada), dispneia (dificuldade respiratória) e acúmulo de líquidos cavitários, como a barriga d'água. No caso dos animais doentes renais, os sinais são inespecíficos. Pode haver perda de apetite, vômito e diarreia com presença de sangue, aftas e machucados na boca. São sinais que podem ser qualquer coisa, portanto, só através de exames é possível identificar o problema, o que pode retardar o tratamento.

CONTRIBUIÇÕES

Na avaliação do docente, o projeto beneficia tanto a comunidade interna quanto a externa. "É possível que a população tenha acesso a exames de alta tecnologia a custo zero. Os pacientes que entram pelo projeto acabam não tendo custo algum pela execução desses exames, que fora do HV, chegam a custar de 180 a 280 reais", afirma. Suhett explica que na graduação não se tem condições e tempo hábil para falar de todas as doenças cardiovasculares e que envolvem a parte renal, e que no projeto os estudantes têm a oportunidade de um contato prático e teórico de muitas doenças que veem superficialmente, ou nem veem durante o curso. "A Cardiologia e a Nefrologia são duas especialidades na Medicina Veterinária com potencial de crescimento. Existem poucos profissionais trabalhando nas áreas, principalmente no caso da Nefrologia. No projeto, os estudantes têm a oportunidade de, pelo menos, ter um primeiro contato e quem sabe, no futuro, possam se especializar e atuar nessas áreas", destaca.

* Estagiária de Jornalismo na COM

Esta matéria foi publicada no Jornal Notícia nº 1.391. Confira a edição completa:




rodapé da notícia

  16h47 Seminário de Pesquisas: Inscrições abertas até 5 de junho
  16h40 Projeto da UEL incentiva adoção sem preconceitos e estigmas
  15h52 TCC: Pesquisa expõe vozes femininas sobre violência
  17h17 Produções japonesas: fantástico, maravilhoso e estranho
  15h18 Tendências para o profissional do futuro é tema de evento na UEL
  17h21 Foto Estrela tem mais de cinco mil imagens digitalizadas pelo Museu Histórico
  10h11 CNPq lança Editais de bolsas de Produtividade em Pesquisa e Sênior
  09h49 Orquestra Londrinense de Viola Caipira abre Semana do Café
  15h12 Planetário de Londrina divulga exibições para públicos infantil e adulto
  08h44 Projeto recruta pais de crianças com transtorno do espectro Autista
  15h23 Jornal Notícia - 1.394
  15h40 UEL fica em 3º lugar nos Jogos Universitários do Paraná
  15h26 Semana de Secretariado Executivo está com inscrições abertas
  14h58 Departamentos do CCB promovem curso sobre Ciências Naturais
  14h54 Escola Municipal de Dança apresenta Coppélia no Ouro Verde
  14h47 Professor argentino abre Simpósio Internacional de Patologia
  13h31 Museu Histórico de Londrina recebe programação da Semana do Café
  13h19 Pesquisa online faz levantamento sobre saúde mental de estudantes de graduação
  09h41 Cine Com-Tour/UEL exibe drama francês
  15h29 Ciclo de Palestras Satélite tem convidados do Canadá e Inglaterra
  15h22 Semana Jurídica promove discussão sobre relativização dos Direitos Fundamentais
  15h04 Professor da USP abre Congressos sobre Educação Física Escolar
  15h30 Semana do Café no Museu Histórico de Londrina/UEL
  09h33 Prorh abre inscrições para curso sobre organizações públicas
  09h26 Farmácia Escola da UEL fornece 50 medicamentos do SUS
  08h54 Inscrições para o Prêmio Paranaense de C&T terminam terça-feira (28)
  16h04 Abertas inscrições para 27 programas de mestrado e doutorado
  16h05 Educação Física terá alteração na 2ª Fase do Vestibular
  11h32 Museu Histórico de Londrina divulga programação da Semana do Café 2019
  08h58 57ª Semana Jurídica destaca desconstrução do Estado Democrático de Direito
  08h44 Ciclo de Estudos Críticos Animais está com inscrições abertas
  09h10 Simpósio Internacional debate doenças, obesidade e envelhecimento
  17h39 Simpósio de Humanização em Saúde em junho
  17h11 Banco de Leite Humano do HU/UEL precisa de doações
  08h33 Abertas até dia 24 inscrições do Parlamento Universitário 2019
  14h16 Pint of Science começa hoje em 84 cidades brasileiras
  11h21 Seti: consulta pública sobre Lei Estadual de Inovação
  11h09 Encontro de Saúde Mental reúne pesquisadores e especialistas da área
  10h39 Exposição fotográfica no NDPH (CCH)
  19h01 Curso sobre Ecologia e Conservação de peixes
  09h57 Departamento oferta curso de curso Excel 2016
  17h49 Cops divulga gabarito oficial de concurso da Prefeitura de Londrina
  11h14 3º Concerto da Temporada Ouro Verde une OSUEL e Banda Champagnat
  09h11 Professor da USP abre Congressos sobre Educação Física Escolar
D
DESTAQUES ::.

TCC: Pesquisa expõe vozes femininas sobre violência

Produções japonesas: fantástico, maravilhoso e estra

Jornal Notícia - 1.394

Dinâmica social de Londrina é tema de projeto da Soc
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br