Agência UEL de Notícias
    Londrina, Domingo, 24 de Março de 2019 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
20/02/2019  

Alimentação saudável e segura

José de Arimathéia

Parte da equipe do projeto num dos laboratórios do Centro de Ciências Biológicas onde desenvolvem suas atividades

Projeto de Extensão oferece cursos de segurança alimentar a merendeiras de escolas públicas de 12 municípios da região e valoriza profissão

Quem estudou em escola pública provavelmente tem uma relação afetiva com a merenda escolar, e principalmente com quem a preparava: as merendeiras. Estas dedicadas profissionais estão no imaginário e têm sido ainda mais valorizadas no projeto de extensão "Segurança alimentar: promoção da alimentação saudável na escola", coordenado pela professora Renata Katsuko Takayama Kobayashi (Departamento de Microbiologia).

Sucessor de projetos anteriores já encerrados ("Iniciação à Microbiologia para o ensino médio" e "Reconhecendo a Microbiologia no nosso dia a dia"), que atuaram por seis anos em escolas estaduais, inclusive com recursos do Ministério da Educação e Fundação Araucária, este atual oferece cursos de segurança alimentar a merendeiras de 12 municípios da região de Londrina, incluindo escolas indígenas.

As merendeiras vêm até a Universidade e a formação é dada nos Laboratórios do Departamento de Microbiologia. Cada turma tem 20 alunos e, na UEL, elas fazem um curso de 10 horas. São 2 dias de conteúdos teóricos e práticos com muita dinâmica e exercícios totalmente associados às atividades do dia a dia, como o manuseio de alimentos. O segundo dia é mais dedicado à Microbiologia dos alimentos, e as participantes conhecem as principais bactérias que podem ser encontradas neles ou nos ambientes de trabalho.

Logo no primeiro dia, a equipe do projeto demonstra a importância da lavagem das mãos por meio da pesquisa da microbiota (microorganismos) das mãos não lavadas, lavadas apenas com sabão neutro e após a utilização do álcool 70%. Em outro experimento, a equipe apresenta três bactérias conhecidas às alunas - duas encontradas nos seres humanos e um bacilo (capaz de produzir esporos) presente em cereais. Aí demonstram a resistência delas ao processo de fervura, especialmente a terceira, que sobrevive a até mais que 15 minutos na fervura. Também é feita uma coleta de material das alunas e do ambiente, como da sola de sapato, embaixo das unhas, cabelos, óculos, alianças, nariz e boca (onde mais crescem bactérias).

No segundo dia, elas veem as colônias bacterianas crescidas nos meios de cultura e as bactérias coradas para visualização com auxílio do microscópio óptico e normalmente se surpreendem. Ficam conhecendo agentes patogênicnos (que causam doenças), como a salmonela, fungos produtores de toxinas e o Campylobacter sp, um conhecido patógeno presente na carne de frango. Os patógenos são muitos e podem provocar desde uma diarreia leve até a Síndrome de Guillain-Barré (que leva à paralisia), dependendo do agente e de um conjunto de fatores. O curso fecha com informações importantes sobre as propriedades nutricionais dos alimentos, com orientações da professora Clísia Carreira, colaboradora do projeto.

O projeto já ofereceu nove cursos, atendendo quase 200 merendeiras e mais um deve ocorrer até março, quando o projeto encerra. O projeto também oferece cursos de 40 horas para alunos do curso Técnico em Nutrição e Dietética e Técnico em Alimentos, do Colégio Polivalente.

Alunos de Mestrado e Doutorado (dos Programas de Pós-graduação em Microbiologia e Tecnologia de Alimentos) ministram os cursos.Os de graduação (Biologia, Biomedicina, Veterinária e Farmácia) preparam material e monitoram os cursos. No total são 31 alunos, dos quais 23 da pós-graduação.

Além dos alunos e professores das áreas biológicas, agrárias e de Saúde, o projeto conta com alunos dos cursos de Design Gráfico (Amanda M. Tokano) e de Artes Visuais (André H. Kikumoto). Eles foram responsáveis pela criação do logo e da página do Facebook, e ficaram responsáveis também pela edição das imagens e postagens. O projeto está preparando uma cartilha dirigida às merendeiras com conteúdos para serem eventualmente consultados e fixados, e um folder sobre segurança de alimentos.

AVALIAÇÃO

Para os professores e alunos do projeto, participar dele é muito gratificante e enriquecedor. Para a aluna Bruna Carolina Gonçalves, de Biomedicina, a ênfase dos cursos em docência ajuda na formação. "Ministrar curso a um público diferente, não universitário, é difícil. Temos que mudar a linguagem mas manter a qualidade", comenta. Para Natália Belebecha Terezo, também de Biomedicina, o projeto traz vários aprendizados, e reconhece que aprendeu muito com os alunos de pós-graduação. E completa: "É incrível levar os conhecimentos para fora da UEL". Ao mesmo tempo, o curso oferecido pelo projeto dá voz às merendeiras, que encontram um espaço no qual podem falar de suas dificuldades, desafios e experiências do dia a dia. Está aí a via de mão dupla dos saberes.

O professor Gerson Nakazato (Departamento de Microbiologia), também participante do projeto, avalia positivamente o projeto, que enriquece a formação dos alunos e traz grande satisfação aos participantes. Tanto ele quanto a professora Renata desenvolvem projetos de pesquisa paralelos às ações extensionistas. Ela lembra ainda que os maiores restaurantes do Brasil (em quantidade de alimentos servidos) estão nas escolas, o que demonstra a importância da segurança alimentar nestes ambientes.

Quem também avalia muito positivamente o projeto é Ingrid Lioto, do Núcleo Regional de Educação de Londrina, órgão responsável pelas escolas estaduais. Para ela, os resultados dos cursos foram excelentes. "Pena que foi pouco tempo", afirma. A prática foi, para ela, o ponto alto da formação, destacando a oportunidade de aprender, os conhecimentos de higiene e o contato com equipamentos (microscópio, lâminas e outros), o que para muitas foi novidade. "As merendeiras e auxiliares gostaram muito e adquiriram um conhecimento que levam para a vida toda. Eu espero que esta parceria continue", finaliza.

Esta matéria foi publicada no Jornal Notícia nº 1.389. Confira a edição completa:




rodapé da notícia

  17h55 Museu Histórico apresenta Mostra audiovisual Múltiplo Leminski
  17h11 Science Hour promove debates científicos em bares de Londrina
  15h36 Segundo dia de colação de grau reúne formandos de dois Centros de Estudos
  15h02 Sistema de fluorescência em Raios X tem patente registrada junto ao INPI
  16h19 Seminário de Inovação debate aproximação entre UEL e setor produtivo
  11h53 Eleição escolhe representantes docentes no Conselho Universitário
  15h20 Colóquio conta com minicursos de professores da Universidade de Coimbra
  09h08 Professor da UEL coordena Seminário sobre piscicultura na Expolondrina 2019
  12h16 Formandos do CESA colam grau em festa no Moringão
  15h32 Dia de Combate ao Racismo reúne comunidade e representantes de movimentos
  13h21 Pacto pela Eliminação do Racismo na UEL marca evento no Campus
  11h44 Simpósio de Atualização em Ciências Agronômicas 2019
  11h12 7ª Semana de Comunicação da UEL em abril
  10h54 Laboratório apóia desenvolvimento de pesquisas ligadas ao setor agropecuário
  10h50 Divisão de Artes Plásticas abre primeira exposição do Arte Londrina
  09h46 Aluno participa em São Paulo de evento ligado à empresa de telefonia
  09h08 Núcleo de Educação a Distância tem curso sobre masculinidades
  17h19 Patente da UEL propõe kit de casa popular mais econômica e sustentável
  16h51 Ingressantes de Medicina incentivam doação de sangue junto à população
  09h48 A Prece entra em cartaz no Cine Com-Tour/UEL
  16h38 Alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo vencem prêmio Movelpar 2019
  14h59 NEAB E CUIA realizam Dia do Combate ao Racismo nesta quinta (21)
  15h02 Projeto amplifica vozes populares
  15h07 Estudo inédito preserva sementes de bromélias
  14h47 Estatística para psicólogos
  13h29 Projeto de Extensão 'UEL, A Casa da Tolerância' entrega dossiê
  15h12 Um café gelado, por favor!
  10h53 Departamento promove Oficina de Horticultura
  15h06 Pesquisa desenvolve gel antibacteriano
  10h32 UEL reforça combate ao racismo e discriminação com ações acadêmicas, dia 21
  09h39 Tecnologia e desenvolvimento sustentável são temas do SIMBBTEC 2019
  11h11 Semana destaca a comunicação na era da desinformação
  08h26 Ações do NEAB fortalecem debate sobre discriminação racial
  08h42 Administração recebe integrantes do projeto Casa da Tolerância
  15h33 Inscrições para professores atuarem nos EUA terminam segunda-feira (25)
  15h15 8ª convocação do Vestibular 2019 sai nesta quarta-feira (20)
  10h55 Inscrições: Programa Sinapse da Inovação Paraná
  10h50 Seminário Paranaense Nietzsche Contra Wagner
  10h31 UEL forma mais de 1.500 profissionais em três dias consecutivos de colação
  10h51 Departamento de Agronomia organiza 1ª Oficina de Horticultura
  15h13 Exposição retrata beleza das mulheres negras de coletivos
  09h37 Seminário discute cenário de inovação em Londrina e região
  09h00 Começa Semana Integrada dos programas de Pós-graduação em Letras
  17h48 UEL é aplicadora do Exame Celpe-Bras para estrangeiros
  16h45 Congresso de Política Social e Serviço Social recebe submissão de trabalhos
  10h22 Abertas até sexta-feira (22) as inscrições do Programa Paraná Fala Inglês
  09h38 Curso Especial Pré-Vestibular seleciona instrutor bolsista
  09h19 Escritório de Aplicação e Assuntos Jurídicos abre triagem de novos casos
D
DESTAQUES ::.

Projeto amplifica vozes populares

Estudo inédito preserva sementes de bromélias

Estatística para psicólogos

Um café gelado, por favor!
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br