Agência UEL de Notícias
    Londrina, Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018 -  Busca   

 · Agência UEL de Notícias  · Jornal Notícia
08/11/2018  

Projeto estuda revitalização do Marco Zero de Londrina

José de Arimathéia

"Empreendimentos são catalisadores do crescimento de uma região", destaca a professora Denise de Cássia Rossetto Januzzi

Pesquisa investiga processo de transformação de área próxima ao Marco Zero em área que pertenceu a uma indústria

A professora Denise de Cássia Rossetto Januzzi (Departamento de Arquitetura e Urbanismo) concluiu um projeto de ensino e extensão que estudou o processo de transformação da região do Marco Zero de Londrina, particularmente da área que pertenceu, até 2008, à Indústria Anderson Clayton, correspondente a 180 mil metros quadrados, ou seja, 180 campos de futebol, no encontro das avenidas Theodoro Victorelli (Leste-Oeste) com a Dez de Dezembro (Via Expressa).

As primeiras etapas do projeto consistiram na formação de um embasamento teórico e o levantamento dos dados referentes ao local em documentos diversos: livros, jornais, revistas, publicações científicas, documentos públicos e Internet. Denise coordena o projeto e conta com a participação da professora Maria Luiz Grassiotto, do mesmo Departamento.

A partir de fotografias aéreas do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina (IPPUL) e do Google, e com imagens desde 1949, o projeto investigou sete décadas de História da área (uma elipse de raio de 500 metros a partir do marco zero) do ponto de vista da urbanização. O estudo se transformou num material didático a ser disponibilizado na Biblioteca da UEL e usado na disciplina de Urbanismo que a professora ministra para o 4o ano de Arquitetura, na qual aborda as intervenções urbanísticas.

Assim como em outras regiões, a área estudada - localizada no limite entre o Centro e a Zona Leste - continua crescendo, o que gera demandas urbanísticas. Os registros fotográficos documentam as mudanças na região, apesar da escassez de imagens do IPPUL para as décadas de 50 e 60. Já nos anos 70 são encontradas mudanças importantes, como a própria Via Expressa (inaugurada em 1977) e a retirada dos trilhos de trem. Em 1988 foi inaugurada a atual Rodoviária, projetada por Oscar Niemeyer. E na década de 90 alguns lotes começaram a ser preenchidos, e surgiram bairros como o Jardim São Rafael e Morumbi. A veticalização só veio forte em 2008 e este ano novos prédios já apareceram nas fotografias.

A Anderson Clayton deixou de funcionar em Londrina em 2006. Segundo a professora Denise, inicialmente se cogitou transformar a área num conjunto habitacional. Desde os anos 90, por exemplo, existe ali o SEST/SENAT. "Empreendimentos são catalisadores do crescimento de uma região", destaca a professora Denise. Daí a importância de oferecer estrutura.

Na época, foi constatada uma certa vocação da área para o serviço automotivo, considerando a quantidade de empresas do ramo ao redor. Por isso, também foi cogitada a construção de um shopping automotivo. No fim, o projeto para revitalização da área, de 2008, previu um shopping, um teatro, torres residenciais e edifícios comerciais. Além das edificações, um amplo boulevard para circulação e convívio das pessoas - daí o nome do shopping. Parte já existe - como o shopping, um hotel e uma loja de materiais de construção. Já as obras do Teatro Municipal estão paradas há quatro anos. "Era uma área mal vista, insegura, ou seja, havia também uma questão social envolvida a ser resolvida", disse a professora.

Assim, os empreendimentos levaram em conta tanto as necessidades urbanas específicas da cidade quanto a dimensão mais técnica e legal envolvida, como estudos de impacto de vizinhança (EIV) e outras legislações. Claro que o crescimento rápido da área pode gerar alguns novos problemas. No caso, o fluxo de veículos na região aumentou expressivamente, e é um dos pontos negativos e desafio a ser enfrentado, de acordo com Denise.

Tensão

Uma das fontes da pesquisa para o projeto foi o imobiliarista Raul Fulgêncio, diretamente envolvido nos empreendimentos erguidos na região estudada após o fechamento da indústria. Em entrevista à professora, ele relatou parte da história da revitalização da área, que não foi isenta de alguma tensão. As questões ambientais, sociais, econômicas e as exigências do Poder Público tiveram que ser bem equacionadas a fim de garantir o investimento no espaço e promover melhorias de maneira geral. A professora Denise lembra, por exemplo, da chamada "Lei da Muralha", que até 2012 proibia a instalação de grandes empreendimentos dentro de um quadrilátero central da cidade. Por outro lado, era preciso convencer a iniciativa privada a investir.

Esta tensão, porém, de certa forma revela seu próprio remédio. A professora explica que, atualmente, quando se discute revitalização de áreas urbanas (seja por abandono ou outra razão), fala-se em parcerias entre o Poder Público e a iniciativa privada. A decisão de revitalizar e de que forma fazê-lo depende do contexto local e por isso é de competência do município, através de seus diferentes segmentos sociais. "É preciso unir gestão pública e participação popular, numa tomada de posição política", completa Denise.

No final, o saldo é positivo, na avaliação da coordenadora do estudo. Segundo ela, os empreendimentos realmente catalisaram o desenvolvimento da região, não provocaram a gentrificação (saída da população de baixa renda e entrada dos mais ricos) e valorizaram os imóveis na região.

Produção de conhecimento

O projeto encerrou formalmente mas os estudos prosseguem. Em sua disciplina, a professora Denise utiliza o material produzido para apresentar a história da área aos alunos e criar projetos de todo tipo - residenciais, paisagísticos, multiuso, etc. - que revitalizem e melhorem ainda mais a região. A pesquisa também gerou artigos já encaminhados para publicação e, futuramente, a ideia é publicar um livro com os resultados de pesquisas anteriores e posteriores.

Vista aérea do Marco Zero em 1949

Vista aérea do Marco Zero em 2018



rodapé da notícia

  17h32 Cops garante prova sem prejuízos aos candidatos de concurso de escrivão da Polícia Civil do PR
  17h34 Microbiologista formado na UEL participa de pesquisa aeroespacial da Nasa
  17h59 UEL entra em recesso e retoma atividades na quarta-feira (21)
  18h01 33ª Mostra Afro-Brasileira será aberta no próximo dia 20 de novembro
  17h35 UEL FM apresenta especial com o grupo feminino Mawaca no sábado (17)
  16h26 Departamento de Agronomia do CCA oferece curso de manejo sustentável de Feijão
  11h55 Cartão de Inscrição da 2º fase do Vestibular 2019 sai quinta-feira, dia 22
  14h43 Palestra marca comemoração do aniversário de 30 anos do Banco de Leite do HU/UEL
  15h08 COPS aplica domingo (18) prova do concurso da Polícia Civil para 41.161 candidatos
  14h32 UEL participa da 7ª edição dos Jogos Abertos Paradesportivos do Paraná
  11h37 Fórum do CESA divulga trabalhos acadêmicos da graduação e pós-graduação
  09h56 Núcleo da UEL debate em dezembro direitos de cidadania para crianças e adolescentes
  17h45 Prevenção ao afogamento é tema de atividade com crianças no CEFE
  09h59 Curso no CCB ensina conceitos e técnicas relacionados ao paisagismo funcional
  22h31 Inovatec 2018 aproxima Universidade do setor produtivo de Londrina e região
  16h39 Cine Com-Tour/UEL exibe comédia dramática Nos Vemos no Paraíso
  15h22 Equipe do HU/UEL faz balanço do projeto Proadi-SUS e recebe consultora do Sírio-Libanês
  14h18 Estudantes de Relações Públicas lançam campanha contra assédio sexual
  14h11 Projeto da UEL capacita professores para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana
  16h05 NECJ divulga inscrições de intercâmbio para Universidade japonesa Kagawa
  11h37 Livro conta trajetória e destaca ações do projeto de extensão Sensibilizarte do CCS
  13h08 Curso de Nutrição da UEL deve abrir vagas já a partir de 2020
  08h59 UEL conquista novo curso de Nutrição, que será oferecido a partir de 2020
  17h06 Sistema de Bibliotecas da UEL divulga política de doação de obras
  16h50 Grupo Vocal Entre Nós apresenta Morte e Vida Severina no Teatro Ouro Verde dia 15
  14h03 Abertos edições 2018 do Simpósio Por Extenso e Encontro Anual de Extensão Universitária
  11h06 UEL manifesta pesar pela morte do ex-aluno e médico Roberto Kunimassa Kikawa
  11h03 Catedrática de la Universidad Autónoma de México se encarga de la Conferencia magistral en el 7º Simposio de Extensión de la UEL
  11h07 Professora da Universidade Autónoma de México abre Por Extenso, nesta segunda-feira.
D
DESTAQUES ::.

Jornal Notícia - 1385

Um lugar para construir a identidade

Projeto estuda revitalização do Marco Zero de Londri

Programa de iniciação ao futsal abre portas para cri
B
BUSCA no SITE ::.
C
CANAIS ::.
COMITÊS / COMISSÕES
OUTROS ENDEREÇOS
PORTAIS
PROGRAMAS / PLANOS
SAÚDE
SERVIÇOS
Fale com o Reitor
Holerite
Certificados Declarações
L
LINKS ::.
                             
© Universidade Estadual de Londrina
Coordenadoria de Comunicação Social
Rodovia Celso Garcia Cid | Pr 445 Km 380 | Campus Universitário
Cx. Postal 10.011 | CEP 86.057-970 | Londrina - PR
Fone: (43) 3371-4361/4115/4331  Fax: (43) 3328-4593
e-mail: noticia@uel.br