Ver próximos...
 
 
Projeto de extensão "UEL Pela Vida" atua em três frentes contra o coronavírus

O projeto "UEL pela vida, contra o Coronavírus" atuará em três frentes para o combate do vírus que causa a COVID-19, doença considerada - desde 11 de março - uma pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O projeto é na modalidade de extensão aprovado pela Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e financiamento em bolsas pela Fundação Araucária.

A coordenadora institucional da proposta é a professora Mara Solange Gomes Dellaroza, pró-reitora de Extensão, Cultura e Sociedade (PROEX) da Universidade Estadual de Londrina (UEL). A professora Gilselena Kerbauy Lopes, da área de infectologia do Departamento de Enfermagem, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), é a coordenadora adjunta do projeto.

Segundo a professora Gilselena Kerbauy Lopes, a primeira frente de atuação trata da organização de uma central de informações, montada na área física da PROEX. Foi elaborado o manual "Perguntas e Respostas COVID-19", com 66 páginas para orientar estudantes que ficarão à disposição para tirar dúvidas. O manual aborda para a população, sinais e sintomas, cuidados no domicílio, medicamentos, saneantes e antissépticos, serviços funerários. Para profissionais de saúde, informações sobre equipamentos de proteção, assistência a paciente, limpeza e desinfecção, entre outros.

Veja Manual "Perguntas e Respostas COVID-19"

Profissionais - A segunda frente do projeto consiste na atuação de profissionais da enfermagem (enfermeiros e técnicos) nas fronteiras. Segundo a professora Gilselena Kerbauy Lopes, ainda está sendo definido o local, sendo mais provável a fronteira rodoviária, na região de Porecatu, na divisa com o estado de São Paulo. "Junto da equipe de militares rodoviários, esses profissionais de enfermagem vão verificar a temperatura das pessoas, vão dar orientações. Em caso de sinais e sintomas detectados, vão fazer o encaminhamento aos serviços de saúde".

A terceira frente do projeto é composta por profissionais (enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos) que vão atuar no apoio às ações da Secretaria de Estado da Saúde (SESA), nos próprios serviços de atendimento à população. "Eles vão fornecer orientação, cuidado e atendimento a pacientes nos serviços de saúde", destaca a professora Gilselena Kerbauy Lopes.

O projeto "UEL pela vida, contra o Coronavírus" tem 71 bolsas para diferentes áreas, como orientador da central de informações e atendente da central de informações; atendente na fronteira (enfermeiro e técnico de enfermagem/aluno); atendente de unidade de saúde (enfermeiro, técnico de enfermagem e médico). O total mensal das bolsas é de 115 mil e 460 mil para o período de quatro meses.

Ao todo, o projeto tem duração prevista de quatro meses, podendo ser prorrogado - conforme a professora Gilselena Kerbauy Lopes - por mais quatro meses. Os números da epidemia de COVI-19 são imprevisíveis e dependem diretamente do comportamento da população, em seguir as normas de isolamento determinadas pelos organismos de saúde.

Fonte: Agência UEL de Notícias