Ver próximos...
 
 
Parceria da UEL com Indústria possibilita a produção de 8 mil máscaras para os profissionais do Hospital Universitário

Uma parceria da Universidade Estadual de Londrina (UEL) com a Indústria e Comércio de Confecções Cris Jeans, intermediado pelo projeto de pesquisa do CCS por meio da professora do Departamento de Enfermagem, professora Danielly Negrão,  possibilitou a produção de 8 mil máscaras que serão destinadas ao Hospital Universitário de Londrina.

As máscaras são produzidas a partir de um material descartável, o SMS, Spunbond Meltblown Spunbond. Destinado para embalar instrumentos cirúrgicos. Os materiais para a confecção das máscaras provem do próprio Hospital Universitário/UEL que descarta o SMS, após a realização das cirurgias.

A professora Danielly Negrão, do Departamento de Enfermagem do CCS, integra o Núcleo Interdisciplinar de Resíduos (NINTER) da UEL. A confecção das máscaras de SMS também conta com a parceria da professora Thassiana Miotto, do Departamento de Design do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA).

 “A demanda diária por máscaras no HU/UEL é grande e o material (SMS) para ser aproveitado passa por um processo que envolve oito etapas de segurança.” Destaca a professora Danielly Negrão.

O HU é referência para o atendimento de pacientes com Covid-19. A professora afirma que a confecção das máscaras em SMS, material reaproveitado, está em consonância com a Resolução  de Diretoria Colegiada (RDC) Nº 356, de 23 de março último, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que dispõe "sobre os requisitos para a fabricação, importação e aquisição de dispositivos médicos identificados como prioritários para uso em serviços de saúde".

A resolução da Anvisa trata de normas em regime excepcional e possui a validade de 180 dias. “Em virtude da emergência de saúde pública internacional relacionada ao coronavírus. Nossas máscaras em SMS são considerados EPI [equipamento de proteção individual] com cobertura pela legislação", alega Danielly Negrão.