ISSN: 1516-4888
 
VOLUME 1 - NÚMERO 1 - JAN./1999
 
 
JOGO, GRUPO E PODER
Sandra Albernaz de Medeiros & Cláudio Ribeiro
 
RESUMO
Neste artigo descrevemos e discutimos uma experiência na qual trabalhamos, utilizando diferentes atividades lúdicas.A perspectiva teórica foi a da Nova Antropologia de Edgar Morin e a da Teoria do Vínculo e os Grupos Operativos de Pichón-Riviére. Levamos em conta dois fatores: o exercício do uso da palavra, como instrumento articulador do pensamento reflexivo, junto a experiência de usar o próprio corpo, recurso que cria novas possibilidades de comunicação. Estabelecemos como objetivo a constituição de um espaço para que o grupo pudesse exercer o mais livremente possível sua expressividade e, também, discutir suas potencialidades, recursos e limitações. Consideramos que a ética caminha aliada à atividade lúdica . A resistência à mudança foi um fator elaborado junto ao grupo. Os conceitos de clima grupal, cooperação, comunicação, pertinência, aprendizagem e pertenência formam um caminho dialético que o grupo percorre para resolver suas ansiedades básicas. Consideramos que há poderes de ordem sócio-político-culturais que exercem sua influência, submetendo e restringindo o movimento humano. Pudemos observar a espiral dialética experimentada pelo grupo, através da qual foi possível alcançar uma expressão mais autêntica e concomitante amadurecimento, o que abriu possibilidades para novas interações grupais.
 

PALAVRAS-CHAVE: clima grupal - pertinência - ansiedades
 

 

 

 
 
 
 
 
 
        ISSN: 1516-4888
 
VOLUME 1 - NÚMERO 1 - JAN./1999
 
JOGO, GRUPO E PODER
Sandra Albernaz de Medeiros & Cláudio Ribeiro
 
ABSTRACT
We discuss and describe an experiment with a group of professionals using a number of play activities. The theoretical perspective was that of the New Anthropology from Edgar Morin and the Link Theory and the Operative Groups from Pichón-Rivière. We took into account two factors, the use of speaking as a way to articulate reflexive thinking and the experience of using their own body.. Such a resource builds new communication possibilities. We take as objective the creation of a space for the group to exercise its expression possibilities and to discuss its potentialities, resources and limitations. We consider ethics as allied to playing activities. Resistance to changes had to be discussed within the group.The concepts of group ambience, cooperation, communication, pertinence, learning and feeling of being a part of a group build a dialectical way though which the group is able to solve its basic anxieties. We consider the existence of socio-political-cultural powers exerting their influence, submitting and restricting human movements. We observed the dialectical spiral experienced by the group, through which it was possible to reach a more authentical expressivity and growing up, so new group interactions were possible.

KEY - WORDS:  group ambience - pertinence - anxieties