A artista Ana Calzavara participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – TEMPORALIDADES, SOBREPOSIÇÕES E APAGAMENTOS. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências da artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Um trabalho começa andando na rua, olhando para o mundo, olhando para meus trabalhos anteriores, olhando para trabalhos de outros […]

Read More →

O artista Adolfo Emanuel participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – TEMPORALIDADES, SOBREPOSIÇÕES E APAGAMENTOS. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências do artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Acredito que um trabalho começa quando surge uma situação de compreensão estranha de qualquer natureza. No meu caso, por exemplo, […]

Read More →

O artista Raul Leal participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – TEMPORALIDADES, SOBREPOSIÇÕES E APAGAMENTOS. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências do artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Às vezes parte da observação de alguma situação bem prosaica onde percebo possibilidades para desenvolver um projeto. Também gosto de […]

Read More →

A artista Elaine Pessoa participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – TEMPORALIDADES, SOBREPOSIÇÕES E APAGAMENTOS. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências da artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? O tempo foi sempre uma questão importante para minha produção e tento falar imageticamente sobre ele , meu processo criativo […]

Read More →

Sheila Ortega participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências da artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Os trabalhos começam sempre a partir do meu envolvimento com os objetos, com o acúmulo e com […]

Read More →

  Bruno Novelli participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências do artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Um trabalho começa como uma reação. Essa reação se transforma numa busca e, essa busca se desdobra […]

Read More →

Claudia Briza participa da exposição SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR – ARTE LONDRINA 4. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer melhor o processo e as referências da artista.   1. COMO UM TRABALHO COMEÇA? Um trabalho começa na maioria das vezes pela necessidade de falar sobre alguma questão que me instigue, e normalmente […]

Read More →

    Pedro Ermel participa da exposição SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR – ARTE LONDRINA 4. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer melhor o processo e as referências do artista. 1. COMO UM TRABALHO COMEÇA? No meu ver, um trabalho sempre parte de um inquietação, posteriormente você vislumbra como materializar sua inquietação ou ideia, […]

Read More →

Adriel Visoto participa da exposição SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR – ARTE LONDRINA 4. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer melhor o processo e as referências do artista.   1. COMO UM TRABALHO COMEÇA? Meus trabalhos sempre partem de experiências pessoais, nascem de situações nas quais me encontro imerso num determinado período. Eu […]

Read More →

Quinta-feira, 4 de dezembro, às 19h30, abertura da exposição Formandos e Ateliê Permanente 2014. A exposição contará com trabalhos de 25 artistas que, em sua maioria, estarão presentes na abertura. WC Arte: “O trono do rei feijão” de Nani Vasques Participação: Coletivo Codex Ex Machina (não trabalhamos com certeza, fazemos livros ao vivo) É hora […]

Read More →