A artista Anne Courtois participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências da artista. 1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Pela observação de pequenas coisas: gestos, palavras, formas, objetos, hábitos e o estado de contemplação, surpresa ou […]

Read More →

O artista Leandro Muniz participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências do artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Estava lendo alguns textos sobre a Rivane Neuenschwander e uma palavra que os críticos citam em relação […]

Read More →

Com a presença dos artistas Adolfo Emanuel (Londrina), Andréa Tavares (São Paulo) , Felipe Cidade (São Paulo), Paulo Almeida (São Paulo), Raul Leal (Rio de Janeiro), Selene Alge (São Paulo) e do curador Danillo Villa, na abertura da exposição o público presente pode conversar e entender como trabalham os artistas em seus processos criativos. O […]

Read More →

Sheila Ortega participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências da artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Os trabalhos começam sempre a partir do meu envolvimento com os objetos, com o acúmulo e com […]

Read More →

  Bruno Novelli participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer mais sobre o processo e as referências do artista.   1 – COMO UM TRABALHO COMEÇA? Um trabalho começa como uma reação. Essa reação se transforma numa busca e, essa busca se desdobra […]

Read More →

Lucas Alameda participa da exposição SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR – ARTE LONDRINA 4. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer melhor o processo e as referências do artista. 1. COMO UM TRABALHO COMEÇA? Cada trabalho começa de uma forma diferente, mas geralmente são respostas sobre incômodos – mesmo que eu ainda não perceba isso claramente […]

Read More →

  Christina Zorzeto participa da exposição ARTE LONDRINA 4 – SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR. Enviamos algumas perguntas para conhecer melhor o processo e as referências da artista.   1. COMO UM TRABALHO COMEÇA? Começa primeiro com um preparo mental de leitura, depois de pesquisa de materiais e suportes e a seguir começo o trabalho. […]

Read More →

    Ao atentar para o jardim como um dos cenários onde as famílias estabelecem algumas das relações que as justificam, percebemos elementos que são metáforas deste funcionamento: as ervas daninhas, seu infinito surgimento, as umidades e o frescor, o cuidado para a preservação de algumas espécies em detrimento de outras. O jardim é um […]

Read More →

Claudia Briza participa da exposição SOBRE O QUE PODE SER FAMILIAR – ARTE LONDRINA 4. Enviamos algumas perguntas para que possamos conhecer melhor o processo e as referências da artista.   1. COMO UM TRABALHO COMEÇA? Um trabalho começa na maioria das vezes pela necessidade de falar sobre alguma questão que me instigue, e normalmente […]

Read More →